domingo, 11 de setembro de 2011

Bêbada tira a roupa e leva grana de endinheirados

Natalie M. Behnke estava cansada de viver na dureza. Loira, bonita e simpática, ela não tem emprego e nem residência fixa. Por outro lado, ela bebe - e bebe bastante. 

Em seu último porre, na terça-feira (6), ela pensou em um jeito de tirar uma grana que pudesse chamar de sua. Vendo o tanto de carro caro estacionado na frente de um clube adulto de Clearwater, na Flórida (EUA), ela foi juntando as peças até que conseguiu entrar no lugar.

O clube, chamado Baby Doll, é um dos lugares preferidos dos milionários da terceira idade que vivem na Flórida. Sabe aqueles lugares que aparecem nos filmes, em que as mulheres ficam dançando seminuas (mais “nuas” do que “semi”) enquanto os homens enfiam cédulas de dinheiro em suas roupas íntimas? Pois sim: o Baby Doll é um desses. A diferença é que ele é pra gente rica e, por isso, as notas são maiores. 

Behnke chegou lá, tirou a roupa, fez seu show e ganhou uma bela quantia em dinheiro com sua dança – bem menos discreta do que as dançarinas do Baby Doll costumam fazer. 

Os tiozinhos da plateia foram ao delírio, mas as outras dançarinas não gostaram da brincadeira e deram um aperto da novata, exigindo que ela devolvesse a grana.

Foi aí que descobriram que Behnke não era uma dançarina profissional contratada pela casa e sim uma moradora de rua tentando ganhar uns trocados. 

Behnke foi levada para a cadeia e, ontem, se declarou inocente diante do tribunal. Ela foi liberada depois de pagar uma multa – com o dinheiro que arrancou dos velhinhos. Fonte: R7

Mulheres 'chipadas' para emagrecer preocupam médicos

Dieta e rotina diária de exercícios já não bastam. Em busca de um corpo definido e com pouca gordura, muitas mulheres passaram a recorrer a implantes subcutâneos de hormônios.

É nas academias de ginástica que a mania se espalha. Vendo no aparelho ao lado uma mulher com a imagem considerada ideal e com força de fazer inveja, inevitável perguntar a receita e ir atrás do milagre. Mas se a tática para algumas têm o efeito esperado, para outras traz consequências desastrosas.

'Virou uma febre: todas querem ter o corpo das chipadas, como são chamadas as mulheres que colocam os implantes', conta uma publicitária de Brasília de 22 anos que não quis ter seu nome revelado. Há um ano e meio, ela resolveu aderir à técnica. Nos primeiros meses, tudo correu como esperado: mais músculos, menos gordura. Mas bastou ela ter de fazer uma cirurgia para tudo desandar.

Passado um ano, ela estava às voltas como um grave problema de pele, queda de cabelo, vários quilos a mais e o rosto irreconhecível de tão inchado. Nesse meio tempo, duas idas ao médico responsável pela colocação do implante. 'Ele pedia para eu ter paciência, mudou a dosagem, mas desisti de esperar. Tudo que ganhei nesse período foram três cicatrizes e muita dor de cabeça.'

Sob a pele. Especialista em nutrição esportiva e metabolismo em Brasília, Clayton Neves Camargos diz ter aumentado o número de pessoas que chegam a seu consultório reclamando dos efeitos do hormônio. Principalmente mulheres. 'O equilíbrio hormonal se rompe, problemas até então nunca imaginados aparecem. Além disso, não sabemos qual o efeito do uso dessas drogas a longo prazo', observa.

Inicialmente indicada por um grupo de médicos para mulheres que tentavam fugir da tensão pré-menstrual, a técnica consiste em colocar embaixo da pele pequenas cânulas que secretam uma dosagem de hormônios suficiente para provocar a interrupção do ciclo menstrual.

Depois de um tempo, notando que algumas mulheres ganhavam mais facilmente músculos e ficavam bem dispostas, a técnica passou a ser usada para estética. Entre os hormônios usados está a testosterona, conhecido como masculino, mas que também é encontrado, em menor quantidade, nas mulheres.

'O uso da testosterona é importante em casos específicos: mulheres com baixa produção, principalmente no período pós-menopausa', diz o ginecologista Jefferson Drezett. 'Com finalidade estética, não recomendo. Os efeitos colaterais são muitos.' Entre eles, alteração na voz e no sono e aumento de risco de doenças cardiovasculares.

Três tipos de implantes hormonais estão registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Todos com finalidades precisas, longe da questão estética. O fato de um médico prescrever a droga apenas para ganho de massa muscular não caracteriza uma infração. Mas, segundo a agência, o uso off label (que vai além daquele determinado em bula) é feito por conta e risco do profissional que o prescreve. Se estiver incorreto, ele pode eventualmente caracterizar erro médico. Fonte: O ESTADÃO

E-mail é principal ferramenta da rede para 44% dos internautas brasileiros

A troca de e-mails é a principal atividade realizada por grande parte dos brasileiros que usam a internet com fins particulares, segundo estudo da consultoria Gfk. Além do envio de mensagens eletrônicas, a leitura de notícias, o acesso a sites de busca e às redes sociais também estão entre os principais usos para a ferramenta.

De acordo com estudo da Gfk, a troca de e-mails com familiares ou amigos foi citada por 44% dos entrevistados como o principal uso da internet. A ferramenta surgiu há 40 anos, criada por Ray Tomlinson (foto).

A leitura de notícias, por sua vez, foi a resposta de 40% das pessoas. As redes sociais foram mencionadas como principal uso por 39% dos entrevistados.

Apesar da recente expansão do comércio eletrônico no Brasil, a internet ainda é pouco utilizada com esse fim no país. O uso da web para compras online foi mencionado como principal uso por apenas 9% dos entrevistados.

O tempo de uso da web para fins particulares é de 1 a 2 horas por dia para 40% das pessoas que responderam a pesquisa, de acordo com o estudo da Gfk. Fonte: G1

Brasil pode ter taxa básica de juros de 1 dígito em 2012

Resignado com o novo comportamento do Banco Central (BC), o mercado refez cálculos e ampliou a percepção que o Brasil pode voltar a ter juro de um dígito em breve. Usando modelos de previsão semelhantes aos adotados pelo Comitê de Política Monetária (Copom), alguns economistas preveem Selic abaixo de 10% no início de 2012. E, se a crise externa piorar muito, a taxa poderia cair rapidamente para perto de 5%.

Mesmo sem terem sido convencidos pelas explicações para o corte do juro, analistas passaram os últimos dias refazendo contas para entender o que deve acontecer com a economia comandada por esse 'novo BC'. Nesse cálculo, foi preciso aumentar a dose da influência da crise global, colocar uma porção da promessa do governo de rigor com os gastos, além de incluir uma inédita pitada de ousadia do BC. Feitas as contas, alguns resultados causam espanto.

Uma das estimativas mais surpreendentes é a do banco Credit Suisse, de que a Selic deve cair de 12% para 9% em dezembro - 1,5 ponto a cada uma das duas próximas reuniões, em outubro e novembro. O corte continuaria em janeiro de 2012, quando o juro recuaria para 8,5%.

'Assumindo que a avaliação do Copom sobre o cenário global seja confirmada, mantemos a leitura que a resposta de política monetária mais adequada seria a de implementar um corte de juros expressivo de forma acelerada', diz o economista-chefe do Credit Suisse, Nilson Teixeira, em relatório. Estimativas como essas ainda são minoria no mercado, dominado por previsões que a Selic deve ficar entre 10% e 11% na virada do ano.

A hipótese de redução mais forte presume inflação mais próxima de 6,5% para favorecer o crescimento da economia. E avança no mesmo ritmo em que piora o quadro internacional. Na ata, o BC explica que cortou o juro para reagir ao efeito da turbulência externa, que já equivale a um quarto da crise de 2008. O raciocínio dos analistas é: se piora a tensão na Europa e nos EUA, será preciso uma resposta mais forte, um corte maior do juro.

Na LCA Consultores, o economista-chefe Braulio Borges estima que a possibilidade de o Brasil ter juro de um dígito no início de 2012 é de um terço, mas tende a crescer. 'Se houver calote na Grécia ou se a resistência alemã em ajudar outros países ganhar força, a hipótese aumenta bastante.'

