sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Exposição em Paris revela a beleza oculta das aranhas

Uma exposição dedicada exclusivamente às aranhas está em cartaz no Museu Nacional de História Natural de Paris.
Segundo os especialistas, ter algumas aranhas em casa pode ser útil. Elas funcionam como inseticidas naturais já que comem os insetos a seu redor. 
Há décadas cientistas estudam as teias de aranhas, feitas de fios mais resistentes que o aço, e tentam produzir a seda em maior escala. O objetivo é desenvolver materiais revolucionários para a medicina e engenharia.
Os organizadores querem que os visitantes conheçam melhor o fascinante universo das aranhas e derrubem preconceitos sobre esses animais que apareceram na Terra há mais de 500 milhões de anos.

"As pessoas conhecem muito pouco, mas se sentem atraídas por tudo o que é relacionado às aranhas", diz o especialista Frédérik Canard, curador da mostra.
A exposição dedicada exclusivamente às aranhas está em cartaz no Museu Nacional de História Natural de Paris. Os organizadores querem que os visitantes conheçam melhor o fascinante universo das aranhas e derrubem preconceitos.
As aranhas são capazes de viver em condições inóspitas. Algums sobrevivem debaixo da terra ou da neve e até na água. Os organizadores da exposição dizem ainda que não é preciso temê-las. Das 41 mil espécies conhecidas no mundo, apenas uma dezena possui um tipo de veneno perigoso para humanos.
A exibição revela dados e características deste predador eficaz e fala de seu importante papel na cadeia alimentar, mas também aborda crenças e mitos envolvendo as aranhas em diversas partes do mundo.

Em partes da África, por exemplo, elas representam sabedoria e inteligência, enquanto mulheres na Sibéria as comem para "aumentar sua fertilidade". A exibição vai até o dia 2 de julho de 2012. Fonte: G1

1,6 mil haitianos receberam visto para trabalhar e estudar no Brasil em 2011

O Ministério da Justiça (MJ) divulgou, nesta sexta-feira (6), que 1,6 mil haitianos, que entraram ilegalmente no país, tiveram sua situação regularizada após a emissão de vistos humanitários em 2011. O documento é emitido pelo Conselho Nacional de Imigração do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e permite que os estrangeiros possam trabalhar e estudar no Brasil.

Segundo o MTE, 634 haitianos receberam o visto entre janeiro e setembro de 2011 -- último período com dados analisados e concluídos pelo ministéro. Destes, 397 estão no Amazonas, 207 no Acre, 14 em São Paulo, três no Tocantins e 13 em outros estados.

Ainda de acordo com o Ministério da Justiça, estima-se que cerca de quatro mil haitianos tenham entrado no Brasil em 2011. Outros dois mil imigrantes do Haiti entraram com processo para obter o visto humanitário e são analisados pelo MJ e pelo MTE.

O Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), do Ministério da Justiça, informou que os haitianos não podem ser considerados como refugiados, pois não estão enquadrados na Convenção de Genebra, de 1951, e na lei nº 9.474/97, do Brasil. Eles são tratados como imigrantes sob caráter humanitário.

SITUAÇÃO NO ACRE -  Segundo a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Acre, cerca de 500 haitianos entraram no período entre Natal e Ano Novo. O governo acriano solicitou ajuda ao governo federal para prestar assistência humanitária aos haitianos. Foram doadas, de acordo com o Ministério da Justiça, 14 toneladas de alimentos. Destas, oito toneladas já foram entregues, segundo as autoridades do Acre.

O Ministério da Justiça informou que a Polícia Federal está monitorando esses haitianos que entraram no país no fim de ano e começo de 2012. A maioria deles fica em Brasiléia e em Epitaciolândia. "Hoje, temos 1.250 haitianos no Acre. Eles recebem três refeições diárias, mas conseguimos dar alojamento para 80 deles, a maioria mulheres com crianças e idosos. Todos ficam em uma pousada alugada pelo governo estadual", disse Nilson Mourão, secretário de Justiça e Direitos Humanos do Acre.

De acordo com ele, 2,5 mil haitianos já passaram pelo Acre desde fevereiro de 2011. "Assim que consquistam o visto, eles procuram seus destinos no país. O Acre não é o destino final deles, pois muitos querem ir para Rondônia, Santa Catarina e São Paulo", afirmou Mourão.

