quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Acusado por Dilma, ex-agente comemora decisão da Justiça

O tenente-coronel reformado Maurício Lopes Lima, 76, comemorou ontem a decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (São Paulo) que o livra de responder a processo por tortura.

"Está começando a se fazer justiça", disse o militar em entrevista a Bernardo Mello Franco, publicada na Folha desta quarta-feira.

Ele foi apontado como responsável por maus-tratos a presos políticos em depoimento da presidente Dilma Rousseff à Justiça Militar em 1970, ano em que ela foi presa por militar contra o regime.

"A acusação é inverídica. Mas jornalista só entende a palavra do terrorista", disse Lima por telefone, de seu apartamento próximo à praia no Guarujá (litoral de SP).

A Justiça Federal decidiu que os militares acusados de torturar presos políticos na Oban (Operação Bandeirante) durante a ditadura não podem mais ser condenados porque seus supostos crimes já prescreveram.

A decisão beneficia quatro ex-agentes do regime. FONTE: FOLHA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: