sábado, 20 de agosto de 2011

Petrobras encontra helicóptero desaparecido e três corpos no Rio

A Petrobras informou que localizou na tarde deste sábado o helicóptero que estava desaparecido desde sexta (19) na Bacia de Campos, no Rio, além de três corpos ainda não identificados. Eles foram encontrados no fundo do mar, a 99 metros de profundidade e a 100 km da costa, segundo a nota divulgada pela empresa. O procedimento para resgate dos corpos já começou e as buscas pela localização da quarta pessoa desaparecida continuam, com a mesma quantidade de embarcações e aeronaves mobilizadas até o momento. Além de duas aeronaves equipadas para voo noturno, foram disponibilizadas desde a manhã de hoje outras seis aeronaves da Petrobras, duas da Aeronáutica e um barco patrulha da Marinha. Outras 16 embarcações também prosseguem nas buscas, sendo que quatro operam com robôs submarinos. A assessoria de imprensa da Petrobras divulgou, no início da tarde de hoje, o nome do co-piloto: Lauro Pinto Haytzann, que era da Sênior Táxi Aéreo, de São Paulo. A pedido da família o nome não havia sido divulgado antes. Além dele, estavam no helicóptero os passageiros Ricardo Leal de Oliveira, auxiliar técnico de planejamento da empresa Engevix; João Carlos Pereira da Silva, técnico de inspeção da empresa Brasitest; e o piloto Rommel Oliveira Garcia, da Sênior Táxi Aéreo. A Petrobras recomendou que todas as aeronaves do mesmo modelo permaneçam no solo. Hoje, haverá uma reunião entre representantes da Companhia e representantes da empresa fabricante do helicóptero, que virão da Itália. O helicóptero que desapareceu estava a serviço da Companhia e solicitou autorização para um pouso de emergência no Aeroporto de Macaé. O Plano de Emergência da Bacia de Campos foi acionado assim que a torre de comando do aeroporto perdeu o contato com a aeronave, por volta das 17h. FONTE: FOLHA.COM

Britânica acorda de coma e descobre que havia dado à luz

Uma mulher britânica que entrou em coma durante a gravidez após contrair a gripe A (H1N1) surpreendeu os médicos ao dar à luz um menino saudável naturalmente enquanto estava inconsciente.

Lisa Boland, de 31 anos, estava no quinto mês de gravidez quando foi internada com um quadro grave de gripe em dezembro do ano passado.

Em pouco tempo, sua saúde se deteriorou e ela entrou em coma. Lisa foi ligada a um respirador artificial e ela e o bebê eram mantidos vivos por aparelhos.

Na maioria dos casos como esse, os médicos acabam retirando o bebê por meio de cesárea, mas o obstetra que visitava Lisa diariamente no hospital em Glossop, no centro da Inglaterra, optou por tentar deixar o bebê o máximo de tempo dentro do útero, para aumentar suas chances de nascer sem problemas.

BOLSA ROMPIDA - No início de janeiro, porém, durante um exame de rotina, a bolsa com o líquido amniótico de rompeu. Uma enfermeira percebeu então que a cabeça do bebê já começava a ficar visível e que ela estava em trabalho de parto.

"Todo mundo entrou em pânico. Uma enfermeira me contou depois que nunca tinha visto nada parecido, que poderia ter ouvido o barulho de uma agulha caindo no chão, porque todos estavam em silêncio, prendendo a respiração", contou Lisa à BBC.

"Eu estava paralisada, com um respirador artificial, então foi um choque para o pessoal do hospital", disse ela.

Como a mãe estava inconsciente, sem capacidade de fazer força, o bebê foi retirado a fórceps.

"O médico ficou pasmo, disse que em 23 anos nunca tinha visto nada parecido, nunca tinha visto alguém em coma dar à luz naturalmente", contou ela. "Ele disse que foi também a primeira vez que fez um parto de terno e gravata, porque não teve tempo para nada, foi tudo uma correria", disse.

DESENVOVIMENTO NORMAL - Samuel nasceu 12 semanas antes da data prevista e teve que passar cinco meses no hospital até ser capaz de ir para casa. Apesar de ser pequeno para a idade, o menino tem um desenvolvimento normal e não aparenta ter nenhuma sequela.

Lisa acordou somente no dia 15 de fevereiro, após mais de dois meses em coma e mais de um mês após o nascimento de Samuel.

Os médicos previam que ela só conseguiria voltar a ter uma vida normal depois de pelo menos seis meses, mas ela surpreendeu a todos novamente ao se recuperar em poucas semanas.

Segundo ela, o filho que ela só soube que tinha nascido ao acordar do coma foi sua maior motivação na fase de recuperação. FONTE: BBC BRASIL

Rainha da Espanha presenteia papa Bento 16 com escultura brasileira

Uma escultura feita por uma artista brasileira com pedras semipreciosas do Brasil foi dada como presente pela realeza espanhola ao papa Bento 16 nesta sexta-feira em Madri.
A peça da escultora carioca Yolanda D'Augsburg foi entregue pela rainha Sofia ao religioso em cerimônia no palácio da Zarzuela. A escultura de 70 centímetros é uma reprodução de Nossa Senhora Almudena, padroeira de Madri, com o Menino Jesus nos braços. Ela foi encomendada pela rainha, é de prata e na coroa tem ametistas e águas-marinhas brasileiras. A artista, que não esteve presente na recepção no palácio, diz ter recebido a encomenda no mês de abril e a entregou em julho. A escultura foi presente da rainha Sofia ao papa. O rei Juan Carlos entregou a Bento 16 um livro histórico de cantigas galegas e portuguesas do antepassado no trono, o rei Alfonso 10º, o Sábio. JOÃO PAULO 2º - A artista plástica afirma ter entregue a peça pessoalmente à rainha e disse que a monarca se emocionou ao ver a imagem, e que achava que o papa iria gostar muito da surpresa. "Ela ficou emocionada imaginando a reação do papa. Estava convencida de que ele adoraria o presente", afirmou a escultora à BBC Brasil. A padroeira de Madri foi a primeira obra de arte de Yolanda D'Augsburg para o papa Bento 16. Ela já havia criado três peças para João Paulo 2º, para visitas anteriores à Espanha, sempre sob encomenda da família real do país. "Nos conhecemos há mais de 30 anos. Temos uma relação familiar longínqua que começou a dar frutos em 1982. Na época me pediram uma obra para presentear o papa e fiz uma imagem de Santa Teresa de Ávila", diz a artista. "Na visita seguinte de João Paulo 2º, que foi a Santiago, (a rainha) me encomendou outra, e fiz a de Santiago de Compostela em 1989. Depois, ele foi a Sevilha em 1993 e eu fiz a Madona (Virgem Maria)", diz. FONTE: BBC BRASIL

Militares dos EUA testam com sucesso superexplosivo

O Escritório de Pesquisa Naval dos Estados Unidos anunciou ter testado com sucesso um nova nova substância que pode aumentar significativamente o poder dos armamentos.
Mísseis produzidos com o novo material podem explodir com uma energia cinco vezes maior do que a de armamentos tradicionais.
O material combina metais e polímeros e é descrito como sendo mais denso que o aço, com a mesma força do alumínio.
Por serem mais precisos, cientistas da Marinha americana dizem que os projéteis feitos com o novo composto têm menor probabilidade de causar a morte de pessoas inocentes que estejam próximas de um ataque.
Mísseis, cápsulas de artilharia e outras munições militares são constituídas, normalmente, de uma cobertura de aço que contêm explosivos potentes em seu interior.
A variação desenvolvida pelos pesquisadores americanos substitui a cobertura inerte de aço por uma de Materiais Reativos de Alta Densidade (HDRM, na sigla em inglês), que se combinam e explodem somente quando o projétil atinge o alvo.
Segundo os pesquisadores, testes recentes mostraram que os materiais HDRM são duráveis e aumentam o efeito do explosivo. Eles também aumentam as chances do que os cientistas militares chamam de "destruição total".
ESCUDO ANTI-MÍSSEIS - O novo material está sendo desenvolvido há mais de cinco anos e é feito de diferentes metais combinados com oxidantes para criar uma reação química explosiva no momento do impacto.
Um dos pesquisadores envolvidos na criação do HDRM, Clifford Bedford, diz que o material deve ser inicialmente usado em sistemas anti-mísseis.
"No cenário atual, nós basicamente atiramos duas vezes, olhamos e atiramos de novo, porque não temos muito tempo para atingir um míssil - e isso acontece porque, com os fragmentos de aço nos mísseis atuais, não dá para dizer se você atingiu o alvo ou não", explica.
"Se tudo der certo, com o míssil reativo nós poderemos atirar uma vez, olhar e ter a capacidade de determinar se houve destruição total. Ainda temos a opção de atirar pela segunda vez. Vamos economizar muito dinheiro se pudermos derrubar o alvo com um míssil ao invés de três."
Bedford acredita que o novo míssil também pode causar menos mortes, porque o novo material reage e explode no momento do impacto.
"Os efeitos colaterais são, de certa forma, minimizados, porque ele (o material) é consumido quando atinge o alvo. Se isso (o lançamento do míssil) puder ser focado, podemos reduzir o efeito colateral desses sistemas", sugeriu.
O pesquisador diz que o material poderá, também, ser aplicado em granadas e balas, assim como em outros armamentos. Novos testes estão planejados para setembro.
Por enquanto, o único inconveniente são os custos, entre três e quatro vezes maiores que o da tecnologia atual, o que pode restringir seu uso no futuro em caso de cortes orçamentárias. FONTE: BBC BRASIL

Cientista negro sofre preconceito acadêmico nos EUA, diz estudo

Cientistas americanos negros têm mais dificuldade de conseguir financiamento para pesquisa, indica um levantamento na última edição da revista "Science".
O estudo, coordenado por Donna Ginther, da Universidade do Kansas (EUA), avaliou mais de 40 mil pedidos de verba para o NIH (sigla de Institutos Nacionais de Saúde, principal órgão federal de pesquisa biomédica no país).
A diferença aparece mesmo quando são comparados cientistas com características parecidas em detalhes como país de origem, treinamento, prêmios recebidos e universidade empregadora.
Em média, 29% dos pedidos de brancos são aprovados, contra 16% das propostas dos cientistas negros.
O NIH não contestou os dados e afirmou, em resposta na "Science", que vai procurar maneiras de corrigir as distorções de financiamento. FONTE: FOLHA.COM

Lady Gaga: o que se esconde por traz da maquiagem

Não vamos ser ruins. Sabemos que você está na praia, despreocupado, surfando, curtindo a vida e praticando esportes. Mas encontrar a rainha da parafernália sem maquiagem nunca deixa de nos surpreender.
Sim, é verdade. Adivinhe quem está escondida por debaixo deste cabelo mal tratado, do nariz enrugado e o rosto parecendo um tomate. Sim, quem disse Lady Gaga acertou! Ela está de férias nas praias de Puerto Vallarta, no México.
A verdade é que a estrela do tapete vermelho, não é uma top model. No entanto, muito de seu sucesso está relacionado com sua imagem: roupas importadas, saltos gigantes, cabelo e maquiagem lindos. Ela está aprendendo a surfar e seus amigos dizem que, por ser a primeira vez, ela está mandando bem. Inclusive, ela se atreveu a surfar de biquíni.
O que você achou da rainha de cara limpa do POP? FONTE: YAHOO! OMG!