sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Dilma economiza até na festa de Sete de Setembro

A presidente Dilma Rousseff desfilará em carro aberto pela Esplanada pela segunda vez neste Sete de Setembro, abrindo as comemorações do Dia da Pátria – o primeiro sob seu mandato na presidência. O último desfile de Dilma em moldes parecidos foi em primeiro de janeiro, dia da posse, quando o percurso foi quase inviabilizado pela chuva que a acompanhou durante boa parte da cerimônia.

Este ano, o Planalto escolheu um lema que destaca o esforço do governo para promover o crescimento e para partilhar esta responsabilidade com a sociedade: “Construir um Brasil que avança está nas nossas mãos”. Os tempos, contudo, são de crise e de contenção de despesas. Por isso mesmo, para simbolizar o empenho do governo em cortar gastos, a festa será a mais barata dos últimos anos: está orçada em R$ 900 mil, cem mil a menos que a de 2010 e trezentos mil a menos que a de 2009.

Ao contrário de outras comemorações do Dia da Pátria, o desfile deste ano não conta com a presença de nenhum líder estrangeiro de expressão. Em 2009, a festa na Esplanada foi acompanhada pelo presidente da França, Nicolas Sarkozy, que aproveitou a ocasião para fazer lobby institucional pela venda de aeronaves francesas Rafale para a Aeronáutica. Apesar do empenho do ex- presidente Lula, o negócio acabou frustrado por Dilma, meses depois de eleita.

A estrutura que será preparada na Esplanada dos Ministérios nos próximos dias pretende atender a um público de 50 mil pessoas, 20 mil sentadas. Todo o corpo diplomático será convidado, assim como os presidentes do Legislativo e do Judiciário e parte do ministério. Seguindo a tradição, a presidente deve fazer um pronunciamento à nação em rede de rádio e tv, mas o conteúdo ainda não está definido. FONTE: BLOG DA CHRISTINA LEMOS

Apple perde iPhone 5 antes do lançamento, diz site

Um protótipo de uma versão do iPhone - aparentemente, o iPhone 5 - foi perdido por um funcionário da Apple em um bar mexicano de São Francisco (foto ao lado), no Estado da Califórnia, EUA, informou o site Cnet nesta quarta-feira (31). No ano passado, um funcionário da Apple perdeu uma versão inacabada do iPhone 4.

O celular teria sido vendido em um site de classificados por U$ 200 (R$ 318,50).

A Apple rastreou o celular até um pequeno apartamento na periferia de São Francisco. Um homem de pouco mais de 20 anos negou saber do paradeiro do aparelho, apesar de a empresa ter oferecido uma recompensa. 

Até o momento, nenhum detalhe sobre o aparelho foi revelado até o momento.

Repetição 

Em abril do ano passado, um caso parecido aconteceu com o iPhone 4 antes de seu lançamento. O protótipo do celular foi encontrado em um bar na Califórnia e vendido para um blog de tecnologia por U$ 5.000 (R$ 7962,50).
 
A Apple não se pronunciou sobre o mais recente caso. Rumores no mercado dão conta de que o iPhone 5 será lançado ainda neste ano. A polícia de São Francisco nega ter registro do caso. FONTE: R7

Volume de lixo espacial chegou a "ponto extremo", diz estudo

O volume de entulho orbitando a Terra chegou a um "ponto extremo" para colisões, o que gera mais detritos e põe em risco astronautas e satélites, segundo estudo divulgado nesta quinta-feira (1º) por uma instituição norte-americana de pesquisas.

A Nasa, agência espacial americana, precisa de um novo plano estratégico para mitigar os riscos impostos por carcaças de foguetes usados, satélites descartados e milhares de outros pedaços de lixo espacial voando ao redor do planeta a velocidades da 28.164 km/h, afirmou o Conselho de Pesquisa Nacional dos EUA no estudo --uma organização privada e sem fins lucrativos que fornece consultoria científica.

Os detritos em órbita representam uma ameaça para os cerca de mil satélites comerciais, militares e civis na órbita do planeta --parte de uma indústria global que gerou R$ 272,2 bilhões (US$ 168 bilhões) em receita no ano passado, de acordo com dados da Associação da Indústria de Satélites.

O primeiro choque espacial ocorreu em 2009, quando um satélite de telecomunicações da Iridium e um satélite russo não operacional colidiram a 789 km acima da Sibéria, gerando milhares de novos detritos em órbita.

A colisão aconteceu após a destruição, em 2007, por parte da China, de um de seus satélites climáticos fora de uso como parte de um teste amplamente criticado de mísseis antissatélite.
O volume de detritos em órbita monitorados pela Rede de Vigilância Espacial saltou de 9.949 objetos catalogados em dezembro de 2006 para 16.094 em julho de 2011. Quase 20% dos objetos são provenientes da destruição do satélite chinês Fengyun 1-C, afirmou o Conselho de Pesquisa Nacional.

Alguns modelos computacionais mostram que a quantidade de lixo em órbita "chegou a um nível extremo, com detritos suficientes em órbita para causar colisões contínuas e criar ainda mais destroços, o que aumenta o risco de falha de viagens espaciais", disse o conselho em um comunicado divulgado como parte do relatório de 182 páginas.

Além de mais de 30 descobertas, o painel fez recomendações para a Nasa sobre como mitigar e aprimorar a situação do lixo espacial, o que incluiria a colaboração com o Departamento de Estado para desenvolver o sistema regulatório sobre a remoção de lixo espacial.

Atualmente, por exemplo, acordos internacionais proíbem países de remover ou coletar objetos espaciais de outros países. FONTE: REUTERS

Microsoft é processada nos EUA por sistema que rastreia usuários de smartphones

A Microsoft está sendo processada nos Estados Unidos por seu sistema operacional Windows 7, já que os smartphones que o incluem avisam sobre a posição dos usuários, mesmo que eles não queiram ser rastreados.

Segundo a ação apresentada por uma mulher do estado de Michigan na última quarta-feira (31), o dado é transmitido aos servidores da Microsoft.

- A Microsoft conscientemente projetou seu sistema operacional para fornecer informação sobre a localização geográfica dos usuários e transmitir sua posição aos servidores da Microsoft. O sistema da Microsoft é executado através de sua aplicação para câmeras, que nos dispositivos móveis vem com o Sistema Windows Phone de série.

Na primeira vez que o usuário de telefone celular com Windows 7 abre o aplicativo pré-instalado para a câmera, aparece um quadro de diálogo que pede permissão para marcar de forma automática as imagens com seus dados geográficos.
Mas mesmo que essa solicitação seja negada, o software da câmera segue registrando as coordenadas geográficas do aparelho, sustenta a autora da ação.

O objetivo de seus advogados é alcançar uma ação coletiva que represente todos os usuários de telefones com Windows 7 que busquem que a Microsoft pague uma indenização e termine com esta prática de localização.

Outras marcas

Em maio, a Nokia confirmou, segundo o site britânico Guardian, que grava informações sobre a localização dos telefones com sistema operacional Symbian.

O assunto se tornou polêmico em abril, quando os pesquisadores Alasdair Allan e Pete Warden divulgaram um artigo no site americano de tecnologia O'Reilly Radar com a notícia de que um teste feito por eles revelou iPhones e iPads 3G rastreiam e arquivam detalhes sobre os movimentos de todos os usuários desses.

Depois que a Apple foi acusada pelos especialistas O'Reilly Radar de rastrear e arquivar o movimento de iPhones e iPads 3, o jornal americano Wall Street disse que fez um teste e descobriu que o iPhone coleta dados sobre o movimento dos usuários mesmo quando serviços de localização do aparelho estão desligados.

O jornal publicou ainda que os telefones celulares que possuem o sistema operacional Android, do Google, também estão equipados com um sistema que registra a localização de seus usuários. A publicação destaca uma pesquisa do analista de segurança Samy Kamkar, que testou um aparelho da marca HTC com sistema Android.

De acordo com o Guardian, a Microsoft admitiu há alguns meses, por meio de uma mensagem, que dispositivos equipados com o sistema operacional Windows Phone coletam informações sobre sua localização. O site britânico diz que entrou em contato com a RIM (Research In Motion), fabricante do BlackBerry, para saber se os aparelhos da empresa também fazem esse tipo de registro, mas não obteve resposta. FONTE: FRANCE PRESSE

Guatemala culpa aliens por porquinho mutante

O pessoal de uma pequena vila na Guatemala ficou horrorizado quando viu um porquinho que nasceu por lá nesta semana. O filhote, segundo os habitantes, teria feições humanas (de um humano bem feio, aliás).

A culpa recaiu sobre os aliens porque, na noite em que o bacorinho nasceu, um óvni teria sido visto sobrevoando a comunidade rural guatemalteca de Santa Cruz El Chol.

Laureano Escobar, dono da porca que pariu a ninhada diz que só um nasceu desse jeito e que foi assustador.

- Eu fiquei chocado. Foi uma experiência assustadora. Ele parecia com algumn tipo de criatura alienígena.

Apesar de todo auê em torno da criatura, um representante da agência santária local acredita que talvez haja uma explicação mais simples.

- Nós não sabemos ao certo, mas isso pode ter sido causado por uma disfunção genética ou pela poluição do meio ambiente. FONTE: R7

Vacina injetável deve substituir gotas na prevenção contra pólio, diz médico

As gotinhas usadas normalmente no Brasil para combater a paralisia infantil (poliomielite) podem ser substituídas no futuro pela versão injetável da vacina. A troca está sendo cogitada pelo Ministério da Saúde e é citada por médicos como benéfica pelo fato da injeção não apresentar o risco de reações adversas - como no caso de uma criança de um ano e quatro meses em Pouso Alegre, que pode ter desenvolvido a doença após receber uma dose das gotinhas.

Conhecida como Sabin, a vacina oral contém um vírus atenuado da doença e foi responsável por erradicar a doença no país há 20 anos após campanhas de vacinação, popularizadas no Brasil pelo personagem Zé Gotinha.

No caso de Pouso Alegre, a criança foi diagnosticada pelo médico Walter Luiz Magalhães como portadora de paralisia intensa e flacidez nas pernas e no braço direito - sintomas que podem ter sido causados pelo vírus da poliomielite.

"Especialmente durante a administração das primeiras doses, o vírus pode sofrer uma mutação no intestino e retomar a habilidade de causar a doença", explica Renato Kfouri, médico e presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM) ao G1. "A ideia de substituir vem exatamente por causa deste tipo de notificação."

A troca já foi adotada em países como Estados Unidos, Canadá, Austrália e europeus. A subtituição do uso da Sabin pela versão injetável - conhecida como Salk - é uma orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), mas deveria ser feita somente quando fosse constatada a erradicação total do vírus no mundo.

Apesar da ameaça, os efeitos adversos das gotinhas são raríssimos. Segundo o Ministério da Saúde, a cada 3 milhões de doses orais aplicadas em crianças em todo o mundo, somente uma irá causar poliomielite. No Brasil, foram 46 casos de paralisia infantil pós-vacina nos últimos 10 anos, de um total de 457 milhões de doses aplicadas até hoje no país. No mundo, são 500 casos por ano de paralisia após a vacina Sabin.

O último caso confirmado de contaminação pelo vírus selvagem no Brasil aconteceu na cidade de Souza, na Paraíba, em 1989. O vírus ainda é ativo em 26 países no mundo como Índia, Nigéria e Paquistão.
 
Caso de Pouso Alegre - Sidnéia Branco Teixeira, de 38 anos, afirma que seu filho começou a desenvolver os sintomas da doença em novembro de 2010, dias após receber a terceira vacina administrada por via oral (gotas). Segundo a mãe, Otávio teve febre uma semana após a dose e começou a perder os movimentos da perna 15 dias depois.

Casos de contaminação pela vacina devem ser comunicados obrigatoriamente ao Ministério da Saúde em até 48 horas. Segundo o órgão, no caso da criança de Pouso Alegre, a notificação apenas no dia 12 de agosto. A demora, segundo o órgão, impede ações de vigilância e dificulta saber se a doença - caso seja confirmada como poliomelite - foi causada pelo vírus atenuado da vacina ou por um vírus selvagem.

Ainda que nada pudesse ser feito para reverter a doença, o Ministério da Saúde alerta que comunicar rapidamente poderia servir como um dado de saúde pública importante. A análise das fezes da criança também poderiam ajudar na identificação das causas da paralisia, mas esse procedimento teria de ser realizado rapidamente.
 
Planos para substituição - O Ministério da Saúde anunciou no final de agosto que estudava substituir a vacina em gotas contra a doença pela imunização por injeção. Para o órgão, a vacina Salk - administrada dentro do músculo - é melhor que a Sabin, pois é feita com o vírus morto. O fato do micro-organismo estar inativo impediria o surgimento da poliomielite entre os vacinados.

Mesmo cogitando realizar a substituição, o Ministério da Saúde reconhece que somente a vacinação em gota poderia realizar o trabalho de erradicação da doença no país, já que a aplicação das gotas é muito mais simples e possui a vantagem de imunizar indiretamente toda a população por meio da circulação do vírus atenuado - eliminado na natureza por meio das fezes das crianças que receberam as doses. FONTE: G1

Médico compara experimentos dos EUA na Guatemala aos do nazismo

Detalhes dos experimentos de médicos americanos com pacientes da Guatemala nos anos 1940 fizeram um dos membros da comissão que acompanha as investigações comparar a pesquisa às técnicas empregadas por cientistas da Alemanha nazista.

Uma comissão de inquérito instaurada pelo governo americano revelou nessa segunda-feira que 1.300 guatemaltecos foram infectados por sífilis, gonorreia e outras DSTs em um experimento que visava provar a eficácia da penicilina. Pelo menos 83 pessoas morreram sem assistência.

O presidente do Colégio dos Médicos da Guatemala, Carlos Mejía (foto), diz que o número de infectados pode ter chegado a 2.500, segundo indícios de documentos históricos.

Mejia diz que os documentos mostram a injeção de doses concentradas das bactérias causadora da sífilis no olhos, no sistema nervoso central e nos genitais dos pacientes. Segundo ele, essas são aberrações próprias do regime nazista da Alemanha (1933-1945).

"Isso ocorreu em um contexto em que eles mesmos (EUA) estavam julgando os médicos alemães que haviam feito experimentos com tifo e malária em prisioneiros de guerra", diz.

"Os alemães usaram os poloneses, os russos e os judeus. Os americanos fizeram praticamente o mesmo na Guatemala."

Mejía faz parte da comissão guatemalteca, composta ainda por ministros do governo do presidente Álvaro Colom e representantes da Justiça.

Segundo Mejía, "há evidências suficientes para dizer que houve colaboração entre autoridades americanas e guatemaltecas" durante os experimentos.

Pelo menos nove médicos locais estiveram envolvidos nas pesquisas. Apenas um deles, como mais de 90 anos, continua vivo, mas está desaparecido.

Desculpas - O vice-presidente guatemalteco, Rafael Espada, disse à BBC que o atual governo deve fazer um pedido de desculpas oficial ao povo do país.

O escândalo dos experimentos científicos só veio à tona em 2010, com a publicação de um estudo da historiadora Susan M. Reverby, causando comoção no país centro-americano.

