quarta-feira, 11 de maio de 2011

Menino recebe implante de perna ao contrário nos EUA

Aos dez anos de idade, o americano Dugan Smith mancava muito. Em um acidente, ele quebrou a perna direita e descobriu ser portador de câncer. A doença foi diagnosticada no osso de sua coxa.
O jovem, apaixonado por beisebol, foi submetido a um único e raro tipo de tratamento capaz de evitar a amputação de sua perna e fazer com que o órgão pudesse continuar crescendo. Em vez de usar uma prótese completa ou um osso artificial, os médicos fizeram um corte na parte do meio da perna, giraram a parte inferior em 180º e reconectaram os vasos sanguíneos à parte de cima do órgão. O procedimento, chamado Van Ness Rotation-Plasty, foi feito pelo médico Joel Mayerson, do Hospital James Cancer, no Estado americano de Ohio. Segundo a Sociedade Americana do Câncer, apenas cerca de 400 crianças sofrem de câncer de osso por ano. Por isso, o procedimento feito em Smith é considerado raro. Apesar dos riscos envolvidos nessa cirurgia, o garoto contou à rede de TV americana FOX que permaneceu otimista e calmo durante toda a etapa de recuperação. - Eu não sabia se seria capaz de correr novamente. Eu não sabia se [a cirurgia] iria funcionar, então havia uma centena de coisas passando pela minha mente e eu apenas tentei pensar de maneira positiva. Smith usa uma prótese apenas para se movimentar porque uma perna ficou menor que a outra, mas isso não o impede de praticar seu esporte favorito. Ele já voltou a treinar beisebol na equipe cujo treinador é seu próprio pai, Dustin Smith, que disse tratar o garoto como qualquer outro. - [...] Eu quero que ele seja tratado como qualquer outro garoto jogando beisebol. O menino ainda sonha em se tornar um jogador da liga oficial americana de beisebol. A única diferença, segundo Dugan, é que ele será o primeiro a ter uma prótese na perna. - Só porque você tem uma prótese na perna não significa que você não pode fazer isso, então eu entro em campo e faço. FONTE: R7

Terremoto mata ao menos quatro no sudeste da Espanha

Um terremoto de magnitude superior a 5 atingiu o sudeste da Espanha nesta quarta-feira, causando danos materiais principalmente na cidade de Lorca, onde várias construções desabaram, informaram a imprensa e o serviço de sismologia. Ao menos quatro morreram, segundo agências de notícias.
"Infelizmente podemos confirmar quatro mortes devido a desabamentos", disse o prefeito de Lorca, Francisco Jodar, à rádio local Ser. De acordo com o jornal espanhol "El Pais", os mortos já chegam a sete. A TV italiana exibiu imagens de construções antigas, incluindo uma torre, que desabaram em Lorca, pequena cidade, localizada 50 km a sudoeste de Múrcia. O sismo, registrado às 18h47 (13h47 de Brasília) na região de Lorca, foi precedido de um primeiro tremor às 17h05 (12h05 de Brasília), de magnitude 4,4. Segundo o "El Pais", o epicentro foi próximo da localidade de Tercia, a cerca de 5 a 10 quilômetros da área urbana e próximo da rodovia de Múrcia. Várias localidades da área sentiram o tremor -- entre elas Mazarrón, Cartagena e Águilas-- e também as Províncias de Almería e Albacete. Algumas estradas e ruas sofreram danos, e por isso autoridades locais recomendaram precaução para que não haja mais vítimas. A Unidade Militar de Emergências foi mobilizada e o hospital Rafael Méndez de Lorca foi parcialmente esvaziado.
Várias pessoas correram para as suas devido por meio de novos tremores. "Sentimos um movimento fortíssimo, muito barulho, e ficamos com medo", disse o morador Juani Avellaneda ao "El Pais". FONTE: FRANCE PRESSE

Menina sobrevive após ser atingida por raio em janela de casa

Uma menina britânica de dez anos sobreviveu sem grandes ferimentos após ser atingida por um raio na sua casa, na cidade de Merthyr Tydfil, no País de Gales (ao leste da Inglaterra). Na última segunda-feira, Erin Moran estava sentada no peitoril da janela de seu quarto, lendo e olhando a tempestade, quando um raio atingiu a janela. "Eu só achei que tinha visto um relâmpago, mas quando vi que estava tremendo, percebi que tinha sido atingida por um raio. Foi muito assustador. Meu corpo inteiro estava formigando", contou Erin. Em seguida, a menina foi contar aos pais o que havia acontecido. Foi aí que eles notaram uma marca em seu braço e um ponto vermelho no pé, por onde a energia teria saído. "Todo mundo com quem falamos, os médicos no hospital, ficaram completamente chocados. Primeiro, por causa da marca no ombro, depois por ela estar tão bem e saudável logo depois", disse o pai da menina, Mark Moran. A janela do quarto de Erin é o ponto mais alto da rua onde ela mora. Um bombeiro local, Matt Jones, disse que a Erin poderia ter ficado com "ferimentos internos graves, queimaduras sérias no corpo, mas a menina teve muita sorte e não sofreu nada disso". Para relembrar o incidente incomum, Erin ganhou de uma prima um cordão com um pingente que tem o desenho de um raio e a data em que ela foi atingida. FONTE: BBC BRASIL

