quarta-feira, 16 de maio de 2012

Cheia do rio Negro registra recorde histórico em Manaus (AM)

O nível do rio Negro alcançou a marca de 29,78 metros na manhã desta quarta-feira (16), batendo um novo recorde de cheia conforme medição realizada no Porto de Manaus. O monitoramento do rio é realizado desde 1902, portanto é a maior enchente em 110 anos.

É a primeira vez também que a marca histórica do rio Negro é registrada no mês de maio. O índice anterior, de 29,77 metros, foi medido no mês de julho de 2009-- agora segunda maior enchente. A terceira grande cheia aconteceu em junho de 1953 com 29,69 metros.

Na capital amazonense, a cheia do rio Negro afeta 29.015 pessoas com inundações nas casas, comércios e pontos turísticos.

A medição recorde do rio Negro foi realizada por volta da 7h de hoje pelo engenheiro do porto de Manaus, Valderino Pereira da Silva, 63. Ele é o responsável pela marcação há 23 anos.

Silva disse que, entre ontem e hoje o nível do rio subiu três centímetros, ultrapassando a marca de 2009. Com o novo recorde, diz o engenheiro, o rio Negro subiu 13,08 metros desde a última vazante, quando as águas baixaram até 16,76 metros, conforme registro em outubro de 2011.

O Serviço Geológico do Brasil, órgão federal que monitora dos rios brasileiros, não descarta que o nível do rio Negro possa subir ainda mais, conquistando novos recordes.

O motivo da elevação anormal das águas são as fortes chuvas que acontecem na região metropolitana de Manaus e, no extremo norte do Amazonas, onde se localizam as nascentes do Negro.

"A tendência é que o nível do rio Negro continue subindo até alcançar o pico da cheia máxima", afirmou o engenheiro hidrólogo Daniel Oliveira.

No último alerta emitido pelo Serviço Geológico do Brasil o recorde do nível do rio Negro já era aguardado pelos técnicos. No dia 02 de maio o alerta dava conta que o nível do rio Negro poderia atingir entre 29,40 metros e 30,13 metros, com intervalo de 29,77 metros.

"A ideia não é acertar um número. É dizer para Defesa Civil que a enchente é extremamente grande e vai continuar até o mês de junho, afetando grande parte da população de Manaus", afirmou Oliveira.

As inundações causadas pela cheia do rio Negro atingem 16 bairros de Manaus. No centro da cidade, treze ruas estão alagadas, sendo quatro interditadas pela prefeitura. A água atinge pontos turísticos e 140 pontos comerciais.

Na ruas, pedestres andam em passarelas improvisadas de madeira, substituindo as calçadas. A prefeitura, o governo do Amazonas e as Forças Armadas fazem ações de ajuda humanitária com entrega de alimentos, medicamentos e uma bolsa enchente. FONTE: FOLHA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: