quarta-feira, 7 de setembro de 2011

RITMO NOS DEDOS: Jeremy Ellis mostra sua habilidade no Maschine Mikro

A rapidez dos dedos de Jeremy no instrumento é de impressionar. Lançado pela Native Instruments, o Maschine Mikro é uma versão compacta do beatmaking Maschine e fornece ao usuário a capacidade de criações músicais intuitivas e criativas.


Fonte:   BOL

Fotógrafa americana transforma modelos em animais

A fotógrafa americana Lennette Newell registrou modelos repetindo poses de animais, como zebras, babuínos, guepardos, cobras e elefantes, em Los Angeles, no estado da Califórnia (EUA). Os modelos tiveram os corpos pintados com as cores dos animais.  
 Fonte: G1

Candidatas ao Miss Itália são expulsas por posarem para fotos sexy

Alice Bellotto (esq), Raffaella Modugno e Tiziana Piergianni foram expulsas por causa de fotos sexy.
Três candidatas do concurso Miss Itália foram expulsas porque posaram para fotos sexy publicadas em sites na internet. A primeira a ser afastada do concurso foi Alice Bellotto, de 22 anos, que aparece em uma das fotos usando uma camisola provocante. Depois, também foram expulsas Raffaella Modugno, de 23, que posou para fotos de lingerie, e Tiziana Piergianni, de 26, que aparece fazendo topless, segundo jornal "Daily Mail". Fonte: G1

Brasil é 35º em lista de atendimento médico infantil

O Brasil ocupa a 35ª posição em um ranking de atendimento médico infantil compilado pela ONG internacional Save the Children em 161 países.

É a primeira vez que a organização lista os países em que crianças doentes recebem o melhor tratamento, com Suíça, Finlândia, Irlanda e Noruega no topo do ranking e Etiópia, Laos, Chade e Somália nos últimos lugares.

O índice levou em conta a proporção de funcionários do setor de saúde em relação à população, seu alcance e impacto, além do número de crianças vacinadas e de mães que têm acesso a cuidados emergenciais durante o parto.

Na América Latina, o Brasil ficou atrás apenas de Cuba (8º) e Uruguai (31º), mas bem à frente de países como México (65º), Argentina (77º) e Chile (80º).

Sobrevivência - Segundo a análise dos dados, as crianças que vivem nos países que ocupam as últimas 20 posições na lista têm cinco vezes mais chance de morrer que aquelas que vivem em países no alto do ranking.

"A sobrevivência de uma criança depende de onde ela nasce no mundo. Nenhuma mãe deveria ter de ver seu filho ficar doente e morrer sem poder fazer nada, simplesmente porque não há ninguém treinado para ajudar", disse Ben Phillips, da Save the Children.

Segundo a ONG, em todo o mundo seriam necessários mais 3,5 milhões de médicos, enfermeiros e parteiras.

"Líderes mundiais têm de lidar com a escassez de trabalhadores do setor de saúde e perceber que a falta de investimento nisso vai custar vidas. Mesmo os países mais pobres da África podem fazer um progresso real se cumprirem a promessa de investir 15% de seus orçamentos em saúde". Fone: BBC

Labradora heroína das buscas no Pentágono 'curte' aposentadoria

A labradora Red, de 12 anos, é vista no quintal da casa de seu dono em Annapolis, no estado americano de Maryland, em foto tirada em 18 de agosto. Ela trabalhou durante semanas nos trabalhos de resgate em meio aos escombros do voo 77, que atingiu o Pentágono no 11 de Setembro, em 2001.

Red era apenas uma 'caloura' de 18 meses na época, e havia começado a trabalhar em resgates havia pouco tempo. Agora, Red 'curte' a aposentadoria ao lado de sua dona, Heather Roche. Fonte: REUTERS

Americana detém há 12 anos recorde de maiores seios naturais do mundo

A americana Annie Hawkins-Turner, de 52 anos, mais conhecida como "Norma Stitz", permanece há 12 anos com a mulher com os maiores seios naturais do mundo, segundo o Guinness, livro dos recordes.

