sábado, 6 de agosto de 2011

MEC restringe cursos de pós-graduação

O MEC (Ministério da Educação) publicou novas regras que restringem a oferta de cursos de pós-graduação lato sensu (em sentido amplo). A partir de agora, instituições não educacionais – como sindicatos, ONGs (organizações não governamentais), conselhos de classe, universidades corporativas e hospitais –, que antes eram autorizadas a oferecer especialização, não receberão mais o reconhecimento do ministério.
Cerca de 400 instituições não educacionais tinham esses cursos e 134 esperavam autorização do MEC para funcionar. A resolução que determinou as mudanças foi elaborada pelo CNE (Conselho Nacional de Educação) e homologada pelo ministro Fernando Haddad. “O que essas instituições buscavam sempre era o carimbo do MEC, transformando o credenciamento da instituição em um aval de qualidade do ministério em relação aos cursos que elas ofereciam”, diz o secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC, Luís Fernando Massonetto. “E isso causava sempre um certo incômodo ao MEC, porque o fato de você autorizar o funcionamento não significa que chancela o curso, no sentido de indicar que ele seja feito por alguém.” As organizações continuarão podendo oferecer os seus cursos. No entanto, eles serão considerados cursos livres, e não uma pós-graduação. A matrícula e o diploma de especialização serão assegurados aos alunos matriculados nesses cursos até 31 de julho passado. “O valor da pós-graduação lato sensu é muito dado pelo o que o mercado considera sobre aquele título. Em algumas áreas, o curso livre hoje é mais valorizado do que um de especialização”, assinala o secretário. Ficam excluídas as chamadas escolas de governo que são criadas e mantidas pelo Poder Público. A saída indicada pelo MEC às instituições não educacionais é transformar o curso lato sensu em mestrado profissional. Essa modalidade da pós-graduação é gerenciada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e tem um perfil de formação mais voltado para o mercado de trabalho, não sendo necessário ser uma instituição educacional para oferecê-la. Esses cursos deverão ser submetidos aos processos de avaliação do órgão. “Há a vantagem de ter o acompanhamento e o selo Capes, que têm uma importância muito grande. Os bons cursos lato sensu hoje já têm quase todas as características de um mestrado profissional, com uma ou outra adaptação. É muito mais conveniente que esse curso seja ministrado como mestrado com essa garantia do que ficar como se fosse um curso livre, que não é continuamente avaliado”, observa o presidente da Capes, Jorge Guimarães. No caso da pós lato sensu, para receber o credenciamento especial do MEC, as instituições não educacionais tinham que atender a algumas exigência como carga horária mínima de 360 horas e pelo menos 50% do corpo docente formado por mestres ou doutores. Para criar um mestrado profissional , as regras são diferenciadas. A resolução da Capes que regula a modalidade fala apenas em “ apresentar, de forma equilibrada, corpo docente integrado por doutores, profissionais e técnicos com experiência em pesquisa aplicada ao desenvolvimento e à inovação.” Fonte: AGÊNCIA BRASIL

Mulher cria absorvente com esponja marinha

A engenheira florestal curitibana Patrícia Marguê Cana Verde sofreu por anos com alergia aos absorventes convencionais. Tentou seguir o conselho da avó, de usar as toalhinhas de pano, mas elas não lhe garantiam a proteção necessária.
Foi atrás de outras alternativas e encontrou na esponja marinha mediterrânea o insumo ideal para o absorvente que começou fazendo apenas para si, depois distribuiu às amigas e agora se transformou num negócio artesanal. Patrícia criou um absorvente lavável e reutilizável. Usa pedaços de esponja que variam de tamanho, de acordo com a necessidade do fluxo menstrual. A esponja recebe uma capa de tecido de algodão orgânico, que pode ser lavada separadamente. A capa tem abas para fixar à calcinha. Ela explicou que cada mulher deve ter entre três e cinco absorventes e que eles duram até três anos. Para melhor conservar as esponjas, a recomendação é usar vinagre na água. As capas de algodão orgânico devem ser lavadas normalmente. Por enquanto, Patrícia trabalha com esponjas do Mar Mediterrâneo, importadas, mas a intenção é iniciar o cultivo no litoral. Hoje, cada absorvente é vendido por R$ 21. Fonte: METRO CURITIBA