Segundo o secretário, os haitianos que vão para Rondônia seguem para o estado vizinho para trabalhar nas usinas de Jirau e Santo Antônio. "Quem segue para Santa Catarina são procurados por empresas de construção de piscinas. Em São Paulo, são requisitados para a construção civil", disse Mourão.

CAMINHO ATÉ O ACREOs haitianos que deixam Porto Príncipe, capital do Haiti, passam pela República Dominicana, seguem pelo Panamá e Equador e desembarcam em Lima, no Peru. No país peruano, os haitianos viajam para Puerto Maldonado.

Outro caminho feito por eles é pela cidade boliviana, Cobija. "Tanto de Puerto Maldonado como de Cobija, eles entram por Brasiléia e Epitaciolândia. Para a primeira cidade acriana, o acesso é por uma ponte. Para a segunda, apenas uma pequena rua separa os dois países. Felizmente, a PF está aumentando o efetivo e a fiscalização no trecho, dificultando a entrada de novos imigrantes ilegais", disse Mourão.

De acordo com o secretário, os haitianos preferem ficar no Brasil do que nos países vizinhos como Bolívia e Peru. "Eles relatam que sofrem violência física e sexual, roubo e extorsão. Por isso eles praticamente correm para cá. O perfil dos haitianos é diferentes de outros que costumamos ver. Eles têm estudo, eram qualificados profissionais quando viviam no Haiti e podem ser bem aproveitados para diversas áreas de produção no país". Fonte: G1

Foto de catálogo de roupas infantis cria polêmica ao mostrar homem nu

A loja de departamentos francesa La Redoute, que atua em vários países, provocou polêmica após uma foto de divulgação do catálogo de roupas infantis mostrar um homem nu ao fundo. A rede retirou a imagem de seu site e pediu desculpas, segundo o jornal "The Sun". Fonte: G1

Após ser capturado, peixe de quase 2 metros vira atração na China

Um peixe de 1,92 metro de comprimento e 104 quilos foi capturado em um reservatório em Huzhou, na província chinesa de Zhejiang. O pescador Wang Baiping, de 60 anos, disse que era a maior que já tinha visto. Por conta do tamanho, o peixe foi levado para um resort local onde está sendo exibido como atração turística. Segundo o especialista Yuan Leha, o peixe é uma carpa negra e deve ter cerca de 20 anos de idade, segundo o site "Hangzhou.com.cn". Fonte: G1

'Super-heroína' sexy é flagrada nas ruas da capital chinesa

´Super-heroína' usa máscara e roupa preta que realça as curvas de seu corpo.
Uma 'super-heroína' sexy tem ajudado pessoas nas ruas de Pequim, na China. A mulher usa máscara e uma roupa preta que realça seu busto. Ela foi vista na véspera de Natal entregando comida e roupas nas ruas de Pequim, segundo o site chinês "News 163". Fonte: G1




Novo Chrome carrega páginas enquanto usuário digita endereço

O Google liberou para download versão de teste do navegador Chrome com novas funções de velocidade e segurança. O anúncio da edição beta foi feito nessa sexta-feira (6), por meio do blog oficial do programa.

Enquanto o usuário digita o endereço de um site, o navegador carrega páginas relacionadas, sem exibi-las. Assim, em teoria, ao teclar "Enter" o site aparecerá mais rapidamente.

A nova função de segurança é uma espécie de antivírus: o navegador analisa alguns arquivos executáveis que o internauta tenta baixar, como instaladores de programas e jogos e os checa com uma lista. Se eles têm vírus ou se vêm de sites suspeitos, recomenda que o usuário não faça o download. A lista de programas e endereços maliciosos a serem evitados deve aumentar nas próximas versões, diz o Google.

O Google reforça que a nova ferramenta não substitui outras medidas de segurança e pede cautela ao baixar arquivos. Fonte: G1

Compositora de 'Ai se eu te pego' conta trajetória do hit antes da fama

Uma brincadeira com os dançarinos durante suas apresentações nas praias de Porto Seguro, na Bahia, rendeu a Sharon Acioly um dos maiores sucessos de sua carreira. A música "Ai se eu te pego" ficou mais conhecida na voz do cantor Michel Teló, mas já foi gravada pela banda de forró baiana Cangaia de Jegue, pelo grupo Garota Safada e já virou hit na internet em um vídeo que mostra soldados que seriam israelenses dançando. O que poucos sabem é que antes do sucesso, a composição já teve outras versões e chegou a ser registrada com o título "Assim você me mata".

"Eu costumava apresentar os dançarinos chamando-os até a frente do palco e brincava com a plateia ensinando o refrão para as meninas cantarem para eles. Era em ritmo de funk, 'nossa, assim você me mata'", conta Sharon Acioly, que ficou conhecida nacionalmente com a "Dança do quadrado", que estourou em 2008.

Sharon revela que ao perceber que a brincadeira tinha caído no gosto popular resolveu transformá-la no refrão de uma música que escreveu para homenagear dois dos seus dançarinos. "A primeira estrofe era para 'Rafael do Creu', já a segunda parte foi feita para Jonatan", completa.

Um videoclipe chegou a ser produzido por Sharon em meados de 2009 para divulgar a composição na internet, mas segundo a artista não deu o resultado esperado (veja ao lado).

A versão conhecida pelo público de "Ai se eu te pego" surgiu quando Antônio Dyggs, empresário e compositor, entrou em contato com Sharon e apresentou uma nova letra para o refrão criado por ela, em ritmo de forró. "Eu adorei a versão e nós registramos juntos. Logo a música fez o maior sucesso em Feira de Santana [município baiano]", lembra Sharon.

Em 2010, a Cangaia de Jegue foi a primeira banda a gravar a música (veja ao lado). O vocalista Norberto Curvello conta como o grupo foi beneficiado pela fama do hit: "Estamos tirando o melhor de tudo isso. Na Bahia a música já era conhecida e quando as pessoas veem ela sendo tocada nacionalmente associam ao Cangaia de Jegue. Quem não conhecia nossa versão acaba conhecendo, porque pesquisa, aparecemos nas buscas pela internet. Depois desse sucesso, associado a outras músicas como 'Bolo doido' e 'Red Label ou Ice', estamos fechando contrato com uma grande gravadora".

Em 2011, Michel Teló conheceu a música ao ouvi-la durante a apresentação de uma banda de forró em Salvador. "A produção dele foi atrás da banda interessada em colocar a música em ritmo sertanejo. Nós fomos contatados e firmamos um contrato. A equipe dele é supercorreta e recebemos nossos direitos autorais tudo certinho", diz Sharon.

PERFIL -  Aos 41 anos, Sharon se define como "uma apresentadora que canta". Criada no Rio de Janeiro, Sharon conta que nasceu nos Estados Unidos durante uma turnê de seu pai. "Boa parte da minha família é envolvida com música, cresci nesse meio", revela.

Hoje Sharon avalia que consegue "viver de música", mas admite que precisa de algumas estratégias para o período de "vacas magras". "Trabalhar com música é muito instável. Um dia você tem muitos shows, em outro já foi trocado. Uns conseguem viver da música, outros não. Entre as precauções, costumo investir em imóvel, para ter alguma segurança. Pelo menos teto para morar não vai faltar!", brinca.

A apresentadora diz que foi pioneira na implantação da animação de praia em Porto Seguro, que costuma reunir centenas de pessoas à beira do mar. Foi trabalhando com animação nas praias que Sharon conheceu a "Dança do quadrado", que se tornou um hit e lhe rendeu algumas apresentações na televisão.

"Minha primeira participação em um programa de TV foi no Caldeirão do Huck. Foi um verdadeiro sonho para mim, Luciano Huck é uma das personalidades nas quais me espelho. Os meus dançarinos são para mim como as 'coleguinhas' [assistentes de palco do programa], tento promovê-los, para que também tenham uma carreira", diz.

A apresentadora Xuxa Meneghel é outra referência para Sharon, que adaptou diversas brincadeiras da artista para as animações praticadas nas praias baianas. "Sempre baseei meu trabalho de palco em Xuxa. Enquanto minhas amigas queriam ser paquitas eu esperava abrir vaga para ser Xuxa!", diverte-se.

Sobre os projetos para o futuro, Sharon diz que sonha em ser apresentadora de TV e que pretende investir mais em sua capacitação profissional, fazendo cursos de dança, música e aprimorando a dicção. "Estou saindo do grupo do qual fiz parte durante muitos anos em Porto Seguro e vou passar um período em Salvador, curtindo umas férias e investindo em mim", conclui. Fonte: G1

Mosquito da dengue já resiste a inseticida, mostra estudo

A lógica de que exagerar na dose de analgésicos pode tornar a pessoa mais resistente à dor se aplica ao veneno para o controle do mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da dengue.

Uma pesquisa da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de Botucatu aponta que o emprego excessivo de inseticidas, tanto o aplicado pelas prefeituras quanto os usados em casa, induz o mosquito a ter uma resistência genética maior ao veneno.

O trabalho fez o mapeamento genético de 95 mosquitos em sete cidades paulistas, com diferentes incidências de casos de dengue.

Em laboratório, também foi avaliado como o organismo das larvas do inseto respondia ao veneno.



MAPEAMENTO - A resistência dos insetos a diferentes venenos já vem sendo mapeada pelo Ministério da Saúde e por órgãos estaduais. Em São Paulo, o acompanhamento é feito pela Sucen (Superintendência de Controle de Endemias).

O estudo também toma por base a série histórica dos dados de resistência, catalogados desde 1996 em diferentes cidades pela Sucen.

A estimativa aponta, por exemplo, que, enquanto em Marília, com poucos registros de dengue, os inseticidas públicos matavam ao menos 80% dos mosquitos, em Santos a taxa de sucesso chegava à metade em alguns casos.

"É preciso periodicamente analisar a eficácia, porque a resistência é um processo. O que é bom hoje pode não ser no próximo verão", diz Maria de Lourdes Macoris, que trabalha na Sucen de Marília e é autora do estudo.

Em laboratório, foram selecionadas cerca de 150 larvas do mosquito para cada cidade estudada. Nessa fase, a da análise bioquímica, o metabolismo das larvas mais resistentes ao inseticida mostrou maior atividade das enzimas do grupo das esterases, ligadas à capacidade de neutralizar o veneno.

O estudo também analisou o material genético de 95 mosquitos, nascidos de ovos obtidos em cada um dos municípios escolhidos.

Segundo a pesquisadora, o material genético de cada grupo de mosquito variou muito, o que revelou um baixo fluxo gênico, ou seja, pouca mistura entre as diferentes populações do inseto.

VARIADO - Como a genética do Aedes revelou ser muito variada de uma localidade para outra, isso indica, de acordo com Macoris, que o mosquito tende a se estabilizar em cada local e a desenvolver diferentes níveis de resistência a inseticidas, conforme a exposição do animal à substância.

Órgãos públicos já controlam o veneno, diz a pesquisadora, mas a orientação é que, dentro de casa, o uso seja moderado. "Ainda existe essa cultura nas pessoas de acreditar na eficácia do inseticida em casa", afirma.

O Ministério da Saúde também alerta para o uso doméstico exagerado de inseticidas contra o mosquito.

Há 12 anos, o governo criou um sistema de monitoramento da eficácia dos venenos aplicados. Vinte cidades paulistas foram selecionadas.

A cada dois anos, as prefeituras recolhem ovos do mosquito para serem analisados em laboratórios da rede pública de saúde. O veneno é trocado sempre que a taxa de resistência fica muito alta.

Suécia reconhece igreja do Ctrl+C e Ctrl+V como religião

Logo da Igreja do Kopimismo, reconhecida na Suécia
A Igreja do Kopimismo (Church of Kopimism), religião que tem como base o compartilhamento de informações, foi formalmente reconhecida pelo governo da Suécia.

Kopimi, em inglês, é pronunciado copy me --ou me copiem. É um selo formulado para ser o oposto do copyright, que dá permissão para que o conteúdo seja copiado e disseminado sob qualquer propósito, comercial ou não.

A seita foi criada pelo estudante de filosofia Isak Gerson, 19. Além dele, também aparece como fundador da religião o estudante de economia Gustav Nipe, 21 --ele também é um participante ativo do Partido Pirata da Suécia.

Em seu Twitter (@isakgerson), Isak escreve com ares de profeta. "Um décimo dos arquivos de todos deveria ser compartilhado", disse.

Os "kopimistas" acreditam que toda informação compartilhada tem mais valor e é sagrada. Os símbolos da religião são o Ctrl+C e o Ctrl+V.

O reconhecimento protege e garante o direito dos kopimistas de exercerem a religião e, pelo menos da teoria, pode dar acesso à assistência financeira do governo.

Em 2009, a Suécia foi palco de outro acontecimento na área de cultura digital: o Partido Pirata sueco conseguiu 7% dos votos do país nas eleições parlamentares europeias. Fonte: FOLHA.COM

Sob críticas, entidade ampliará número de domínios na internet

Diretoria da ICANN aplaude após votação em Cingapura que
aprovou a criação de novos domínios na internet
A ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers), uma entidade independente responsável pela organização da internet, planeja levar adiante seus planos para expandir o número de endereços possíveis na rede, apesar de críticas setoriais e de preocupações de algumas organizações policiais.

A entidade, que decide quem administra os domínios com os sufixos .com, .net e outros que ficam na porção final de um endereço on-line, planeja começar a aceitar na semana que vem inscrições para um número muito maior de opções de domínios on-line.

Isso enfureceu e preocupou muitas empresas, que já dedicam esforços a vasculhar a web em busca de violações de marcas e ocasionalmente adquirem endereços que não planejam usar a fim de impedir que caiam sob o controle de aproveitadores.

Em carta divulgada na terça-feira, Lawrence Strickling, diretor da Administração de Telecomunicações e Informações, no Departamento de Comércio norte-americano, instou a ICANN a tomar medidas que minimizem a necessidade desse tipo de registros defensivos por parte das empresas.

"Em reuniões que conduzimos com o setor nas últimas semanas, descobrimos que existe forte preocupação quanto aos detalhes específicos de um programa que pode resultar em consequências imprevistas e inesperadas, as quais podem ameaçar seu sucesso", escreveu Strickling em sua carta.

A ICANN informou na quarta-feira que estudaria as recomendações de Strickling. "Apreciamos as recomendações e sugestões do secretário assistente Strickling", disse Steve Crocker, presidente do conselho da ICANN, em comunicado distribuído via e-mail.

Os novos domínios custariam US$ 185 mil cada, e as inscrições serão aceitas a partir de 12 de janeiro, ainda que não se saiba quando os primeiros domínios registrados sob o novo regime entrarão em operação.

"É claro que vamos agir devagar", disse uma fonte próxima à ICANN.

Mas, ainda assim, a organização não planeja adiar o lançamento dos novos domínios, cujo objetivo é permitir mais inovações em endereços de site e abrir espaço para os alfabetos não latinos. A organização promete um rápido processo para lidar com violações a marcas registradas sob o novo sistema. Fonte: REUTERS

Novo iPhone consome duas vezes mais dados que modelo anterior

O novo iPhone 4S consome, em média, duas vezes mais dados que o modelo anterior e ainda mais que o tablet iPad, pelo uso crescente de serviços on-line como o software de voz Siri, conforme estudo divulgado nesta sexta-feira.

Quando a Apple lançou o iPhone 4S, em outubro, as ligeiras mudanças apresentadas decepcionaram analistas e críticos, mas a demanda do consumidor pelo aparelho vem se mantendo forte e os compradores estão usando seus novos celulares intensamente.

Os usuários do iPhone 4S transferem, em média, três vezes mais dados que os do iPhone 3G, modelo anterior usado como referência em um estudo pela Arieso, companhia de tecnologia de redes.

O consumo de dados do modelo precedente, o iPhone 4, era apenas 1,6 vez superior ao do iPhone 3G, enquanto o tablet iPad 2 consome cerca de 2,5 vezes mais dados que o iPhone 3G, segundo o estudo.

A atual geração de smartphones tem maiores exigências de banda às operadoras de telefonia móvel, em função da oferta de aplicativos mais desenvolvidos e do uso mais intenso de vídeo.

O aumento acentuado no consumo de dados coloca mais pressão sobre as operadoras de telefonia móvel para que acelerem investimentos na ampliação de capacidade de redes, considerando que já enfrentam congestionamento em função da demanda ampliada por serviços móveis de dados.

O consumo de dados de um celular inteligente depende do que o usuário solicita do aparelho.

"Uso o iPhone 4 e, quando ouvi falar inicialmente dos recursos do 4S, não me convenci a correr para comprá-lo. Mas os números sobre consumo de dados que tenho visto me fazem supor que esteja perdendo alguma coisa", disse Michael Flanagan, vice-presidente de tecnologia da Arieso.

Segundo ele, os tablets usam interfaces e plataformas de software parecidas com as de um celular inteligente e, por isso, seu consumo de dados se assemelha ao dos smartphones mais sofisticados.

"Um tablet continua a parecer um celular inteligente aumentado", acrescentou Flanagan. Fonte: REUTERS

Jaguar Land Rover busca área para instalar fábrica no Brasil

A marca de carros de luxo Jaguar Land Rover está em busca de um terreno no Brasil para a instalação de uma fábrica. Segundo o "Wall Street Journal", a companhia considera três centros industriais do país.

"O Brasil e o resto da América do Sul são um mercado muito interessante. É um mercado emergente, crescendo muito rápido", afirmou o presidente da Jaguar Land Rover, Ralf Speth. Segundo ele, a unidade brasileira deve ser uma réplica da fábrica indiana da empresa.

A previsão é que, inicialmente, a fábrica monte veículos da marca Land Rover. O valor do investimento não foi informado.

A Land Rover vendeu 8.185 veículos em 2011 e encerrou o ano com 0,24% da participação de mercado.

A Jaguar Land Rover foi comprada por US$ 2,3 bilhões pela indiana Tata Motors em 2008. A empresa, assim como a maior parte dos fabricantes, vem mudando a estratégia de suas operações para dar maior foco a mercados emergentes.

No ano passado,o grupo inaugurou uma fábrica na Índia para montar o modelo Land Rover Freelander.

Speth afirmou que mantém esforços para conseguir finalizar uma parceria para começar a produzir na China, onde espera investir cerca de US$ 100 milhões. Fonte: FOLHA.COM

Passagens aéreas ficam 53% mais caras em 2011, diz IBGE

O aumento de custo das empresas aéreas e a forte demanda por voos contribuíram para elevar o preço das passagens em 52,91% em 2011, a maior aceleração entre os itens que compõem o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que nesse período foi de 6,50%

A explicação é da coordenadora de índices de preços do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Eulina Nunes dos Santos.

Entre as elevações nos custos das companhias aéreas em 2011, a especialista do IBGE destaca o encarecimento entre 35% e 40% do querosene de aviação no ano passado. "As empresas argumentaram que por muito tempo não repassaram os aumentos de custos aos consumidores, e fizeram isso em 2011", diz a especialista. Em 2010 as passagens aéreas subiram 3,17%.

Eulina ressalta que a demanda também exerceu forte influência no reajuste das passagens aéreas. Eventos sazonais, como Rock in Rio e Cirque du Soleil, motivaram famílias a viajar de avião.

"São eventos locais, que acontecem por algumas semanas, mas que levam muitos a se deslocarem pelo país. As empresas aéreas aproveitam-se disso para aumentar as passagens", afirma Eulina.

Como o IPCA abrange as famílias com rendimentos mensais compreendidos entre um e 40 salários mínimos, o IBGE apura apenas os preços das passagens de viagens de lazer. A alta das passagens aéreas em 2011 influenciou em 0,19 ponto percentual o índice. Foi a sétima maior influência entre os itens não alimentícios.

"As passagens aéreas ainda têm pouco peso no IPCA, mas à medida que os níveis de renda e emprego avançam, a tendência é que elas ocupem maior espaço na destinação das rendas das famílias", ressalta Eulina.

Enquanto as passagens aéreas subiram fortemente, o grupo transporte em 2011 avançou 6,05%, após alta de 2,41% em 2010. No ano passado, a quebra de parte da safra de cana-de-açúcar contribuiu para alta de 15,75% do etanol, principal fator negativo da inflação de transportes no período. O grupo foi responsável por 1,13 ponto percentual do IPCA em 2011. Fonte: DO VALOR