Cada seio de Annie, natural de Atlanta, no estado da Geórgia, tem 109,22 centímetros de circunferência. E seu busto mede 177,8 centímetros. Além disso, cada seio pesa incríveis 25 quilos.

Antes de ser reconhecida pelo Guinness com a recordista no quesito, Annie passou por exames para comprovar que seus seios eram mesmo naturais.

A edição 2012 do livro será lançada no dia 13 de setembro nos EUA e Canadá e no dia 15 do resto do mundo. Fonte: G1

Vítimas de derrame são tratadas com saliva de morcego na Grã-Bretanha

Pesquisadores britânicos estão realizando testes com saliva de morcegos-vampiros para tratar vítimas de derrames.

Entre os pioneiros no tratamento estão especialistas do Hospital da Universidade de North Staffordshire que estão desenvolvendo um poderoso novo medicamento que utiliza uma proteína na saliva dos animais para dissolver coágulos no cérebro.

Os cientistas buscaram a saliva dos morcegos devido à capacidade que ela tem de tornar o sangue das vítimas dos animais fino o suficiente para que eles possam sorvê-lo.

O medicamento já foi testado em duas pessoas e já está sendo considerado pelos pesquisadores como o maior avanço no tratamento de derrames nos últimos 20 anos.

Atualmente, vítimas de derrames precisam receber injeções de drogas capazes de dissolver coágulos em no máximo quatro horas após os ataques terem ocorrido, para que o medicamento ainda surta efeito.

Mas a nova droga derivada da saliva do morcego, chamada desmoteplase, pode ser dada aos pacientes até nove horas após os derrames terem sido registrados.

De acordo com Christine Roff, pesquisadora da Universidade de North Staffordshire, o medicamento ainda está em fase de testes, mas se estes forem bem-sucedidos, a droga poderá ser usada regularmente dentro de três anos. Fonte: BBC

Souvenirs que mostram lado marginal de Barcelona causam polêmica

Broches com imagens de ladrões, prostitutas e violência policial que estão sendo vendidos como souvenirs em museus de Barcelona estão causando polêmica por mostrar um lado marginal e pouco turístico da cidade espanhola. 

Os souvenirs estão à venda nas lojas do Museu de Arte Contemporânea de Barcelona e no Museu de História de Barcelona, mas devem acabar sendo ser recolhidos em breve por determinação da prefeitura. 

Um porta voz do governo municipal disse nesta terça-feira que ambos centros culturais já foram advertidos de que estão proibidos de continuar vendendo a coleção porque "esta não é a imagem que um órgão público quer projetar de Barcelona". 

A coleção de broches chamada Enjoy Barcelona foi criada pelos artistas plásticos e arquitetos catalães Arcadi Royo e Marga Montoya. 

Os broches em preto e branco retratam, em seis modelos, cenas cotidianas, algumas violentas: um ladrão que rouba uma bolsa e sai correndo e a agressão da polícia local sobre um cidadão.
Também há cenas retratando prostituição e o comércio ambulante ilegal. 

INSPIRAÇÃO - Cada souvenir recebeu ainda um nome que ironiza a situação desenhada no broche. 

Os vendedores de bebida, mercado normalmente dominado imigrantes de Índia e Paquistão, foi chamado de "servesa-bier?", imitando a forma de falar dos camelôs. 

Os criadores da coleção afirmaram que a inspiração surgiu das cenas reais e frequentes na cidade. "É uma realidade que algumas pessoas querem esconder, mas é verdadeira. Existe e está aí todos os dias", disse Arcadi Royo à imprensa espanhola. 

"Quantas vezes nos vemos em situações como essas? Prostitutas que perseguem homens pelas ruas, bolsas que são levadas por ladrões e agressões policiais a manifestantes pacíficos? Realmente, estes broches são uma denúncia de uma realidade", disse. 

Mesmo com a retirada dos suvenires das lojas dos museus, os artistas plásticos afirmam que a coleção continuará sendo vendida em outros pontos da cidade. Fonte: BBC BRASIL

Vista do espaço, fronteira entre Índia e Paquistão é da cor laranja

Uma foto tirada por um dos membros da ISS (Estação Espacial Internacional, na sigla em inglês) mostra claramente a fronteira entre a Índia e o Paquistão. 

Na imagem, tirada em 21 de agosto e divulgada no último domingo (4), a linha fronteiriça é vista em tom laranja por conta da iluminação, instalada por medidas de vigilância. 

Os focos de luzes concentrados são as cidades de Srinagar (esquerda), Islamabad (centro, mais embaixo), Lahore (centro, próximo à fronteira) e Nova Délhi (centro, em cima). Fonte: REUTERS

Programa ajuda a localizar laptop roubado

Ter um computador roubado é uma das piores coisas que podem acontecer. Mais do que o valor material do equipamento, algumas informações não têm preço. 

Com o programa Prey, você tem uma ferramenta que poderá ajudar a localizar o computador e até mesmo ver quem está usando o equipamento.  

O Prey, uma vez instalado, fica residente na memória. No caso de perda do notebook, o usuário pode acessar o site do programa e, com um comando, obter informações sobre a localização e até mesmo uma imagem de quem estiver usando o equipamento feita por webcam. 

É claro que, para que isso seja possível, o computador tem que estar sendo usado com a mesma situação que estava quando foi roubado, ou seja, com o mesmo sistema operacional e com acesso à internet. 

Assim como num roubo de carro --em que alguns veículos são quase imediatamente desmanchados, e seus rastreadores destruídos ou inibidos por outros dispositivos--, se o notebook for formatado, de nada adiantará o programa. Contudo, trata-se de um bom item para aumentar a segurança. 

Uma vez informado que o notebook está desaparecido, o usuário pode tomar diversas atitudes, como inibir a execução de aplicativos e fazer a localização geográfica do computador. Fonte: CANAL ABERTO

IFA 2011: Samsung é obrigada a retirar tablet de feira em Berlim

iPad (esquerda), da Apple, e seu novo concorrente, o Galaxy Tab 10.1. da Samsung
A Samsung suspendeu a divulgação de seu novo tablet na maior feira de eletrônicos da Europa, depois que liminar de um tribunal alemão proibiu as vendas do modelo, no mais recente revés sofrido na disputa mundial de patentes contra a Apple. 

Um tribunal de Dusseldorf ordenou que a companhia sul-coreana suspendesse a venda do Galaxy Tab 7.7 na sexta-feira (2), data de abertura da feira de eletrônicos IFA, em Berlim. A decisão se segue a uma liminar alemã concedida no final de agosto que proibia a venda do Galaxy Tab 10.1 até a decisão final sobre o caso, que será anunciada em 9 de setembro. 

O Tab 7.7, modelo mais recente da linha Galaxy, foi lançado durante a feira juntamente com o Galaxy Note, equipado com tela de 5,3 polegadas e com o qual a companhia espera criar uma nova categoria de produtos, intermediária entre tablets e smartphones.
"O produto ainda não está à venda, mas decidimos que respeitaremos a liminar," disse James Chung, porta-voz da Samsung. 

Samsung e Apple estão envolvidas em uma ferrenha batalha quanto a patentes de celulares inteligentes e tablets desde abril, com a Apple tentando conter o crescimento dos celulares equipados com o sistema operacional Android, do Google, por meio de ação direta contra a maior vendedora de produtos Android, a Samsung. 

A Apple argumenta que a Samsung violou suas patentes e que a linha de smartphones e tablets Galaxy copia "servilmente" o design e a forma de operar de seus aparelhos. A empresa também está envolvida em disputas judiciais nos Estados Unidos, na Coreia do Sul e na Austrália, além da Europa. 

A batalha já forçou a Samsung a adiar por duas vezes o lançamento de seu tablet na Austrália. A empresa reagiu por meio de processos contra a Apple, alegando violação de patentes em comunicação sem fio. Fonte: REUTERS

Namorada brasileira de Rolling Stone é cotada para filme de James Bond

A modelo brasileira Ana Araújo, 29, pode se tornar a primeira Bond Girl brasileira. 

Ela estaria entre as cotadas para viver uma das mulheres da vida do agente 007, segundo o "Daily Star". 

"Ana está muito animada", contou uma fonte ao jornal. "Tudo é muito novo, mas ela está otimista a respeito do papel." 

