terça-feira, 29 de novembro de 2011

Conrad Murray é condenado a quatro anos de prisão pela morte de Michael Jackson

Condenado por homicídio culposo (não intencional) do cantor Michael Jackson, o cardiologista Conrad Murray, 58 anos, recebeu sentença de quatro anos de prisão. A pena do médico foi divulgada nesta terça-feira (29), em Los Angeles, pelo juiz Michael Pastor.

Assim como no julgamento, que durou seis semanas e foi até o dia 7 de novembro, Murray ouviu o veredicto com a expressão imóvel. A acusação voltou a dizer, em uma espécie de resumo do caso, que o cardiologista foi responsável pela morte do cantor e que abandonou Michael no momento em que ele mais precisava de cuidados médicos.

Jackson sofria de insônia crônica, e precisava do auxílio de calmantes para dormir. O resultado da necropsia do cantor, que morreu em 25 de junho de 2009, apontou como causa da morte uma overdose provocada pela mistura de lorazepan e propofol.

A defesa afirmava que Michael provocou a própria morte, ao aproveitar a ausência temporária do médico para tomar uma dose extra de medicação e anestésicos. 

Antes do anúncio da decisão do júri, uma multidão se reunia na entrada do tribunal com placas de apoio e condenação a Murray. Em uma delas, lia-se: "Murray, queime no inferno!"

O grupo de 12 jurados chegou ao veredicto da condenação unânime após menos de nove horas de deliberação. 

Numa rápida entrevista após o anúncio da decisão, o promotor David Walgren agradeceu o juiz e os jurados. Também citou a família Jackson, que "sofreu a perda de um filho, de um pai, de um irmão".

Familiares do cantor emitiram um comunicado por volta das 20h desta segunda. "Esperamos este momento por muito tempo, e não pudemos segurar as lágrimas de alegria no tribunal. Mesmo que nada possa trazer nosso filho de volta, a justiça finalmente foi feita!"

O comunicado continua. "Não vemos a hora de ir para casa e dividir esse dia com as crianças de Michael."

Segundo a rede de TV Fox News, os familiares do cantor choraram ao ouvir o veredicto. La Toya Jackson, irmã do cantor, falou à Associated Press na saída do tribunal, e disse que "Michael estava olhando por nós".

A expressão "Conrad Murray culpado" se tornou um dos assuntos mais comentados no Twitter.

Segundo o site TMZ, citando fontes policiais, Murray receberá proteção especial enquanto estiver na prisão. Ele será mantido em uma cela individual, acompanhado por um agente responsável por monitorar suas atividades. FONTE: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: