domingo, 9 de outubro de 2011

Califórnia aprova lei de inserção universitária de imigrantes ilegais

O governador da Califórnia, Jerry Brown, firmou neste sábado a "Lei dos Sonhos" do Estado (Dream Act), que converte os imigrantes ilegais em possíveis beneficiários do dinheiro estatal para financiar seus estudos em universidades americanas.

Graças a esta lei, os imigrantes ilegais que atenderam à escola secundária no Estado da Califórnia podem receber a ajuda "Cal-Grant", que no ano passado repartiu bolsas a mais de 370 mil estudantes pobres, proporcionando uma média de US$ 4.500 por assistência.

"Ir à universidade é um sonho que promove a motivação intelectual e o pensamento criativo. O Dream Act irá beneficiar a todos, proporcionando aos melhores estudantes uma oportunidade para melhorar suas vidas e as de todos", disse Brown.

Funcionários californianos estimam que cerca de 2.500 estudantes estarão qualificados para receber a bolsa com a entrada em vigor da nova legislação, denominada AB 131, e que terá um custo de US$ 14,5 milhões, tal como comunicou o gabinete de Brown.

A totalidade do programa "Cal Grant" está subsidiada com US$ 1,4 bilhão, o que quer dizer que apenas 1% de todo o dinheiro do programa será gastado na AB 131 quando a lei entrar em vigor, disse o Estado por meio de um comunicado.

A lei foi aprovada pelo Congresso de Califórnia no dia 2 de setembro e estava à espera da aprovação do governador.

Brown, um experiente democrata, tornou-se governador do estado da Califórnia em janeiro, quando sucedeu Arnold Schwarzenegger, que havia vetado esta lei.

A aprovação da lei no estado liberal da Califórnia, que possui grande número de população imigrante, pode ser vista como um sinal para os legisladores de Washington sobre a controvertida lei de Desenvolvimento, Ajuda e Educação dos Menores Estrangeiros.

A lei federal 'Dream' poderá proporcionar uma permissão de residência de seis anos aos graduados na escola secundária que tenham chegado aos Estados Unidos de maneira ilegal, além de permitir-lhes pagar taxas universitárias muito mais baratas ou obter bolsas com o objetivo de financiarem seus estudos universitários.

Esta lei poderia beneficiar 55 mil filhos de imigrantes que foram levados de forma ilegal aos Estados Unidos por seus pais e que se formaram no sistema público de educação e não têm condições de arcar com as elevadas taxas universitárias. FONTE: FRANCE PRESSE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: