quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Os 4 maiores erros de Albert Einstein

Quando estiver em suas aulas de física no colégio, lembre-se de que até mesmo Albert Einstein já cometeu equívocos. Alguns deles foram bem graves e fizeram com que o trabalho do cientista ficasse parado por mais de três anos (até que todos os pontos fossem finalmente equilibrados). Confira agora alguns dos maiores erros que um dos maiores gênios do mundo cometeu em sua carreira.

1. Tentar unir coisas demais

Einstein ficou muito conhecido por unir uma série de conhecimentos que ninguém havia pensado em conectar. Isso aconteceu com a Teoria da Relatividade, por exemplo, quando o cientista conseguiu agregar massa, energia, tempo e espaço em uma única e complexa teoria. Mas esse tipo de resultado só foi conseguido depois de muitos anos de estudo. No começo de sua carreira, o físico não acertava tanto.

Em um de seus primeiros artigos, Einstein tentou juntar a segunda lei da Termodinâmica (que diz que o calor tende a passar sempre do mais quente para o mais frio) com leis da mecânica. Por meio de cálculos de probabilidade, disse que um pequeno pacote de calor poderia ser responsável por aquecer um ambiente inteiro. O problema é que os conceitos de mecânica não foram bem empregados (e as derivações termodinâmicas para mecânica já haviam sido feitas).

2. Separar tempo de espaço e alterar apenas um

As teorias da Relatividade não são muito simples para quase ninguém. Na verdade, nem mesmo para Albert Einstein elas eram fáceis de serem entendidas. No começo de seu trabalho, o físico tentou estudar uma equação de relações curvas de Espaço-Tempo. Para ele, a equação provava que partículas com velocidades diferentes, deveriam ser afetadas por acelerações diferentes.

Einstein conseguia entender que tanto o tempo quanto o espaço realizavam curvas sobre os objetos com massa, mas tentava alterar apenas um dos dois em seus cálculos. Para piorar, um de seus assistentes (que deveria ser o grande nome da matemática, no caso) também errou os mesmos cálculos. Foram anos de manipulação matemática e frustração, até entenderem que havia algo errado.

3. Einstein não acreditava em Buracos Negros

Em 1916, pouco após publicar seus primeiros tratados sobre a Relatividade, Einstein recebeu cartas de um cientista alemão chamado Karl Schwarzschild. Nos documentos, Schwarzschild afirmava que a geometria do espaço seguia padrões curvilíneos, o que seria um dos motivos para que os planetas seguissem órbitas ao redor das estrelas.

Estava tudo bem com as teorias, até que Einstein percebeu que no centro das curvas existiam grandes quantidades de matéria e distúrbios de gravidade. Seria um local diferente, onde tudo pode ser destruído. Einstein não acreditava que isso fosse possível, negando a existência de buracos negros, que seriam descobertos anos depois.

4. Ele achou que estava errado

Na sua Teoria da Relatividade, Einstein afirmou que o universo estava em constante expansão. Depois, relendo seus trabalhos, passou a dizer que as afirmações anteriores não condiziam com a realidade, pois o universo deveria estar em modo estático. Ele passou um bom tempo tentando procurar falhas em sua lógica inicial, até que criou a variável "Lambda", que poderia manter o universo em expansão, mas também poderia mantê-lo estático.

Em resumo, há quem diga que o Lambda tenha sido utilizado para que Einstein pudesse satisfazer as vontades dos outros cientistas sem negar suas outras vontades. Anos depois, ficou provado que o universo estava realmente em expansão constante. Ou seja, Einstein estava certo no começo, mas ao achar que estava errado, ele errou. fonte: TECMUNDO

CARNAVAL 2012: Unidos da Tijuca é a campeã do Carnaval do Rio de Janeiro

A escola de samba Unidos da Tijuca foi eleita campeã do Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro 2012. O resultado saiu após as leituras das notas, na tarde desta quarta-feira (22), na Praça da Apoteose. Apesar de a disputa ter seguido apertada, a agremiação se manteve à frente o tempo todo, brigando com Salgueiro (2ª colocada) e Vila Isabel (3ª). 

As escolas Renascer de Jacarepaguá e Porto da Pedra foram rebaixadas do Grupo Especial.

Este é o terceiro campeonato da Unidos da Tijuca no Carnaval carioca. Seu primeiro título veio em 1936, e depois passou por um longo jejum até faturar o bicampeonato, em 2010. No ano passado, ficou em 2º com a homenagem a Zé do Caixão em "Esta Noite Levarei Sua Alma".

Neste ano, Luiz Gonzaga e a cultura nordestina foram o tema da agremiação tijucana, que entrou na avenida às 3h da madrugada da última terça-feira (21), com 3,5 mil componentes, 34 alas e sete alegorias do carnavalesco Paulo Barros.

Curiosamente, depois do desfile, Barros admitiu que não estava completamente satisfeito com o enredo. Para ele, o desfile foi "a contento".

"Tenho preferência por enredos autorais, mas a partir do momento que foi decidido, devo abraçar a causa. Quando tenho algo próprio, as ideias vêm com mais rapidez", disse Barros. Ele pretende tirar férias antes de voltar ao trabalho. 

"Não foi difícil convencer o Paulo", disse Fernando Horta, presidente da escola vencedora. "A gente tem um bom diálogo, e eu sempre aceitei o que ele quis. Algum dia ele teria que aceitar uma vontade minha. A Tijuca fez um desfile difícil e altamente técnico", disse. Horta chegou à quadra da escola pouco antes das 19h, levando o troféu da campeã.

"A Bateria foi nota 10 mais uma vez. Tem algumas pessoas a quem eu queria dedicar esse título: a comunidade do Borel e aos meus 272 ritmistas que entenderam a nossa proposta e que muitas vezes tiveram que abdicar de suas famílias para ensaiar e o resultado foi esse: a escola campeã novamente", disse o mestre da bateria Casagrande, da Unidos da Tijuca.

Jorge Calado, um dos compositores do samba enredo da escola, continuou: "Ano passado, coroaram o rei Roberto Carlos. Esse ano, nós coroamos o Rei do Baião. Que é muito maior. O nosso Rei Luiz Gonzaga." 

A rainha da escola, Gracyanne Barbosa disparou elogios ao carnavalesco e à família do presidente pelo Twitter. "Parabéns Paulo Barros, surpreendeu mais uma vez. Família Horta parabéns. Meu mestre Casão, sem palavras." Gracyanne e seu marido, o cantor Belo, são aguardados na festa da quadra.

Cerca de dez mil pessoas são esperadas na quadra da Unidos da Tijuca. fonte: UOL