Estudioso dos modelos de previsão usados pelo BC, o professor de economia da USP Fabio Kanczuk admite que ficou impressionado com o resultado da projeção feita para o juro caso os problemas externos piorem. 'Se o Brasil sofrer o mesmo baque, seria preciso derrubar o juro para cerca de 5% para impedir uma depressão profunda da economia. É impressionante', diz ele. Fonte: O ESTADÃO

DICA: Como comprar um computador

Escolher um novo computador pode parecer uma tarefa fácil, dada a quantidade de oferta de novas máquinas, com novas configurações, e a quantidade de ofertas – máquinas cada vez mais novas custando cada vez menos. Isso torna o fator preço, por incrível que isso possa ser, um fator secundário. Especialmente por causa da primeira regra dos equipamentos tecnológicos: não importa o quanto você está pagando por um gadget hoje, ele vai custar menos daqui a seis meses.



Em um cenário como esse, o mais importante a se levar em conta é o uso que você irá fazer do equipamento. Um exemplo rápido: se você precisa de um computador para ver vídeos ou trabalhar com gráficos você vai precisar de um equipamento diferente do que se você precisasse mais de um computador capaz de acessar grandes quantidades de dados rapidamente.


Para facilitar a sua escolha, nós montamos esse guia onde você vai conhecer os principais itens a levar em consideração, e fazer uma compra o mais consciente possível.


1 – Saiba para que você quer o computador
Uma compra consciente está diretamente relacionada com o fato de você saber o uso que você fará do novo computador. Comprar um equipamento para ver vídeos, acessar a internet e usar planilhas e processadores de texto é diferente de comprar um equipamento para editar imagens ou vídeos, ou jogar games de última geração.

Dependendo do uso, vale a pena investir em mais memória RAM, por exemplo, ou uma placa aceleradora de gráficos (GPU) mais avançada, itens que serão explicados mais adiante. O principal é que ter plena consciência desse uso vai inclusive evitar o “canto de sereia” dos vendedores, que podem tentar convencê-lo a levar um equipamento mais caro, mas que não terá absolutamente nenhuma utilidade para você.

No caso da escolha entre um laptop ou um desktop há que se pensar também no uso. Quantas pessoas irão usar o computador? Você precisa de mobilidade ou prefere que seus dados estejam seguros em casa?

Seja qual for o modelo, os itens a seguir ajudarão você na escolha.



2 – A memória RAM
A memória RAM é a responsável pela capacidade do computador de gerenciar programas diferentes ao mesmo tempo – cada programa aberto faz uso de uma parte dessa memória. Isso significa que quanto mais memória RAM, maior a capacidade do computador de gerenciar várias atividades de processamento paralelas.

A maioria das configurações básicas atuais tem 2GB de memória RAM, o que é suficiente para tarefas comuns como navegar na internet ao mesmo tempo em que se edita um texto e se ouve música. Fuja de modelos mais baratos que trazem apenas 512Mb de memória RAM.

A maioria dos programas (inclusive o sistema operacional Windows 7) precisa de mais do que isso para rodar de maneira satisfatória. Eles até rodam em configurações de 1Gb de memória mas a chance de seu computador virar uma carroça com meses de uso é muito grande.

Para jogos e outros programas mais pesados, prefira configurações a partir de 4GB de memória.


3 – O processador

O processador é o coração da máquina. É ele que responde pela velocidade de resposta das funções que exigem grandes cálculos ou acesso a informações armazenadas.

O problema é que atualmente existe uma grande oferta de processadores de alta performance e fica difícil saber exatamente qual é a melhor escolha.

Relativamente baratos e com boa performance, os processadores de dois núcleos (dual core, ou core 2) são uma boa opção.

Prefira os processadores das duas maiores fabricantes: AMD e Intel.

Se você precisa de alta performance (para jogos , por exemplo), prefira os processadores com mais de dois núcleos como os quádruplos AMD Phenon e os da família i (i5, i7) da Intel.

4 – Armazenamento

Espaço é um dos itens tecnológicos mais baratos atualmente. E como espaço para armazenar seus arquivos nunca é demais, você pode optar por HDs de até 1Tb (Terabyte, ou 1000 Gigabytes, aproximadamente) a preços confortáveis.

Uma dica interessante – e segura – é investir em um HD mediano (em torno de 320 Gb) embutido no computador, e em outro HD externo para que você tenha copias de backup de seus arquivos mais importantes em dois lugares diferentes.

Já é possível encontrar HDs externos de 500 Gb por até R$ 300. Outra vantagem é que boa parte dos equipamentos como TVs e Home Theaters de hoje têm entradas USB, permitindo que você rode filmes, música e veja fotos diretamente do HD externo na TV.

