quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Quadrilha usa impressora 3D e faz máquina que rouba cartão de crédito

        O blog ‘KrebsOnSecurity’ mostra as
    diferenças entre um leitor de cartão de
                   crédito real e um falso.
Uma quadrilha especializada em fraudar caixas eletrônicos roubou mais de US$ 400 mil usando uma peça para leitura de cartões magnéticos criada com a ajuda de impressoras 3D, disse o Ministério Público dos Estados Unidos. Em junho, um tribunal federal indiciou quatro homens do Texas (EUA) que, segundo as autoridades, teriam reunido os lucros de golpes de clonagem de cartão para comprar uma impressora 3D.

De acordo com declarações do Serviço Secreto dos EUA, o líder do grupo foi preso em 2009 por fraude em caixas eletrônicos. Como era ele o responsável por conseguir os leitores de cartão de crédito, o grupo se viu na necessidade de comprar seus próprios leitores, que custam entre US$ 2 mil e US$ 10 mil.

Em maio de 2011, em uma discussão entre os membros do grupo gravada por um investigador, um dos acusados teria revelado que criou dispositivos de leitura de cartão usando uma impressora 3D que os suspeitos compraram juntos. Segundo o governo, o suspeito também era o responsável por usar os dados de cartões roubados para criar cartões falsificados. Os leitores teriam sido instalados em caixas eletrônicos localizados em bancos do Texas.

Promotores alegam que o grupo roubou mais de US$ 400 mil entre agosto 2009 e junho de 2011. Segundo o Ministério Público, os homens chegaram a sacar US$ 58 mil apenas em abril de 2011. Os documentos do tribunal não dizem quanto o grupo gastou com a impressora 3D. De acordo com o blog “KrebsOnSecurity”, uma impressora 3D custa entre US$ 10 mil e US$ 20 mil nos EUA e permite a impressão de leitores de cartão de alta qualidade. FONTE: G1

Senado aprova medida que concede incentivo a produção de tablets

O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (21) o projeto de Lei de Conversão 21/2011, que concede incentivos fiscais para a produção e venda de tablets no Brasil. A medida, lançada pelo Executivo em maio deste ano, beneficia com isenção de PIS e Cofins aparelhos "que tenham uma unidade central de processamento com entrada e saída de dados por meio de uma tela sensível ao toque de área superior a 140 centímetros quadrados".

Como já foi aprovada na Câmara, a medida será encaminhada direto à sanção da presidente Dilma Rousseff, que ainda pode vetar trechos da lei.

Durante a votação, o relator da medida na Casa, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), chegou a apresentar duas emendas de redação ao projeto, que acabaram retiradas ao final da votação. A primeira acrescentava a palavra digital ao lado de tablet.

A segunda mudança, segundo o relator, deixa mais claro o artigo que trata da prorrogação por mais dois anos do prazo para que as Zonas de Processamento de Exportação (ZPE) sejam implementadas no país. Os estados beneficiados seriam o Pará, Maranhão, Bahia e Mato Grosso.

O relator afirmou que a mudança não afetaria o mérito da medida, mas a oposição criticou. "Se essa emenda passar, o projeto deveria voltar à Câmara", disse o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP).

O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), fez um apelo em plenário para que não fosse acolhida a emenda de redação, a fim de que não fosse necessário retornar o texto à Câmara. Segundo o líder, o texto da emenda de redação seria colocada em outra medida provisória, a 540, que ainda será encaminhada ao Senado.

"Não colocaríamos em risco essa medida provisória que estamos votando agora", justificou Jucá. Diante do apelo do líder, o relator, senador Eduardo Braga, retirou as emendas de redação. O projeto foi aprovado em votação simbólica. FONTE: G1

Brasil fica em 164º em ranking mundial de velocidade de internet

A velocidade média da conexão à internet no Brasil, de 105 kilobits por segundo, coloca o país em 164º em um ranking mundial divulgado nesta quarta-feira pela Pando Networks, empresa especializada em distribuição de arquivos digitais. A média mundial de velocidade, de 508 kbps, é cinco vezes maior que a média nacional.

O estudo levou em conta a transferência de 35 petabytes de informações digitais. Foram 27 milhões de downloads feitos por 20 milhões de computadores em 224 países e territórios. A medição foi feita entre janeiro e junho de 2011.

De acordo com o estudo, a Coreia do Sul tem a maior velocidade da internet mundial, com 2.202 kbps. Em segundo lugar estão a Romênia (1.909 kbps) e a Bulgária (1.611 kbps). A velocidade média nos Estados Unidos, que ficou em 26º no ranking mundial, é de 616 kbps.

A Pando Networks divulgou ainda um estudo mostrando a velocidade de conexão por cidades. A amostra de donwloads de cada município é pequena, mas a cidade de Itapema, em Santa Catarina, teve o segundo pior resultado em todo o mundo, com 61 kbps de velocidade média, apenas à frente de Algiers, na Argélia, que teve 56 kpbs, e pior que Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 62 kbps. FONTE: G1

Justiça dos EUA rejeita último recurso em polêmica sentença de morte

Troy Anthony Davis chega ao tribunal para audiência
A Corte Superior do Estado da Geórgia, no sudeste dos Estados Unidos, rejeitou nesta quarta-feira o recurso apresentado pelo condenado à morte Troy Davis, 42, que deve ser executado na noite desta quarta-feira.

O juiz Thomas Wilson rejeitou os recursos apresentados na manhã desta quarta-feira e "agora vamos apelar à Suprema Corte da Geórgia", disse o advogado Brian Kemmer duas horas antes da agendada execução por injeção letal ao homem condenado à morte em 1991 pelo assassinato de um policial.

Davis, cujo caso provocou uma onda de protestos em todo o mundo, apresentou na manhã de hoje dois recursos para evitar sua execução, às 19h locais (20h em Brasília), insistindo sobre sua inocência e nas diversas dúvidas provocadas pelo processo judicial.

Um recurso de habeas corpus e outro para deter a execução foram apresentados na Corte Superior do condado de Butts, na Geórgia, que esta tarde rejeitou as duas medidas.

Após saber da decisão do Comitê de Indultos da Geórgia, que negou seu pedido de clemência, Davis solicitou na terça-feira para ser submetido a um detector de mentiras, o que também foi negado.

O advogado Brian Kammer ressaltou mais cedo que a defesa está em condições de apresentar "provas" segundo as quais o médico legista que realizou a autópsia do corpo do policial morto deu "um falso testemunho" no relatório balístico no qual a justiça se baseou para pronunciar sua sentença.

Na terça-feira, o comitê de indultos da Geórgia havia rejeitado um recurso apresentado pelos advogados do condenado, que já escapou de três execuções graças a diversos recursos judiciais.

No corredor da morte há 20 anos pelo assassinato do policial branco Mark MacPhail, Davis foi condenado à pena capital após um processo repleto de vícios judiciais que apresentaram dúvidas sólidas sobre a inocência do culpado.

Apresentado por seus defensores como o exemplo do negro condenado injustamente, Troy Davis recebeu o apoio de personalidades como o ex-presidente americano Jimmy Carter, o papa Bento 16 e a atriz Susan Sarandon, e centenas de manifestações pedindo o indulto foram realizadas em todo o mundo.

Durante o processo, nove testemunhas do assassinato cometido em 1989 indicaram Troy Davis como o autor do tiro, mas a arma do crime nunca foi encontrada e nenhuma prova digital ou traço de DNA foi revelado. Depois, sete testemunhas se retrataram, mas isso não foi suficiente para convencer a Justiça de rever seu veredicto. FONTE: BOL

Médicos implantam chifres em garoto de cinco anos para remover mancha

Médicos inseriram chifres na cabeça de um garoto de cinco anos para retirar uma grande marca de nascença em sua testa, como mostra o jornal Daily Mail.

George Asman nasceu com uma grande mancha vermelha em sua testa. Com quatro anos o garoto passou por um procedimento cirúrgico para esticar a pele 'normal', para que ela encobrisse e removesse a marca.

Na cirurgia, foram inseridos dois expansores de tecido, que gradualmente inflaram, dando a aparência de serem chifres. Após quatro meses os implantes foram removidos, a pele manchada foi cortada e a nova pele costurada na testa de George, que ficou com uma cicatriz similar a do Harry Potter. FONTE: UOL