terça-feira, 10 de maio de 2011

Câmara aprova MP do cadastro positivo para bons pagadores

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira a medida provisória que cria o cadastro positivo, uma lista dos consumidores com bom histórico de pagamentos.
O texto agora seguirá para o Senado. O cadastro poderá servir de base para concessões de crédito, análise de risco de crédito do cadastrado, vendas a prazo ou transações comerciais. Em tese, o consumidor incluído no cadastro positivo poderá ter acesso a juros mais baixos em operações de crédito. O consumidor terá de autorizar previamente, por escrito, a inclusão de seu nome no cadastro positivo. No entanto, uma única autorização pelo cadastrado servirá para inclusão de vários tipos de dados. Informações como histórico de pagamentos de contas de água, luz e telefone poderão ser automaticamente transferidos para a central. A exceção são as contas de telefone celular, que, por enquanto, não farão parte do cadastro. Pelo texto da MP, o consumidor poderá sair do cadastro quando quiser. O consumidor também terá direito de consultar as informações a seu respeito sempre que quiser por telefone e pela internet --uma vez a cada quatro meses, de forma gratuita. A fiscalização e a aplicação de punições serão feitas pelos órgãos de proteção e defesa do consumidor (União, Estados e Distrito Federal). VETO - No ano passado, o governo vetou integralmente um projeto de lei aprovado pelo Congresso que instituía o cadastro positivo e editou a medida provisória sobre o tema. O governo Lula considerou que o texto, da forma como passou pelo Congresso, poderia abrir brechas a contestações judiciais por falta de clareza. FONTE: FOLHA.COM

Meta de plano de banda larga exige investimento em fibra ótica

A velocidade mínima de 1 mbps (megabit por segundo) para o PNBL (Plano Nacional de Banda Larga) imposta pela presidente Dilma Rousseff vai demandar a construção de mais redes de fibra óptica do que o previsto inicialmente, quando a meta mínima de velocidade era 512 kbps.
Para isso, o governo pretende orientar que novos empreendimentos de infraestrutura, inclusive privados, invistam na construção de fibras ópticas. Segundo o Secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Nelson Fujimoto, o acréscimo para implantar rede de fibra óptica numa obra é relativamente pequena, e deu o exemplo do trem-bala: serão gastos R$ 23,4 milhões com fibras, um impacto de 0,00675% sobre o custo total da obra, avaliada em R$ 34,6 bilhões. O governo também vai trabalhar em regras que facilitem o direito de passagem de dados e o compartilhamento de infraestrutura, ponto que as concessionárias de telefonia fixa, grandes detentoras de redes no país, são resistentes em ceder. Quando o rascunho do PNBL contemplava conexões a partir de 512 kpbs, boa parte dos pequenos municípios brasileiros receberia banda larga via ondas de rádio, sem necessidade de uma rede física muito que chegasse até a cidade. Segundo Fujimoto, a Telebrás sozinha não vai dar conta da rede super-ramificada de fibras ópticas que terá de ser construída para levar internet para os municípios. Pelos cálculos do governo, serão necessários R$ 7 bilhões até 2014 para levar rede a todos os municípios com até 35 mil habitantes, um total de mais de 4.000 cidades. A presidente Dilma Rousseff se comprometeu a negociar com sua equipe econômica a liberação de R$ 1 bilhão por ano, somando R$ 4 bilhões. O restante do investimento poderá vir de investimento direto de empresas, não necessariamente do setor de telecomunicações, ou da troca de capacidade de empresas do setor com o governo. Segundo Fujimoto, o governo estuda desonerações e outros estímulos para atrair investimentos em fibras. Além de trabalhar a regulação do setor, como a aprovação no Senado do PL 116, que abre o mercado de TV a cabo para empresas de telefonia. O secretário esteve presente em audiência pública na subcomissão de Banda Larga da Câmara dos Deputados. FONTE: FOLHA.COM