O presidente americano, Barack Obama, pediu desculpas ao colega guatemalteco, classificando as pesquisas de "injustiça histórica, claramente contrária á ética e aos valores (americanos)".

Os experimentos com prostitutas, prisioneiros, órfãos e doentes mentais tinham como objetivo descobrir se havia um comportamento comum nas infecções de DSTs, a fim de prevenir a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis nos soldados americanos estacionados em várias partes do mundo.
Segundo as autoridades dos dois países, a pesquisa foi feita sem consentimento dos pacientes.

'Experimentos do demônio' - Um das possíveis vítimas é Marta Orellana, 74 anos, que diz ter participado de constantes "experimentos do demônio" quando tinha apenas 9 anos de idade. Ela vivia em um orfanato na Cidade da Guatemala e cita médicos locais e "estrangeiros".

O filho de Orellana, Luis Vázquez, disse que só se deu conta da gravidade dos relatos da mãe quando o escândalo estourou, no ano passado.

"Apenas quando escutamos o pedido de desculpas de Obama relacionamos o caso à minha mãe. Tudo fazia sentido: as injeções na genitália, os exames médicos contínuos, a doença", diz.

Efeito continuadoSessenta anos após a pesquisa, muitos guatemaltecos ainda padecem dos experimentos. O Hospital Roosevelt, da capital, examinou recentemente cinco idosos com evidências de que foram vítimas da pesquisa.

"Começamos também a documentar casos em que filhos de afetados foram infectados. Embora não apresentem sintomas de sífilis, a doença continua ativa (em seu organismo)", diz Mejía.

O governo da Guatemala diz que há outros casos de possível contaminação ainda não confirmados.
Duas ações coletivas de vítimas dos experimentos contra o governo dos Estados Unidos já foram impetradas na Justiça do país. Os autores, filhos de possíveis vítimas já mortas, pedem indenização. FONTE: BBC

Brasil ocupa espaço deixado pelos EUA na América do Sul, diz Economist

O Brasil tem ocupado o espaço deixado pelos Estados Unidos na América do Sul, diz artigo publicado nesta sexta-feira na revista britânica The Economist, embora os americanos mantenham "influência e interesse vital na região".

O texto analisa as relações entre os Estados Unidos e a América Latina e conclui que a política americana para a região tem sido prejudicada pelas disputas domésticas no Congresso americano e aberto espaço para outros atores. "O Brasil com frequência tem maior peso em grande parte da América do Sul", diz.

O texto lembra que no início do mandato, o presidente Barack Obama prometeu "uma nova era de parceria” entre as Américas. Mas o fato de Obama ter de lidar com “outras prioridades, tanto no exterior quanto em casa, e eventos na região, como o golpe de Honduras (...), reavivaram velhos debates", diz a Economist.

A revista menciona que em julho, a oposição republicana suspendeu o financiamento dos EUA para a OEA (Organização dos Estados Americanos). "Os conservadores não gostaram (da atitude) do secretário-geral da OEA, o social-democrata chileno José Miguel Insulza".

Inzulza irritou os americanos por suspender Honduras da OEA logo após a derrubada do presidente Manuel Zelaya e por defender a volta de Cuba à organização. Embora a OEA "não inspire muita confiança em Washington", trata-se do único grupo que inclui os EUA, enquanto outros exclusivamente latinos proliferaram nos últimos anos.

Mudança - A Economist também cita os TLCs (tratados de livre comércio) firmados entre os EUA com a Colômbia e o Panamá, que aguardam aprovação do Congresso americano. "Assuntos que importam muito à América Latina – drogras, migração, comércio e Cuba – são hoje determinadas pela política doméstica" dos EUA, diz.

A insatisfação ficou explícita na declaração do presidente do México, Felipe Calderón, que disse que os EUA também eram "responsáveis" pelo atentado de narcotraficantes que deixou 52 mortos em um cassino no país. O governo mexicano cobrou dos vizinhos maior controle no comércio de armas.

