terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Um olhar


Trata-se de um curta-metragem, sem nenhuma palavra, mas com uma mensagem de derrubar da cadeira (desculpem o trocadilho). Assistam e comprovem!!!

FONTE: BLOG ASSIM COMO VOCÊ

Mude sua atitude!


Na semana passada, compartilhei com meus amiguinhos dos Facebook uma imagem que teve uma repercussão “zigante”. As pessoas se revoltaram, se solidarizaram, se emocionaram e cobraram mudança de atitude diante da cena...


Para quem não viu a foto, segue abaixo. O povo cego, eu já conto do que se trata... 

Pois bem, Antônia Yamashita é a mãe que empurra o filho Lucas, que é pczão (tem paralisa cerebral), em uma estação de metrô.

O trem chega, ela se direciona ao vagão preferencial (com um pouco mais de espaço livre para acomodar uma cadeira de rodas) e é praticamente atropelada pela multidão.

Na foto, Antônia parada em frente à porta do Metrô e ninguém, nenhuma alma, abre espaço para que ela entre com o filho, um garoto com mais ou menos oito anos de idade. Todos, porém, observam ela e Lucas com cara de piedade.

Todo mundo sabe que o transporte público da cidade é caótico. Era final de tarde, muita gente saindo do trabalho viajando com suas próprias preocupações.

O que a dupla viveu, milhares de pessoas com deficiência vivem diariamente. O tal “serumano” tem uma dificuldade ímpar de reconhecer uma situação de desvantagem do próximo e dar a ele uma chance mínima de igualdade.

Na consciência das pessoas de bem, parece claro que o bacana seria ninguém entrasse no vagão (ou mesmo saísse dele) até que mãe e filho estivessem acomodados.

Mas todos nós, em diversos momentos do dia a dia, somos tomados por um egoísmo extremo que o “nosso” é sempre mais urgente, mais prioritário, mais importante que o de todos os outros.

Acima de ser uma pessoa com deficiência, penso eu, Lucas é uma criança e não existe nesse universo pressa e urgência maiores do que as de crianças.

A revolta da gente vale pouco se não nos policiamos para tentar ser diferente, agir diferente. E isso vale para os próprios ‘malacabados’ que muitas vezes se vitimizam ou supervalorizam suas necessidades para levar vantagem.

Pensar e analisar a realidade alheia na vida cotidiana ajuda a construir mais cidadania, fortalece o espírito de humanidade e evita que mais pessoas duram com um sabor amargo de injustiça na boca.

Esse comercial da AACD, que saiu do forno faz pouquinho tempo, também faz uma reflexão importante sobre como podemos tratar o outro como “invisível” (o tio já escreveu um bocado sobre isso, para ler uma história, clica no bozo ) e quanto uma atitude assim pode afetar a vida das pessoas...

Em tempo: Antônia escreveu recentemente um livro em que conta sua experiência de ter tido um filho com paralisa cerebral. Chama-se “A trajetória de uma mãe especial - O milagre da vida”, da editora Nilobook. Para quem quiser saber mais ou comprar, é só clicar na florzinha! Sorte FONTE: BLOG ASSIM COMO VOCÊ

Lote do preservativo Blowtex Turbo tem recall

A fabricante de preservativos Blowtex informou hoje que está tirando de circulação o lote 16JUN-B do produto masculino Blowtex Turbo por um defeito de fabricação que afeta a resistência. Isso torna a camisinha imprópria para uso.

De acordo com a assessoria de imprensa da Blowtex, o lote com defeito corresponde a 80 mil unidades desse tipo de preservativo, que é produzido com uma "composição química diferenciada". Entretanto, o problema não estaria relacionado a nenhum dos componentes.

Na descrição, o Blowtex Turbo é apresentado como "um preservativo que utiliza a tecnologia a favor dos casais que querem ousar". O produto seria feito com agentes responsáveis por "proporcionar contrações excitantes para o casal".

Os consumidores que quiserem trocar os preservativos ou solicitar a restituição do dinheiro devem entrar em contato com a empresa pelo telefone 0800-7796968, site www.blowtex.com.br ou se dirigir aos endereços disponíveis nas páginas das redes sociais da Blowtex: facebook.com/BlowtexPreservativos e @twitesao. Segundo o Procon-SP, quem não conseguir trocar o produto ou ter a restituição, deve procurar o órgão responsável pelo Código de Defesa do Consumidor. FONTE: AGÊNCIA ESTADO

Wikipedia ameaça 'desligar' serviço em inglês por lei antipirataria dos EUA

Jimmy Wales, cofundador da Wikipedia, discursa
durante conferência sobre internet em Londres
Jimmy Wales, cofundador da Wikipedia, ameaçou desligar a versão em inglês da Wikipedia como forma de protesto contra uma lei antipirataria discutida nos Estados Unidos. Chamada de Sopa (Stop Online Piracy Act ou Lei para Parar com a pirataria Online), o projeto ainda está em discussão, mas foi alvo de um recente postagem de Wales no fórum da Wikipedia nesta terça-feira (13).