Roubo de obras de arte da Cidade Proibida constrange China

Sete obras de arte foram roubadas do Museu do Palácio Imperial, dentro da Cidade Proibida, em Pequim, na China.
Em 20 anos, este é o primeiro roubo ao local --a polícia já estaria procurando um suspeito de 27 anos. Os objetos foram roubados de um dos locais históricos mais importantes da China. Segundo notícias divulgadas, um homem teria entrado no complexo da Cidade Proibida abrindo um buraco em um dos muros. O museu fica dentro da Cidade Proibida, a casa dos imperadores chineses durante as dinastias Ming (entre os séculos 14 e 17) e Qing (entre os séculos 17 e 20). O complexo --formado por palácios, jardins e pátios -- se transformou em museu em 1921, depois da queda do último imperador chinês, Puyi, uma década antes. As obras roubadas, que estavam emprestadas ao museu, datam do início do século 20 e valeriam milhões de dólares. Entre os objetos, estão uma bolsa e caixas de maquiagens para mulheres e artefatos com pedras preciosas. CONSTRANGIMENTO - O roubo pode se transformar em um episódio constrangedor para os responsáveis pela administração do Museu do Palácio Imperial. Uma autoridade informou que houve falha na segurança. "Certamente, se algo assim pode acontecer, apenas podemos afirmar que nosso trabalho não foi eficiente o bastante", disse Feng Nai'en a jornalistas. A investigação, que já teve início, vai averiguar se melhorias podem ser feitas no local. O museu está analisando o acervo para verificar se outros objetos foram levados. O mais constrangedor para as autoridades chinesas talvez seja o fato de que os objetos roubados sejam obras emprestadas de uma coleção particular de Hong Kong. O jornal "Beijing News" informou que o museu de Hong Kong onde as peças ficavam, o Liangycang, não tinha seguro para os objetos, pois acreditava que eles estariam seguros em Pequim. FONTE: BBC BRASIL

Coreia do Sul: Saias mais curtas levam província a querer "tampar" carteiras escolares

Autoridades de ensino da província de Gangwon, na Coreia do Sul, anunciaram planos de instalar tábuas na frente de todas as carteiras escolares da região, depois de constatar que as saias das alunas encurtaram de 10 a 15 centímetros na última década.
Nesta quarta-feira, a Câmara Legislativa de Gangwon se reunirá para decidir se aprova a transferência de fundos para a renovação dos móveis, que deverá custar 700 mil dólares (cerca de R$ 1,1 milhão). O Conselho Educacional da província quer colocar tábuas em pelo menos 50 mil carteiras escolares nos próximos meses, para "ajudar os estudantes a sentarem mais confortavelmente na sala de aula". Um oficial do Conselho Educacional disse à imprensa que a ideia de prender tábuas nas carteiras escolares diante das pernas tem o apoio dos professores locais, que querem evitar "mal entendidos desnecessários". No entanto, a proposta não tem o apoio da Federação de Professores da Coreia do Sul, que publicou uma nota dizendo que a mudança é um desperdício de dinheiro. Segundo a Federação, o assunto seria resolvido mais facilmente se as escolas forem mais rigorosas com as regras sobre os uniformes escolares. FONTE: BBC BRASIL

Pai e filha morrem em acidente anos após escaparem de avião em chamas

Um pai e sua filha morreram em consequência da explosão do avião monomotor em que estavam, quatro anos depois de sobreviver por pouco a uma acidente do mesmo tipo.
Elzie Warren, de 70 anos, e sua filha Phyllis Jean Ridings, de 54 anos, voavam em um avião experimental a caminho de um evento na cidade de Temple, no Texas, quando perceberam fumaça no assento do piloto. Warren e Phyllis tentaram voltar para o aeroporto de Houston e fazer um pouso forçado, mas o monomotor modelo Ravin 500 explodiu, matando os dois. Investigadores da Federação Americana de Aviação e do Conselho de Segurança Nacional do Transporte ainda tentam determinar a causa do acidente. ACIDENTE ANTERIOR - Em 2007, eles também voavam em um avião experimental, de montagem caseira, quando um incêndio no motor os forçou a pousar em um campo de feno. Warren, que tinha uma empresa de motores para aviões experimentais, e Phyllis Ridings, uma corretora de imóveis, escaparam da aeronave, que foi destruída pelo fogo. Na época, Ridings disse ao jornal Houston Chronicle que dava "todo o crédito (por terem escapado ilesos) a Deus e ao talento de piloto de meu pai". FONTE: BBC BRASIL