5 – Placas Gráficas

As antigas placas de vídeo ganharam um nome pomposo – GPUs, ou Unidade de Processamento Gráfico, ou ainda Aceleradores Gráficos. Sua função é justamente “ajudar” a memória RAM a processar imagens de maneira mais rápida. A indústria lança placas novas periodicamente que permitem gráficos cada vez mais nítidos e rápidos.

Notebooks, netbooks e desktops normalmente vêm com a sua placa de vídeo instalada de fábrica, suficiente para que você desempenhe a maioria das tarefas cotidianas – ver um vídeo na internet ou em um DVD, por exemplo – sem maiores problemas.

No entanto, o desempenho dessas placas cai bastante em programas que usam uma grande quantidade de gráficos como os games mais recentes.

Se esse for o caso e se você estiver comprando um desktop, vale a pena consultar o preço de uma GPU extra. Notebooks já se tornam um caso mais complicado, já que é muito difícil fazer o upgrade desse tipo de placa em um compacto. Nesse caso, existem notebooks que já vêm turbinados para os gamers com placas de vídeo mais potentes e outros itens que melhoram a exibição de gráficos – é o caso dos modelos da linha Alienware, da Dell, ou da série G da Asus. Todos com preços bem salgados.

6 – Portas de Entrada e Saída

Desktops costumam ter um número padrão de portas USB e outras saídas de dados. Já os laptops pedem uma atenção especial. Aqui, mais é melhor, especialmente nos chamados netbooks, que normalmente vêm sem drives de leitura de CDs e DVDs.

Uma saída HDMI também é uma boa pedida, no caso dos notebooks. Ela permite que você conecte seu aparelho à TV para ver filmes – por exemplo – com alta qualidade de som e imagem.

7 – Acessórios

Dependendo do negócio, sobrando um dinheirinho, vale a pena investir em alguns acessórios.

Se você optar por um desktop, pode comprar um monitor maior, e de melhor qualidade. Alguns modelos a partir de 21 polegadas têm inclusive a capacidade de funcionar como uma TV. Eles tem entrada HDMI e RGB que permitem que você ligue – além do computador – conversores de TV à cabo. Os modelos giram em torno de R$ 700.

No caso dos compactos, verifique se você tem drive leitor/gravador de CD/DVD. Caso não exista você pode adquirir um modelo externo. Mas avalie! A oferta é grande e os preços variam muito. Além disso, os drives capazes de ler discos Blu-ray estão com preços em queda – chegando a custar menos de R$ 400.

Finalmente, como já dissemos antes, os drives de armazenamento estão cada vez mais baratos. Independente de comprar um desktop, laptop ou netbook pode ser uma boa ideia colocar um HD externo no pacote, tanto para backup dos seus arquivos como para armazenar filmes, músicas e fotos que poderão ser vistos em outro lugar posteriormente. Fonte: ABOUT.COM

Formação de nuvens pode estar ligada a raios cósmicos

Parece uma teoria da conspiração: 'os raios cósmicos’ do espaço profundo podem estar criando nuvens na atmosfera da Terra e alterando o clima. No entanto, um experimento no CERN, laboratório de física de alta energia europeu, perto de Genebra, na Suíça, está buscando evidências experimentais para isso.

Os resultados, publicados em 24 de agosto na revista Nature, são preliminares, mas eles estão alimentando uma discussão de longa data sobre o papel da radiação de estrelas distantes em alterações climáticas.

Já faz um século que os cientistas sabem que as partículas carregadas pelo espaço bombardeiam constantemente a Terra. Conhecidas como raios cósmicos, as partículas são em sua maioria prótons arrancados de supernovas. Conforme os prótons se espalham através da atmosfera do planeta, eles podem ionizar compostos voláteis, levando-os a se condensar em gotículas no ar, ou aerossóis. As nuvens podem então se formar ao redor das gotas.

O número de raios cósmicos que atingem a Terra depende do sol. Quando o sol está emitindo lotes de radiação, seus campos magnéticos protegem o planeta dos raios cósmicos. Durante os períodos de baixa atividade solar, mais raios cósmicos atingem a Terra.

Os cientistas concordam sobre esses fatos básicos, mas estão menos de acordo em relação a se os raios cósmicos podem ter um grande papel na formação de nuvens e nas mudanças climáticas. Desde o final dos anos 1990, alguns têm sugerido que quando a atividade solar diminui os níveis elevados de raios cósmicos, por sua vez, ela reduz a cobertura de nuvens e aquece o planeta.

Outros dizem que não há evidência estatística para tal efeito.

Lentes polarizadas - ``As pessoas são muito polarizadas, e em minha opinião existem áreas grandes e importantes em que nossa compreensão é pobre no momento’', diz Jasper Kirkby, um físico do CERN. Em particular, ele diz, uma pesquisa relativamente controlada tem sido feita exatamente a respeito de quais efeitos os raios cósmicos podem ter sobre a química atmosférica. Para descobrir, Kirkby e sua equipe estão trazendo a atmosfera para a Terra em um experimento chamado Cosmics Leaving Outdoor Droplets (CLOUD). A equipe preenche uma câmara feita sob medida com ar ultrapuro e produtos químicos que supostamente formam as nuvens: vapor d’água, dióxido de enxofre, ozônio e amônia. Depois disso, eles bombardeiam a câmara com prótons do mesmo acelerador que alimenta o LHC (de Large Hadron Collider, ou 'grande colisor de hádrons’, em tradução livre), o destruidor de partículas mais poderoso do mundo. Conforme os raios cósmicos sintéticos fluem, o grupo cuidadosamente extrai uma amostra da atmosfera artificial para ver o efeito que eles estão tendo.

Os primeiros resultados parecem indicar que os raios cósmicos causam uma mudança. Os prótons de alta energia pareciam aumentar a produção de partículas de tamanho nanométrico da atmosfera gasosa em mais de um fator de 10. No entanto, Kirkby acrescenta, essas partículas são pequenas demais para servir como sementes para as nuvens. ``No momento, ele realmente não diz nada sobre um possível efeito de raios cósmicos nas nuvens e no clima, mas é um primeiro passo muito importante’', diz ele.

Os cientistas de ambos os lados aceitaram os resultados, apesar de chegarem a conclusões diferentes. ``É claro que há muitas coisas para explorar, mas acho que a hipótese dos raios cósmicos/semeadura de nuvens está convergindo com a realidade’', diz Henrik Svensmark, um físico da Universidade Técnica da Dinamarca, em Copenhague, que reivindica uma ligação entre a mudança climática e os raios cósmicos.

Outros discordam - A experiência CLOUD “não está firmando a conexão”, afirma Mike Lockwood, físico espaço-ambiental da Universidade de Reading, no Reino Unido, que é cético. Lockwood diz que as partículas pequenas podem não crescer rápido ou grande o suficiente para serem importantes em comparação com outros processos de formação de nuvens na atmosfera.

``Eu acho que é uma experiência incrivelmente interessante e atrasada", disse o climatologista Piers Forster, da Universidade de Leeds, Reino Unido, que estudou a ligação entre os raios cósmicos e o clima para a mais recente avaliação científica do Painel Internacional sobre Mudança Climática. Mas ao menos agora, ele diz que a experiência ''provavelmente levanta mais perguntas do que respostas``.

Kirkby espera que a experiência vá finalmente responder às perguntas sobre raios cósmicos. Segundo ele, nos próximos anos seu grupo está planejando experiências com partículas maiores na câmara, e eles esperam que enfim gerem nuvens artificiais para o estudo. ''Há uma série de medidas que teremos que fazer que vai demorar pelo menos cinco anos“, diz ele. "Mas no final, nós queremos resolver isso de uma maneira ou de outra". Fonte: THE NEW YORK TIMES

Miss é advertida por não usar calcinha

O "incidente" aconteceu durante uma visita das misses à quadra de uma escola de samba, em São Paulo. A candidata da Colômbia, Catalina Robayo (22) se deixou ser fotografada no melhor estilo Sharon Stone (53) em Instinto Selvagem.

Segundo o jornal britânico Daily Mail, Robayo foi advertida pela organização do concurso. "Nossos supervisores tiveram uma conversa com todas as 89 candidatas sobre como vestir-se adequadamente. E ela (Robayo) negou que estivesse sem lingerie", disse Paula Shugart, presidente da organização do concurso.

A Miss Universo 2011 será escolhida em evento na capital paulista, na segunda-feira, 12. A gaúcha Priscila Machado (25) representa o Brasil na competição. Fonte: CARAS.COM