“Uma greve global ao menos na versão em inglês da Wikipedia colocaria máxima pressão ao Governo Americano”, diz a postagem do cofundador da enciclopédia virtual colaborativa.

A ameaça ao apagão da versão em inglês da Wikipedia e, possivelmente, de algumas outras, é uma resposta ao Sopa, uma lei que está tramitando no judiciário americano que quer “proteger” a rede de usuários ou sites que prejudiquem a criatividade ou roubem ideias.

A decisão proposta por Wales não é nova na comunidade da Wikipedia. Segundo seu post no fórum da enciclopédia virtual, a comunidade italiana da Wiki ameaçou fazer o mesmo em função de uma proposta de lei que iria reduzir a liberdade de expressão na web. Após a ameaça, os políticos desistiram da ideia.

A Wikipedia é um site colaborativo, em que qualquer pessoa pode publicar ou editar um conteúdo. As páginas da enciclopédia virtual recebem cerca de 360 mil usuários de todo o mundo é está no top 10 de sites mais acessados. Se a lei passar a vigorar e algum usuário da Wikipedia copiar algo de alguém ou mesmo postar qualquer tipo de conteúdo ofensivo, por exemplo, o site poderá ser responsabilizado.

“No mínimo, caso a lei seja aprovada, qualquer serviço que hospede conteúdo gerado por usuário estará sobre enorme pressão para monitorar e filtrar todo conteúdo postado”, argumentou um ativista da Fundação Fronteira Eletrônica, instituição americana cujo objetivo é proteger os direitos de liberdade de expressão.

A Wikipedia é só um dos grandes opositores da controversa lei americana. Empresas como Google, Yahoo!, Twitter, eBay, Aol e Facebook são contra a lei americana. Por outro lado, empresas como Disney, Apple, Microsoft, Intel e Warner estão entre as companhias que estão a favor da lei. FONTE: UOL/DAILY MAIL

ONU: Canadá continua obrigado a combater mudanças climáticas

A máxima autoridade da ONU sobre mudanças climáticas lamentou, esta terça-feira, a decisão do Canadá de se retirar do Protocolo de Kioto, e advertiu que de qualquer forma o país continua legalmente obrigado a contribuir com a luta contra o aquecimento global.

Christiana Figueres, secretária-executiva da Convenção-quadro sobre as Mudanças Climáticas da ONU, se disse surpresa de que o Canadá tenha anunciado a decisão em um momento em que mais de 190 países estão procurando chegar a um acordo sobre este tema em Durban, na África do Sul.

"O Canadá tem uma obrigação legal, conforme a Convenção à qual aderiu, de reduzir suas emissões e uma obrigação moral diante de si mesmo e das futuras gerações" de "contribuir para estes esforços", afirmou.

"Países industrializados como o Canadá, que aumentaram consideravelmente suas emissões de gases de efeito estufa desde 1990, estão em uma posição de fragilidade para pedir aos países em vias de desenvolvimento a limitar suas emissões", reforçou a funcionária internacional, em um comunicado. FONTE: AFP

Aeronautas e aeroviários anunciam greve nacional para as vésperas do Natal

Entidades representativas dos aeronautas (tripulantes de voo) e aeroviários (funcionários de empresas aéreas que trabalham em solo) anunciaram nesta terça-feira (13) que entrarão em greve a partir do dia 22 de dezembro para exigir aumento salarial. Eles pedem reajuste de 10% e de 14% sobre o piso das categorias.

O indicativo de greve foi aprovado nas assembleias das categorias realizadas nos últimos dias. Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac) –ligada à CUT (Central Única dos Trabalhadores)–, as empresas aéreas oferecem 3% de reajuste salarial e 6% de aumento sobre o piso.

O reajuste proposto é menos da metade da inflação dos últimos 12 meses (6,17%) medida pelo INPC. A Fentac afirma que a greve foi decidida diante da negativa das empresas aéreas em subir a proposta.

"Não podemos aceitar um reajuste menor do que a inflação, porque isso significaria que os trabalhadores ganhariam menos em 2012 do que recebem hoje. Também não abrimos mão do aumento real dos salários. As empresas aumentaram as passagens em cerca de 56%”, diz Celso Klafke, presidente da Fentac.

O sindicato afirma que continua aberto a negociar com as empresas. Em 2009 e 2010, a categoria também anunciou greve para as vésperas do Natal, mas acabou retrocedendo após as empresas melhorarem suas propostas.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o Snea afirmou que não foi informada pelos sindicatos sobre a greve. De acordo com o sindicato patronal, a última negociação com os trabalhadores ocorreu em 30 de novembro. A próxima será nessa quarta-feira (14), com os sindicatos filiados à CUT, e na sexta (16) com os sindicatos ligados à Força Sindical.

O Snea argumentou que o reajuste proposto é menor do que a inflação por conta do "ano ruim" das empresas aéreas. O sindicato afirma ainda que nos últimos seis anos os trabalhadores tiveram ganho real de 6%. FONTE: UOL