Corpos do voo 447 muito degradados ficarão no mar

Os corpos das vítimas do voo 447 que estiverem muito degradados não serão resgatados, decidiram dois juízes de instrução franceses, segundo uma carta enviada às famílias das vítimas à qual a agência France Presse teve acesso nesta terça-feira.
"Para preservar a dignidade e o respeito das infelizes vítimas e daqueles que as choram, tomamos a decisão de não retirar os corpos muito alterados", indicam os juízes parisienses Sylvie Zimmermann e Yann Daurelle.
Devido a essa decisão, "decidiu-se retirar apenas dois corpos em diferentes estados de conservação com o objetivo de determinar se podem ser identificados ou não depois de terem permanecido tanto tempo no fundo do oceano", segundo os magistrados.
No final de semana passado, dois corpos de vítimas do voo Rio-Paris da Air France, que caiu no Atlântico em junho de 2009, foram recuperados entre os restos do avião, a uma profundidade de 3.900 metros.
"Ao contrário de algumas declarações públicas divulgadas por alguns meios, devem saber que os restos mortais das vítimas que estão no fundo estão inelutavelmente em um estado degradado após o choque particularmente violento, devido ao tempo transcorrido e ao entorno", prosseguem.
Os magistrados insistem também no fato de que "a retirada para a superfície é necessariamente mais um fator para a degradação".
"Em consequência disso, só resgataremos as vítimas que possam ser entregues de forma decente às famílias, com a condição de que possam ser identificadas", advertem.
O voo 447 caiu no oceano Atlântico em 1º de junho de 2009 com 12 tripulantes e 216 passageiros --todos morreram no acidente.
Os restos mortais resgatados estão sendo levados a bordo do navio francês Ile de Sein, e serão transportados para Paris na próxima semana. Segundo a polícia francesa informou, os corpos serão encaminhados a um laboratório de análise a fim de determinar a possibilidade de realização do DNA.
"É difícil por que os corpos estão bem preservados no fundo do mar por conta da pressão e da temperatura, mas trazê-los para cima para águas mais quentes provoca a decomposição", afirmou um porta-voz da polícia francesa.
Na ocasião da tragédia, cerca de 50 corpos foram resgatados do oceano, sendo que 20 eram de brasileiros --12 homens e 8 mulheres.
As causas do acidente com o Airbus A330 podem ser esclarecidas após a análise das duas caixas-pretas recuperadas domingo (1º) e segunda-feira (2).
O primeiro mergulho do robô em busca dos destroços do voo, localizados no começo de abril, foi realizada no dia 26 e durou mais de 12 horas. FONTE: FRANCE PRESSE

Sonda espacial comprova teoria de Einstein

Uma sonda da Nasa comprovou na prática um dos pontos mais importantes da teoria da relatividade, do físico Albert Einstein. Segundo anunciou a agência espacial americana, a sonda Gravity Probe B (GP-B) confirmou que a força da gravidade dos grandes corpos do Universo distorce o tempo e o espaço.
"Einstein sobrevive", afirmou, com um sorriso, Francis Everitt, físico da Universidade de Stanford e principal pesquisador da GP-B, um dos projetos em curso mais antigos da Nasa. O experimento começou a ser idealizado há mais de quatro décadas, mas teve de aguardar a evolução tecnológica para ser lançado finalmente em 2004, em uma órbita de mais de 600 km sobre a Terra. "No Universo de Einstein, o tempo e o espaço são deformados pela gravidade", explicou Everitt. "A Terra distorce ligeiramente o espaço ao seu redor, por causa da gravidade", disse, resumindo a teoria que o gênio da física formulou há quase 100 anos, muito antes da tecnologia necessária para observá-la. "Imaginem que a Terra estivesse submersa em mel. À medida que o planeta gira, o mel ao seu redor formaria um redemoinho. Ocorre o mesmo com o tempo e o espaço", afirmou o cientista, prevendo que a missão "deixará um legado duradouro na Terra e no espaço". Apesar do dinheiro investido — 750 milhões de dólares, segundo o The New York Times — a descoberta da sonda não é exatamente uma surpresa. Astrônomos e físicos já haviam recebido provas suficientes de que a teoria de Einstein estava correta por meio da observação da Lua, de outros planetas e da dupla de satélites Lageos, o primeiro lançado ainda na década de 70. Os cientistas, porém, afirmam que foi a mais direta medição já feita, e que a comprovação pela Gravity Probe entrará para a história. Como foi feita a experiência — O satélite levava quatro giroscópios avançados para medir o efeito geodésico, ou seja, a curvatura do espaço e do tempo em torno de um corpo gravitacional, e o "frame-dragging", ou fricção do marco de referência, ou seja, quanto espaço-tempo é arrastado quando um objeto gira. Se os giroscópios apontassem na mesma direção sempre que estivessem em órbita, a teoria de Einstein teria sido refutada, disse a Nasa. "Mas os giroscópios experimentaram mudanças mensuráveis na direção de seu giro à medida que eram atraídos pela gravidade da Terra, confirmando a teoria geral da relatividade de Einstein", disse Everitt. As medições da sonda se aproximam notadamente das projeções de Einstein, segundo as descobertas publicadas na revista científica Physical Review Letters. Pai do GPS — O satélite, que concluiu no ano passado sua missão de coleta de dados, foi idealizado pela primeira vez em 1959. Leonard Schiff, chefe do departamento de física de Stanford, e George Pugh, do Departamento de Defesa, sonhavam com um satélite que orbitasse a Terra e colocasse à prova a teoria de Einstein. Everitt uniu-se ao projeto em 1962, seguido pela Nasa, em 1963. As tecnologias criadas para desenvolver a sonda gravitacional foram utilizadas posteriormente para elaborar os sistemas de posicionamento global (GPS) e o cálculo da radiação de fundo do Universo. "Este cálculo é a base da teoria do Big Bang e concedeu o prêmio Nobel a John Mather, da Nasa", lembrou a agência espacial. Centenas de estudantes universitários e dezenas de estudantes de ensino médio trabalharam no projeto, incluindo nomes célebres como Sally Ride, a primeira astronauta mulher a viajar ao espaço, e o Prêmio Nobel Eric Cornell. FONTE: FRANCE PRESSE

COPA 2014: Uma trapaça política, mas com boas ideias

Em outubro de 2007, o Brasil vibrou ao ser escolhido sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014. Passaram-se quatro anos e nada há a comemorar. Infraestrutura de transportes precária, atraso em obras, estádios que só existem no papel (ou nem no papel). Passada mais da metade do prazo para preparação do país para o campeonato, o mesmo governo federal que tolerou a inércia propõe flexibilizar as regras para licitar obras públicas. Quer acelerar o procedimento – e, por consequência, as obras e compras.
Em estilo pouco ortodoxo, mas que se tornou usual no governo do PT, a Presidência fez o projeto chegar ao Legislativo enxertado em uma medida provisória sobre o trabalho de médicos residentes. Mistura alhos com bugalhos. Tudo para votar a proposta em poucos dias. Turbinada por um pedido de urgência, ela deve ir ao Plenário da Câmara dos Deputados nesta terça-feira. Para além da condenável esperteza política, o documento traz elementos que, levados a um debate sério, representam uma evolução na forma como o governo compra e contrata. Traz também trechos que, para o bem da transparência e da moralidade, precisam ser vetados. Seja como for, especialistas ouvidos pelo site de VEJA são unânimes: o procedimento adotado para as licitações desses grandes eventos servirá de modelo para uma reforma na Lei de Licitações (8.666), de 1993. Melhor saber, portanto, do que se trata. “É uma lei de licitações paralela, criada por medida provisória”, define o advogado Jonas Lima, especialista em licitações públicas. Marcio Pestana, professor de direito administrativo e público da Fundação Armando Álvares Penteado, identifica na proposta conceitos modernos, como a informatização e o encurtamento de prazos. “Ela tende a transcender o limite dos eventos esportivos, sendo usada como um aprimoramento da Lei de Licitações.” A proposta do governo, apresentada por meio do parecer da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), é criar o Regime Diferenciado de Contratações Públicas, válido para obras e compras públicas da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016 (veja o projeto em detalhes no quadro abaixo). Lupa na proposta - O primeiro ponto de honra é a criação da modalidade de contratação integrada, em que a empresa vencedora da licitação é responsável também por fazer o projeto básico da obra, algo atualmente a cargo do governo. O projeto básico consiste no detalhamento das características da construção, com estudos de viabilidade técnica e de impacto ambiental. Um custo e um esforço que o governo delega agora aos licitantes. Para Jonas Lima, apesar de facilitar a vida do governo, a contratação integrada desestimula empresas a participarem da disputa, já que os candidatos terão de gastar com estudos e consultorias extras. “Com a participação na licitação mais onerosa, haverá menos licitantes e menos competitividade”, diz o advogado. “Além disso, não se licitam coisas desiguais. Cada concorrente apresentará um projeto de estádio ou de aeroporto. Os critérios de escolha serão subjetivos – o que cria uma bomba relógio de questionamentos judiciais.” O segundo ponto de honra, visto como positivo pelos especialistas, é a criação de novos critérios de julgamento, além do menor preço. Pela proposta de lei, o vencedor pode ser também aquele que oferecer o maior desconto, a melhor combinação de técnica e preço, o maior lance ou o maior retorno econômico para os cofres públicos. A inovação, diz o professor de direito administrativo da Fundação Getúlio Vargas Carlos Ari Sundfeld, dá poder ao governo de fazer uma seleção mais subjetiva e, por isso, mais flexível. “O preocupante é que a flexibilidade seja dada sem a criação de um sistema de fiscalização específico para essas contratações”, diz Sundfeld. Para o advogado, teria de ser criada, obrigatoriamente, uma comissão de fiscalização externa, que acompanhasse cada etapa do processo de licitação pelo regime diferenciado. A proposta sequer fala de fiscalização. “Pensou-se na celeridade, mas não se pensou no risco”, afirma Sundfeld. Com os órgãos de fiscalização excluídos do processo, a tendência é uma desconfiança e um rigor ainda maior na análise das licitações. Resultado: mais paralisação de obras e mais atrasos. Por isso, apesar dos avanços, Sundfeld está cético quanto à eficácia do regime diferenciado para acelerar processos. “A proposta do governo revela uma visão do fiscal como inimigo.” Perigoso sigilo – O artigo 17 da medida provisória esconde um perigoso artifício, que, se aprovado, resultará numa porta escancarada à corrupção. Ele prevê publicidade a todas as licitações, exceto àquelas em que a divulgação oferecer risco à segurança da sociedade e do estado. Ora, pode algo público ser sigiloso? A decisão do que é ou não questão de segurança ficará a cargo do gestor da licitação, de acordo com os critérios que ele bem entender. “Nunca houve no regime de licitação brasileira esse tipo de ressalva”, diz Sundfeld. “A medida provisória presume que haja licitações passíveis de sigilo. E não há. Isso enseja a distorção do princípio da publicidade. O único motivo para se sonegar informações sobre uma licitação é esconder irregularidades.” A proposta ressuscita ainda o sigilo sobre o orçamento previsto para a obra ou compra que se está licitando, derrubado pela Lei de Licitações em 1993. Na teoria, as empresas proporiam valores mais baixos por não terem um valor comum de referência. Na prática, é impossível evitar vazamentos. “Sigilo do orçamento não tem utilidade nenhuma a não ser para a malandragem. O administrador da licitação conta para o amigo de quanto é o orçamento e planta informação falsa para o inimigo”, diz Sundfeld. Armadilhas como essas provam que a proposta de Regime Diferenciado precisa ser examinada com lupa pelos parlamentares, sob o risco de instaurar no Brasil um sistema vulnerável à corrupção e aos desmandos do poder público. Há boas propostas – prazos mais curtos e desburocratização – mas há, como sempre, a tentativa de lucrar em cima de uma conquista de todos os brasileiros: o direito de sediar dois eventos de dimensão planetária. O mundo está de olho. FONTE: VEJA ONLINE

Tragédia da Gol: sentença dos pilotos do Legacy sai em 10 dias

O juiz federal Murilo Mendes, responsável pelo processo que investiga o acidente entre o jato Legacy e o Boeing 737-800 da Gol, garante que a sentença dos pilotos americanos será anunciada entre os dias 20 e 25 deste mês.
No dia 29 de setembro de 2006, 154 pessoas morreram no voo 1907, que fazia o trajeto entre Manaus e Rio de Janeiro, com escala em Brasília. O choque entre as aeronaves aconteceu no norte do Mato Grosso. Em entrevista a EXAME.com, por telefone, o magistrado disse que o prazo para as alegações finais da defesa dos pilotos Joseph Lepore e Jan Paul Paladino nesta terça-feira (10). “A partir daí, dou três ou quatro dias para o Ministério Público analisar as novas documentações e, entre os dias 20 e 25 de maio, sai a sentença.” O juiz federal Murilo Mendes, da Vara Federal de Sinop (MT), diz que não há mais como a defesa dos pilotos postergar o julgamento do caso, que corria o risco de prescrever em junho. O polêmico acidente foi até debatido durante a campanha eleitoral do ano passado, quando a então candidata Dilma Rousseff culpou os americanos (assista ao vídeo). O magistrado não quis comentar qual é a pena máxima prevista para os pilotos. “A gente não fala sobre pena antes de saber se há condenação. O artigo é o 261 do Código Penal, mas é preciso fazer algumas contas (para calcular a pena máxima). Vamos primeiro ver se haverá condenação e depois a gente se preocupa com pena.” FONTE: EXAME.COM

Morre aos 33 anos o dançarino de funk carioca Lacraia

O dançarino de funk carioca Marco Aurélio da Silva Rocha, conhecido como Lacraia, morreu na madrugada desta terça-feira, aos 33 anos. Ele estava internado no Hospital Universitário Gaffrée e Guinle, na Tijuca, subúrbio do Rio de Janeiro, onde se tratava nos últimos meses de uma doença crônica não divulgada. A causa da morte ainda não foi informada.
A notícia da morte colocou Lacraia nos Trending Topics do Twitter, a lista de assuntos mais comentados do dia no Brasil, em questão de minutos. O dançarino fez sucesso no início desta década, junto com a sensação do funk carioca que tomou as rádios e TVs do Brasil, fazendo dupla com MC Serginho. Entre as coreografias mais famosas, está a impagável Eguinha Pocotó. O corpo será enterrado no cemitério do Inhaúma, no Rio de Janeiro, às 10 horas, desta quarta-feira. FONTE: VEJA ONLINE

Cade põe em xeque fusão entre Sadia e Perdigão

A procuradoria-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) emitiu um duro parecer que ameaça barrar a fusão entre a Sadia e a Perdigão. O documento recomenda restrições mais fortes ou a reprovação do negócio. Segundo fontes do Cade, uma das opções é determinar a venda de uma das marcas.
O documento foi entregue no fim da tarde desta segunda-feira ao conselheiro relator do caso, Carlos Ragazzo. Não é a posição definitiva do Cade, mas representa um indicativo importante, já que costuma ser seguido pelos conselheiros. “Estamos preocupados com essa operação e queremos sinalizar ao conselho que deve haver atenção redobrada”, disse o procurador-geral do Cade, Gilvandro de Araújo.
O voto dos conselheiros só será conhecido em plenário. A expectativa é de que a fusão, que criou a Brasil Foods (BRF), seja julgada em junho, após dois anos de análise. A BRF também pode entrar em acordo com o Cade e evitar o julgamento. O negócio foi fechado em junho de 2009 para resgatar a Sadia, que sofreu prejuízos bilionários com derivativos cambiais na crise global.
Para a procuradoria-geral do Cade, “as empresas não lograram êxito em demonstrar que os benefícios decorrentes da fusão podem ser compartilhados com o consumidor". Sadia e Perdigão argumentam que vão criar uma grande exportadora nacional de carnes, mas a preocupação do órgão é com o custo para a população, pois as concentrações de mercado ultrapassaram 70% em diversos produtos.
Com 38 páginas, o parecer emitido ontem é ainda mais restritivo que o da Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda. A Seae recomendou a aprovação da operação desde que seguidas uma de duas alternativas: a venda de um conjunto de marcas com preços mais baixos ou o licenciamento por cinco anos das marcas Sadia ou Perdigão.
“As alternativas oferecidas pela Seae não são suficientes para combater os problemas identificados”, diz a procuradoria do Cade. “Ou encontramos restrições que possibilitem efetivamente a um terceiro agente econômico fazer frente ao poder de mercado da Brasil Foods, ou se impõe a reprovação da operação”. FONTE: AGÊNCIA ESTADO

Microsoft anuncia compra da Skype por US$ 8,5 bi

A Microsoft confirmou hoje as negociações para compra da Skype Technologies por US$ 8,5 bilhões em dinheiro. Este é o mais agressivo investimento da Microsoft na convergente indústria de comunicação, informação e entretenimento. Ao adquirir a Skype, que conecta milhões de pessoas no mundo por meio de telefonia e vídeo baseada na internet, a Microsoft deve ampliar o espaço de seu já conhecido nome na internet, em um momento em que encontra dificuldades para acelerar seus negócios no mercado de consumo.
"Skype é um serviço fenomenal, amado por milhões de pessoas no mundo", disse o executivo chefe da Microsoft, Steve Ballmer. "Juntos criaremos o futuro da comunicação em tempo real, de modo que as pessoas possam facilmente se conectar com suas famílias, amigos, clientes e colegas em qualquer parte do mundo." A Skype será uma nova divisão de negócios da Microsoft e o CEO da Skype, Tony Bates, assumirá o cargo de presidente da divisão Microsoft Skype, reportando-se diretamente a Ballmer. A Microsoft tem investido pesadamente em marketing e em tecnologia de seu site de busca Bing. Embora tenha obtido algum avanço em relação ao ano passado, o mercado de busca na internet segue dominado pelo Google, que agrega mais de 65% do mercado de buscas nos Estados Unidos. O negócio com a Skype está próximo da maior aquisição já feita nos 36 anos de história da Microsoft, companhia que tem estado longe de grandes aquisições. Em 2007, a Microsoft pagou cerca de US$ 6 bilhões para adquirir a empresa de publicidade online aQuantive. Muitos dos atuais e ex-executivos da Microsoft acreditam que a companhia pagou um preço exorbitante no negócio. Mas observam que a empresa abandonou uma proposta para a compra do Yahoo! por US$ 48 bilhões e que, atualmente, a empresa está avaliada por um valor que corresponde a metade dessa oferta. Valorização - O valor da aquisição da Skype mostra a valorização da empresa desde seu lançamento, em 2003, por Niklas Zennstrom por Janus Friis, dois dos criadores da tecnologia de partilha de arquivos conhecido por Kazaa e que acabou ficando associada à pirataria. Inicialmente popular somente entre os tecnólogos, o Skype caiu no gosto popular ao oferecer chamadas telefônicas baratas ou sem custo, atraindo especialmente os usuários de chamadas internacionais. Quando a eBay adquiriu a empresa em 2005, por US$ 2,6 bilhões em dinheiro e ações, a Skype era considerada um experimento, pelo qual os clientes do eBay poderiam utilizar o serviço para se comunicar sobre potenciais negócios de compra e venda de produtos oferecidos pelo site. A experiência não foi bem sucedida e, em 2009, a eBay vendeu 70% da Skype para um grupo de investidores de tecnologia, incluindo a empresa Silver Lake Partners, as empresas de venture capital Index Ventures e Andreessen Horowitz e um plano previdenciário do Canadá, que obterá um bom retorno com a transação fechada agora com a Microsoft. A história financeira da Skype tem sido inconstante. Nos oito anos desde que foi fundada, produziu baixo lucro. No ano passado, obteve receita de US$ 860 milhões e US$ 264 milhões em lucro operacional. Ainda assim, terminou com um prejuízo líquido de US$ 7 milhões. Até 31 de dezembro de 2010, a companhia tinha uma dívida de longo prazo de US$ 686 milhões. Em agosto do ano passado, a empresa entrou com documentação para abrir seu capital e ter ações na bolsa, mas os planos foram congelados com a chegada do executivo Tony Bates ao comando da empresa. As informações são da Dow Jones. FONTE: AGÊNCIA ESTADO

ANS discute desconto para pessoas saudáveis em planos de saúde

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) vai abrir consulta pública para discutir um projeto de resolução normativa que oferece descontos nos planos de saúde.
A ideia é que pessoas que participem de programas de promoção da saúde --ou seja, tenham um modo de vida saudável-- recebam desconto nos planos de saúde ou prêmios. A resolução é voltada aos idosos, que têm os planos mais caros, mas abrange pessoas de todas as idades, de acordo com a ANS. A assessoria de imprensa da agência não soube dizer se, ao entrar em vigor, a resolução normativa será obrigatória a todos os planos de saúde. O projeto estará disponível para consulta de 16 de maio a 14 de junho no site da agência. FONTE: FOLHA.COM

Criança já nasce com dente e atrai atenções no interior de SP

A surpresa foi grande para a autônoma Andréia Pires Jacinto Ladeia, 33, quando ela percebeu que a filha Alana Pires Jacinto Ladeia já nasceu com um dente. "A gente pensou que era leite. Só quando coloquei o dedo é que senti o dente", disse.
O fato inusitado aconteceu na última semana. Andréia deu à luz sua segunda filha na segunda-feira à noite, mas só foi perceber o dente na última sexta-feira. "Achei engraçado. Não acreditávamos que seria um dente. Daí todo mundo quis ver", disse. Segundo a mãe, a pediatra que atendeu a criança nos primeiros dias de vida disse que ela estava com uma inflamação na gengiva. "Na verdade, a gengiva estava inchada por causa do dente. E ainda tem um segundo para sair", disse Andréia. De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Odontologia, Newton Miranda de Carvalho, o caso não é comum, mas é normal. "As crianças já podem nascer com dente e isso não é uma doença. As mães podem ficar tranquilas", disse. O dentista explicou que o surgimento do dente pode ter ocorrido por causa da germinação do dente muito próximo à gengiva. "Pode ser um dente que iria nascer ou até uma terceira dentição, que vai cair para nascer o dente de leite". Carvalho afirmou que, para a criança, não há nenhum prejuízo. O único problema pode estar na amamentação. "Porém, como em toda situação, recomendamos que a mãe procure um dentista e um pediatra", disse. Andréia afirmou que dois dentistas já avaliaram sua filha e que ela passará por consultas em breve. "Com relação à amamentação, estou intercalando o peito com a mamadeira. Quando não consigo fazê-la mamar, por causa das mordidas, faço a extração do leite." FONTE: FOLHA.COM