Governo vai licitar linhas de ônibus

Na próxima terça-feira, o governo vai divulgar os documentos sobre a primeira licitação de linhas de ônibus interestaduais, que tem como objetivo racionalizar o sistema para as empresas e melhorar os serviços para os usuários. Desde 2008, quando venceram as permissões das empresas, elas operam com autorizações especiais.
“O sistema nunca foi licitado, sempre operou à margem da regulação. Queremos garantir que os compromissos de serviços serão cumpridos e uma profissionalização dos operadores, para que o setor possa atrair investidores”, disse o diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Bernardo Figueiredo. Licitação - O tema deve ser colocado em audiência pública e a licitação para linhas de longa distância deve acontecer no início do ano que vem. As linhas de curta distância devem ser leiloadas no segundo semestre de 2012. Segundo Figueiredo, os usuários vão começar a sentir as mudanças gradualmente a partir de 2013, pois haverá um prazo de adaptação para as empresas. As 2.000 linhas de ônibus existentes atualmente foram organizadas em 18 grupos. Hoje existem 250 operadores, que devem ser reduzidos para menos de 60. A ANTT vai exigir que a idade média da frota, que hoje é de 14 anos, seja de cinco anos, sendo que os ônibus não podem ter mais de dez anos. Além de exigências de segurança e conforto, o passageiro será beneficiado com mais informações sobre os horários das linhas, já que os ônibus serão rastreados. Os terminais e pontos de parada deverão atender a condições de acessibilidade. Fonte: AGÊNCIA BRASIL

FBI lança aplicativo para desaparecidos

O FBI aderiu ao mercado em expansão de aplicativos para telefones celulares, com o lançamento de uma ferramenta para ajudar pais a encontrarem crianças desaparecidas.
"Você está no shopping com seus filhos, quando um deles desaparece. Uma busca rápida pela área não tem sucesso. O que você faz?", diz o texto promocional do aplicativo. Se você baixou o aplicativo gratuito do FBI - disponível apenas para o iPhone - e armazenou fotos e informações sobre seus filhos nele, os dados de que você irá precisar para encontrar a criança "estarão à mão". Os pais que fizerem uso do aplicativo "poderão mostrar as fotos e fornecer dados como peso e altura da criança para os seguranças ou policiais que estiverem no local", ou enviar as informações por e-mail para autoridades, por meio de uma aba especial do aplicativo. Segundo o FBI, uma criança desaparece nos Estados Unidos a cada 40 segundos, e "muitas nunca voltam para casa". A polícia federal americana tem planos de ampliar as funções do aplicativo, e disponibilizá-lo em outros sistemas operacionais. Fonte: AFP