Se tudo der certo, a namorada do Rolling Stone Ronnie Wood, 64, vai integrar o 23º longa-metragem da franquia James Bond. 

Segundo o tabloide, entre as rivais dela na disputa está a atriz britânica Naomie Harris, 34. 

"Bond 23" terá Daniel Craig novamente no papel do agente secreto. 

A produção deve estrear em 9 de novembro de 2012. Fonte: F5

Professora é presa por não pagar pensão às filhas na Bahia

A professora Elenísia Borges da Silva (foto), 41 anos, está presa na delegacia de Ubaitaba, cidade localizada a 370 km de Salvador, sob a acusação de não pagar ao ex-marido a pensão alimentícia das duas filhas. Elenísia foi detida ontem ao retornar para casa depois de sair do trabalho. O pedido de prisão foi assinado pela juíza da Vara Crime Andreia Gomes Fernandes Beraldi, a pedido do ex-marido.

Segundo a polícia, a professora perdeu, há sete anos, a guarda das filhas, que têm respectivamente 16 e 18 anos. As jovens já trabalham e uma delas não morava mais com o pai, Ademilson Tibúcio dos Santos, 40 anos, que trabalha como vendedor de acarajé. Ele alega que o montante devido pela ex-mulher já alcança a cifra de R$ 21 mil. A pensão estipulada pela Justiça é de R$ 4 mil.

Ainda de acordo com a polícia, o casal está separado há dez anos. Ademilson alega que a ex-mulher é professora concursada e tem condições de arcar com as despesas das filhas e garante já ter planos para o dinheiro que espera receber: custear os estudos da menina mais nova, de 16 anos.

Familiares do casal considerarem a medida extrema, mas Santos afirma que está decidido a seguir com a cobrança e não pretende retirar a queixa, que considera justa.

Apanhada de surpresa, Elenísia estaria em estado de choque, sem se alimentar desde que foi detida. Hoje ela foi levada pelos policiais a um hospital, onde foi medicada e retornou para a delegacia local. Fonte: PORTAL D24AM
O coronel John Adams voltara aos Estados Unidos há apenas um mês, depois de um ano em missão nos Bálcãs. Ele estava em seu escritório no Pentágono quando ouviu uma grande explosão e sentiu tudo tremer. Eram 9h37 do dia 11 de setembro de 2001 e, a apenas cem metros dali, o voo 77 da American Airlines colidia com uma das paredes do prédio. 

"Eu pensei que aquele era o momento em que eu ia morrer", disse Adams, que à época servia como vice-diretor do Escritório de Política Europeia do Departamento de Defesa. 

Aposentado como brigadeiro general, Adams, 57, trabalha hoje como consultor de defesa e relembra, em depoimento à Folha.com, o dia mais marcante de sua vida. 

O ATAQUE - "Estávamos em uma reunião e a maioria das salas no Pentágono tem uma TV ligada o tempo todo no canal de notícias. Nós vimos que um avião havia colidido com a torre norte do World Trade Center [em Nova York] e a nossa primeira suposição foi de um acidente. Mas daí vimos o segundo avião atingir [a torre sul], e sabíamos que um ataque estava ocorrendo. 

Vinte minutos depois, estava em uma reunião com oficiais do Pentágono e um militar sugeriu enviar uma patrulha aérea para proteger o prédio. Menos de um minuto depois, nós fomos atacados. 

A maioria pensou que o Pentágono poderia ser um alvo, mas foi tudo muito rápido. Levou menos de uma hora entre o primeiro ataque e o avião que nos atingiu. 

O impacto causou um grande barulho e um forte tremor. Todos estavam com medo. Eu pensei que aquele era o momento em que eu ia morrer e acho que isso foi o que muitas pessoas pensaram. Eu não fui ferido, eu sobrevivi, fui muito sortudo. 

Nós saímos do prédio, para longe da fumaça e do fogo. Depois de 20 minutos, houve uma explosão maior do que a primeira, provocada pelo vazamento do combustível do avião. Uma parte do prédio cedeu.
 