"Enquanto os EUA são restringidos por disputas domésticas, a América Latina está mudando rapidamente. Uma década de crescimento econômico, comércio pulsante com a China, democracias mais fortes e o advento de governos de centro-esquerda têm ajudado a fazer a região mais assertiva", diz.

"Em nenhum lugar isso é mais verdadeiro que no Brasil", diz a Economist, ressaltando, no entanto, a relação "distante e desconfiada" entre os dois países, citando a tentativa fracassado de Brasília de mediar a crise nuclear do Irã (sem apoio americano). A boa relação de Obama com Dilma Rousseff, no entanto, pode "construir laços mais estreitos" entre ambos, diz a revista. FONTE: BBC BRASIL

Tigre-da-Tasmânia, caçado até a extinção, não era ameaça, diz estudo

A extinção do tigre-da-tasmânia (Thylacinus cynocephalus) no século 20 pode ter sido apressada por uma convicção popular equivocada: os criadores acreditavam que o marsupial carnívoro era responsável pela morte de ovelhas. A crença estimulou sua perseguição. Entretanto, uma nova pesquisa publicada no periódico científico especializado Zoological Society of London´s Journal of Zoology mostra que o animal tinha mandíbulas tão fracas que suas presas provavelmente não poderiam ser maiores do que gambás. 

"Nossa pesquisa mostrou que sua fraca mandíbula o restringia a caçar presas pequenas e ágeis", diz a autora do estudo, Marie Attard, pesquisadora da Universidade de New South Wales, na Austrália. "Esta é uma característica incomum para um grande predador como este, considerando sua substancial massa de trinta quilos e alimentação carnívora." Ninguém considerava o inusitado, e a associação entre um grande animal carnívoro e a capacidade de abocanhar grandes presas como ovelhas deu suporte à perseguição que culminou em seu desaparecimento. A introdução de cães na região, o desequilíbrio do ecossistema e a caça humana teriam apressado o processo. 

Também conhecidos como lobos-da-tasmânia, os animais do gênero Thylacinos eram os maiores predadores a habitar a Austrália e a ilha de Nova Guiné há mais de 2.000 anos. Durante a colonização europeia na região, no século 19, entretanto, estavam limitados à Tasmânia. Eles podiam ser marrons ou cinzas, com cerca de vinte listras escuras do ombro até o rabo. Sua cabeça, parecida com a de um cachorro ou lobo, era grande e exibia um impressionante maxilar - apesar das pernas e rabos curtos. Tanto a fêmea quanto o macho apresentavam marsúpio, a bolsa externa em que alguns embriões de mamíferos se desenvolvem.  FONTE: VEJA.COM

Falha em Itaipu provoca apagão em 4 regiões do país

Falhas em quatro linhas de transmissão da hidrelétrica de Itaipu provocaram o desligamento de toda a parte brasileira da usina na tarde desta sexta-feira.
De acordo com o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), a falha ocorreu às 16h43 nas linhas entre a usina e uma estação em Foz do Iguaçu (PR). A perda de carga foi de aproximadamente 5.700 MW.
Com o desligamento da usina, foi acionado o Esquema Regional de Alívio de Carga, em que outras geradoras integradas ao sistema elétrico fornecem energia para minimizar o problema. Com isso, a perda de carga real foi estimada em cerca de 3.000 MW.
Segundo o ONS, o religamento da usina ocorreu por volta das 17h13.
Pelo levantamento do ONS até esta tarde, foram registrados apagões no Acre, Rondônia e Mato Grosso, além de áreas das regiões Sul e Sudeste.
No Paraná, a Copel (Companhia Paranaense de Energia) afirma que todas as regiões do Estado foram afetadas e deixaram 350 mil clientes sem energia. FONTE: FOLHA.COM