Japoneses criam esperma com células-tronco

Cientistas japoneses anunciaram que conseguiram criar pela primeira vez espermatozóides funcionais a partir de células-tronco embrionárias de um rato, um avanço que poderá ajudar a combater a infertilidade masculina no futuro.
Os espermatozóides foram utilizados para fecundar óvulos e o resultado gerou "filhotes saudáveis, que cresceram e se tornaram ratos machos e fêmeas adultos plenamente férteis", explicou o estudo, realizado pelos especialistas japoneses e publicado na edição online da revista americana especializada Cell. Esta tecnologia não poderá ser utilizada em seres humanos antes de uma década, explicou a equipe de cientistas da Universidade de Quioto. No entanto, a experiência é animadora porque faz cair por terra aquilo que constituía um dos principais obstáculos da biologia: transformar células embrionárias em precursores de esperma, denominadas células germinativas primordiais, que poderão depois produzir espermatozóides saudáveis. "Trata-se do primeiro estudo a relatar uma geração de células germinais plenamente funcionais a partir de células (tronco embrionárias)", reforçou o autor de estudo, Mitinori Saitou, professor do Departamento de Autonomia e Biologia Celular da Universidade de Quioto, em um e-mail enviado à AFP. Os cientistas utilizaram em sua experiência ratos incapazes de produzir esperma normal e injetaram neles células-tronco derivadas de células germinais primordiais ou CPG. Estas CPG "produziram esperma de aspecto normal, que em seguida foi utilizado para fecundar óvulos com sucesso", comentou o estudo. A equipe de cientistas continuará a trabalhar nesta técnica e nos efeitos observados nas gerações sucessivas de ratos machos e fêmeas. Fonte: AFP

TSE discute plebiscito sobre Pará

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) realizou ontem (6) audiência pública para discutir o plebiscito sobre a divisão do Pará. Além dos partidos políticos com registro na Justiça Eleitoral, podem participar interessados no processo que poderá resultar na criação de dois novos estados: Carajás e Tapajós.
A proposta da audiência é debater sugestões sobre as minutas das instruções que regularão o processo, como a escolha e o registro das frentes que atuarão no plebiscito, a propaganda eleitoral, a arrecadação e prestação de contas, a apuração de crimes e as pesquisas eleitorais. Mais de 15 sugestões foram registradas por interessados, que terão cinco minutos para apresentar a proposta oralmente, no auditório do tribunal. A audiência será presidida pelo ministro Arnaldo Versiani. Plebiscito - O TSE decidiu em junho que todos os eleitores do Estado em dia com a Justiça Eleitoral vão participar do plebiscito. Os ministros entenderam que os interessados não são só os eleitores dos territórios que pretendem se desmembrar, mas também os moradores das regiões que permaneceriam como área do Pará. O presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, afirmou ontem que chegou à corte um pedido do jurista Dalmo Dallari para que o plebiscito fosse feito em todo o país. “Ele argumenta que, como o país é uma federação, esse é um assunto de interesse nacional. Mas como a corte já analisou o tema, acho difícil voltarmos a esse assunto”, disse Lewandowski. O plebiscito está marcado para o dia 11 de dezembro. Os eleitores vão responder sim ou não a duas perguntas: “Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado de Carajás?” e “Você é a favor da divisão do estado do Pará para a criação do estado do Tapajós?” Fonte: AGÊNCIA BRASIL

Soldados holandeses participam de Parada Gay

Centenas de milhares de pessoas, segundo a organização, participaram neste sábado em Amsterdã do desfile náutico da Parada do Orgulho Gay pelos canais históricos da cidade, que teve 80 embarcações.
Na 16ª edição da Gay Pride de Amsterdã, o ministério holandês da Defesa fretou pela primeira vez o próprio barco com soldados homossexuais de uniforme. A polícia não divulgou estimativas sobre o número de pessoas ao logo dos canais para acompanhar a passagem dos barcos, ao som de música eletrônica. Mais que uma festa, a parada é considerada uma ocasião para que as LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais) reivindiquem o direito a sua identidade sexual. "Na Holanda existe o que chamamos de tolerância a distância", declarou à AFP Vera Bergkamp, presidente da principal associação de defesa dos direitos dos homossexuais do país. "As pessoas são tolerantes enquanto os homossexuais permanecem ocultos", explicou. Fonte: AFP

Prefeito é morto a tiros em mato grosso

O prefeito de Nova Canaã do Norte, Antonio Luiz Cesar de Castro (DEM), foi assassinado ontem, dia 5, à noite por um homem ainda não identificado. Luizão, como era conhecido o prefeito da cidade mato-grossense que fica a cerca de 700 quilômetros da capital, Cuiabá, tinha 43 anos, era casado e tinha dois filhos.
Luizão participava de uma festa em um clube quando um homem se aproximou, disparou ao menos seis tiros contra a vítima e fugiu a pé. Segundo nota divulgada pelo governo estadual, o crime aconteceu por volta das 22h e o criminoso usava um capuz, o que impediu que testemunhas o identificassem. As testemunhas já ouvidas pela Polícia Civil declararam que, ao se aproximar do prefeito, o autor dos disparos perguntou se ele era Luizão, atirando apenas após ter a confirmação. Os tiros atingiram o tórax e as costas da vítima, que morreu no local onde foram recolhidos projéteis de calibre 38. Ao chegar na cidade esta manhã, dia 6, para acompanhar o velório de Luizão, o governador Silval Barbosa lamentou a morte do prefeito e determinou a imediata investigação do caso. Uma equipe da Força Tática do município de Sinop e o comando regional da Polícia Militar de Alta Floresta, municípios da região, está auxiliando na busca do assassino. Luizão é o segundo prefeito assassinado no estado em menos de duas semanas. O prefeito de Novo Santo Antônio, Valdenir Antônio da Silva (PMDB), também foi morto a tiros em sua casa no dia 24 de julho. Fonte: AGÊNCIA BRASIL

"Não dependo mais dos meus peitões", diz brasileira ex-detentora do posto de dona dos maiores seios do mundo

Apesar do nome gringo, Sheyla Hershey é brasileiríssima. E era dela – e consequentemente do Brasil – o título de maior prótese mamária do mundo. A modelo tinha 3,5 litros de silicone em casa seio.
Sheyla é tão tarada por cirurgias plásticas que após cair do bisturi pela trigésima vez, em julho de 2010, acabou contraindo uma terrível infecção que quase tirou sua vida. A brasileira ficou viva, mas os peitões tiveram de ir embora. Ela perdeu os peitos, mas não o respeito. E, por isso, fez um desabafo e resolveu explicar exatamente como tem sido sua vida desde o ano passado. Segundo Sheyla, muitas mentiras foram ditas ao seu respeito. Ao contrário do que muita gente afirmou, ela não está disposta a recolocar seus peitões. Quer dizer, pelo menos não agora. “Não tenho mais seios. Por isso, vou até o México para fazer uma reconstrução da minha mama”, explicou ao UOL Tabloide. “A cirurgia vai ocorrer em setembro e será acompanhada por uma equipe de TV”, completou. Um canal norte-americano quer acompanhar todos os passos de Sheyla, que será uma das estrelas de um reality show sobre pessoas viciadas em cirurgias plásticas. Quando perguntada se quer voltar a ter seios gigantescos, a brasileira desconversa. “Minha nova prótese poderá ser preenchida quando eu quiser. Nesta cirurgia de setembro, vou colocar o tamanho suficiente para reconstruir meus seios”, conta. Sheyla corre um sério risco durante a cirurgia. Por isso, médicos americanos e brasileiros se recusaram a operá-la. “Sempre será perigoso. A infecção pode voltar, tenho consciência disso”, assegura. Em fevereiro deste ano, Sheyla passou por outro drama. Ficou quatro dias em coma em um hospital americano. Segundo muitos órgãos de imprensa, a modelo tentou suicídio. Ela nega. “Eu não sou doida. Tenho muitas dores de cabeça e tomo muito Vicodin (um poderoso analgésico). Em uma crise, acabei errando a dose e fiquei em coma”, explica. A brasileira também sofre de transtorno bipolar, que se agravou com a perda dos seios. “Eu vivia na TV, era famosa por causa de meus peitos. Depois que os perdi, fiquei desnorteada”, diz, com a clareza de quem sabe que teve seus 15 minutos de fama por causa de seus seios. No entanto, Sheyla parece ter superado todos os seus problemas. Hoje, ela leva uma vida de dona-de-casa e mãe dedicada de duas crianças, em Houston, no Texas (EUA), onde mora com o marido, um engenheiro eletrônico americano. Com a lucidez de quem já esteve duas vezes muito perto da morte, Sheyla conta que a infecção lhe ensinou uma lição. “O que aconteceu foi para melhor. Finalmente sou aceita por quem sou e não por causa dos meus peitos. Depois disso, entrei em uma faculdade, faço jornalismo e quero focar minha carreira aqui nos Estados Unidos “, conta. Segundo Sheyla, além da fama, seus seios gigantes traziam um prazer difícil de ser explicado. “Eu me sentia a mulher mais linda do mundo. E, no fim, viraram uma obsessão igual a de quem, por exemplo, vai à academia para cultivar músculos fortes”, explicou. Além dos seios, a tal obsessão de Sheyla já resultou em cirurgias plásticas no nariz, nas nádegas, em diversas lipoaspirações e aplicações de botox. Ela tem 31 anos. Ao mesmo tempo, lhe deixou em coma duas vezes, com problemas sérios nas costas e com o estigma de uma mulher que dependia de outros atributos para se afirmar. “Me apontavam o dedo na rua e me acusavam de um monte de coisas. Por exemplo, nunca fiz filme pornô, mas se você fizer uma busca na internet vou aparecer em vários sites como sendo atriz de filmes adultos”, reclama. Resta saber se, realmente Sheyla está disposta a continuar sua vida de mãe ou se a saudade da fama fará com que a brasileira volte várias vezes a uma mesa de cirurgia. Fonte: UOL TABLÓIDE

Brasil é país que vê imigrantes de forma mais positiva, diz pesquisa

O Brasil é o país que vê os imigrantes de maneira mais positiva, segundo uma pesquisa global que ouviu 17 mil pessoas em 23 países.
Quase metade dos brasileiros (49%) ouvidos pelo instituto de pesquisa Ipsos MORI disse que os imigrantes tornam o país um lugar mais interessante de se viver, enquanto 47% acreditam que a imigração traz benefícios para a economia do Brasil.
Outras nações que veem os imigrantes com bons olhos são Austrália, Índia e Canadá.
Por outro lado, 38% dos brasileiros disseram acreditar que a presença de imigrantes tornou mais difícil conseguir emprego. A questão, no entanto, preocupa muito mais pessoas ouvidas em países como Rússia (75%), África do Sul (64%), Reino Unido (62%) e Argentina (61%).
EXCESSO DE IMIGRANTES
A pesquisa também perguntou aos entrevistados sobre seu grau de satisfação com os níveis de imigração em seus países. Enquanto 41% dos brasileiros ouvidos disseram que há um excesso de imigrantes no país, o número de pessoas insatisfeitas com a presença de estrangeiros foi consideravelmente maior em alguns países europeus, como Rússia (77%), Bélgica (72%), Reino Unido (71%), Itália (67%) e Espanha (67%).
Os japoneses são a nacionalidade mais satisfeita com seu atual nível de imigração, que é historicamente baixo, com apenas 15% dos entrevistados dizendo que há estrangeiros demais no país.
A pressão extra sobre os serviços públicos causada pela imigração gera grande preocupação na Reino Unido, onde 76% dos entrevistados afirmaram que saúde, transporte e educação sofreram um impacto negativo devido à necessidade de atender pessoas de outros países.
Na Espanha, Bélgica e Estados Unidos, foram encontrados índices semelhantes (70%, 68%, 66%), enquanto no Brasil, apenas 37% disseram acreditar que os serviços públicos estão sendo prejudicados.
Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, realizada pelo IBGE, em 2009 havia 682,085 estrangeiros morando no Brasil.
Os países que fizeram parte da pesquisa foram Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, França, Reino Unido, Alemanha, Hungria, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Polônia, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Turquia e Estados Unidos. FONTE: BBC BRASIL