AJUDA - Assim que desci do prédio, tentei ligar para minha família do celular, mas não conseguia porque o sistema estava congestionado. Meu primeiro contato com minha família foi cerca de três horas depois, entre 12h e 13h. Minha mulher me ligou e foi muito bom ouvir a voz dela, saber que ela estava bem e meus filhos também. 

As pessoas que saíram do prédio se organizaram em pequenos grupos para tentar retornar ao prédio e ver se havia alguém preso. Nós ainda não sabíamos exatamente o que estava acontecendo. Não sabíamos no dia que era a Al Qaeda. Eu já havia ouvido falar dessa rede terrorista anos antes, por outros atentados, mas não imaginava algo neste porte.

Destroços do voo 77 da American Airlines enquanto bombeiros tentam apagar o incêndio no Pentágono causado pela colisão do avião
Meu grupo ficou para ajudar os feridos. Por cerca de seis horas, eu organizava tendas de atendimento e suprimentos médicos e ajudava no cuidado dos pacientes. Eu estava fardado e queria ficar para ajudar. Havia centenas de pessoas lá fazendo a mesma coisa.

Eu não lembro de ter visto partes de corpos, graças a Deus, não queria ficar com essa memória. Mas lembro de ver partes de avião espalhadas em todos os lugares por centenas de metros.

Lá pelas 16h, a unidade de infantaria que guarda a Tumba do Soldado Desconhecido no Cemitério Nacional assumiu nossa tarefa e fomos embora.
 
CAMINHO PRA CASA - Eu vivia a cerca de 24 km do Pentágono. Todas as ruas perto do prédio foram fechadas, havia viaturas de polícia e bombeiros por todos os lados, mas não havia táxis ou ônibus. Eu não tinha carro, então comecei a caminhar rumo à minha casa. Eu andei por cerca de 8 km até uma parte onde o trânsito estava liberado e então peguei um ônibus.

Eu cheguei em casa e vi minha família. Eles estavam muito felizes, foi muito emotivo. Estávamos todos muito aliviados.

Mas o dia não terminou até mais ou menos meia-noite, porque eu queria saber se todas as pessoas com quem eu trabalhava estavam bem [cerca de 20 militares e civis]. Eu liguei e falei com todo mundo.
 
DIA SEGUINTE - No dia seguinte, eu voltei a trabalhar. A maioria voltou, alguns em um escritório diferente. 

Meu escritório foi danificado, mas não destruído. Nós tivemos que limpar tudo, estava uma bagunça. Havia uma fumaça particularmente densa de combustível de avião que cobriu tudo de preto. O cenário era de destruição, tudo estava espalhado. 

Ainda havia fogo e muita fumaça no prédio. Três dias depois, quando caminhava por um dos corredores vi bombeiros por todos os lados. Logo depois, houve uma grande explosão, cerca de 75 m ou cem metros de onde eu estava, e mais uma parte do prédio cedera. 

O fogo queimou por dias com todo aquele combustível do avião.
 
MEMÓRIAS - Algumas coisas ficaram marcadas. Uma é que nós não estávamos preparados para algo deste tipo. Você nunca pode estar completamente preparado para o terrorismo, mas você pode estar pronto para um desastre e nós não estávamos. 

Na primeira hora foi muito desorganizado, foi surpreendente para mim. Quem ajudou foram os bombeiros, que sabiam como ajudar as vítimas e coordenar o atendimento. Na época, era estranho ver aqueles generais todos recebendo ordens de bombeiros. 

Outra coisa que me marcou era que todos participavam e estavam tentando fazer seu melhor. Eles não sabiam exatamente como ajudar, mas estavam lá. Todos estavam muito tristes, mas eram amigáveis. Havia um sentimento de que estávamos juntos e precisávamos permanecer unidos. Foi confortante, inspirador.
A terceira lembrança é que havia muita raiva e as pessoas não sabiam a quem direcionar, mas não ouvi ninguém querendo fazer qualquer coisa que fosse contra a nossa Constituição. Éramos boas pessoas e queríamos passar por aquilo com os nossos princípios intactos.

Há formas de lutar contra o terrorismo que não envolvem invadir outros países. Nós temos que pensar antes de agir, mais do que fizemos na última década." Fonte: FOLHA.COM