domingo, 11 de setembro de 2011

DICA: Como comprar um computador

Escolher um novo computador pode parecer uma tarefa fácil, dada a quantidade de oferta de novas máquinas, com novas configurações, e a quantidade de ofertas – máquinas cada vez mais novas custando cada vez menos. Isso torna o fator preço, por incrível que isso possa ser, um fator secundário. Especialmente por causa da primeira regra dos equipamentos tecnológicos: não importa o quanto você está pagando por um gadget hoje, ele vai custar menos daqui a seis meses.



Em um cenário como esse, o mais importante a se levar em conta é o uso que você irá fazer do equipamento. Um exemplo rápido: se você precisa de um computador para ver vídeos ou trabalhar com gráficos você vai precisar de um equipamento diferente do que se você precisasse mais de um computador capaz de acessar grandes quantidades de dados rapidamente.


Para facilitar a sua escolha, nós montamos esse guia onde você vai conhecer os principais itens a levar em consideração, e fazer uma compra o mais consciente possível.


1 – Saiba para que você quer o computador
Uma compra consciente está diretamente relacionada com o fato de você saber o uso que você fará do novo computador. Comprar um equipamento para ver vídeos, acessar a internet e usar planilhas e processadores de texto é diferente de comprar um equipamento para editar imagens ou vídeos, ou jogar games de última geração.

Dependendo do uso, vale a pena investir em mais memória RAM, por exemplo, ou uma placa aceleradora de gráficos (GPU) mais avançada, itens que serão explicados mais adiante. O principal é que ter plena consciência desse uso vai inclusive evitar o “canto de sereia” dos vendedores, que podem tentar convencê-lo a levar um equipamento mais caro, mas que não terá absolutamente nenhuma utilidade para você.

No caso da escolha entre um laptop ou um desktop há que se pensar também no uso. Quantas pessoas irão usar o computador? Você precisa de mobilidade ou prefere que seus dados estejam seguros em casa?

Seja qual for o modelo, os itens a seguir ajudarão você na escolha.



2 – A memória RAM
A memória RAM é a responsável pela capacidade do computador de gerenciar programas diferentes ao mesmo tempo – cada programa aberto faz uso de uma parte dessa memória. Isso significa que quanto mais memória RAM, maior a capacidade do computador de gerenciar várias atividades de processamento paralelas.

A maioria das configurações básicas atuais tem 2GB de memória RAM, o que é suficiente para tarefas comuns como navegar na internet ao mesmo tempo em que se edita um texto e se ouve música. Fuja de modelos mais baratos que trazem apenas 512Mb de memória RAM.

A maioria dos programas (inclusive o sistema operacional Windows 7) precisa de mais do que isso para rodar de maneira satisfatória. Eles até rodam em configurações de 1Gb de memória mas a chance de seu computador virar uma carroça com meses de uso é muito grande.

Para jogos e outros programas mais pesados, prefira configurações a partir de 4GB de memória.


3 – O processador

O processador é o coração da máquina. É ele que responde pela velocidade de resposta das funções que exigem grandes cálculos ou acesso a informações armazenadas.

O problema é que atualmente existe uma grande oferta de processadores de alta performance e fica difícil saber exatamente qual é a melhor escolha.

Relativamente baratos e com boa performance, os processadores de dois núcleos (dual core, ou core 2) são uma boa opção.

Prefira os processadores das duas maiores fabricantes: AMD e Intel.

Se você precisa de alta performance (para jogos , por exemplo), prefira os processadores com mais de dois núcleos como os quádruplos AMD Phenon e os da família i (i5, i7) da Intel.

4 – Armazenamento

Espaço é um dos itens tecnológicos mais baratos atualmente. E como espaço para armazenar seus arquivos nunca é demais, você pode optar por HDs de até 1Tb (Terabyte, ou 1000 Gigabytes, aproximadamente) a preços confortáveis.

Uma dica interessante – e segura – é investir em um HD mediano (em torno de 320 Gb) embutido no computador, e em outro HD externo para que você tenha copias de backup de seus arquivos mais importantes em dois lugares diferentes.

Já é possível encontrar HDs externos de 500 Gb por até R$ 300. Outra vantagem é que boa parte dos equipamentos como TVs e Home Theaters de hoje têm entradas USB, permitindo que você rode filmes, música e veja fotos diretamente do HD externo na TV.

5 – Placas Gráficas

As antigas placas de vídeo ganharam um nome pomposo – GPUs, ou Unidade de Processamento Gráfico, ou ainda Aceleradores Gráficos. Sua função é justamente “ajudar” a memória RAM a processar imagens de maneira mais rápida. A indústria lança placas novas periodicamente que permitem gráficos cada vez mais nítidos e rápidos.

Notebooks, netbooks e desktops normalmente vêm com a sua placa de vídeo instalada de fábrica, suficiente para que você desempenhe a maioria das tarefas cotidianas – ver um vídeo na internet ou em um DVD, por exemplo – sem maiores problemas.

No entanto, o desempenho dessas placas cai bastante em programas que usam uma grande quantidade de gráficos como os games mais recentes.

Se esse for o caso e se você estiver comprando um desktop, vale a pena consultar o preço de uma GPU extra. Notebooks já se tornam um caso mais complicado, já que é muito difícil fazer o upgrade desse tipo de placa em um compacto. Nesse caso, existem notebooks que já vêm turbinados para os gamers com placas de vídeo mais potentes e outros itens que melhoram a exibição de gráficos – é o caso dos modelos da linha Alienware, da Dell, ou da série G da Asus. Todos com preços bem salgados.

6 – Portas de Entrada e Saída

Desktops costumam ter um número padrão de portas USB e outras saídas de dados. Já os laptops pedem uma atenção especial. Aqui, mais é melhor, especialmente nos chamados netbooks, que normalmente vêm sem drives de leitura de CDs e DVDs.

Uma saída HDMI também é uma boa pedida, no caso dos notebooks. Ela permite que você conecte seu aparelho à TV para ver filmes – por exemplo – com alta qualidade de som e imagem.

7 – Acessórios

Dependendo do negócio, sobrando um dinheirinho, vale a pena investir em alguns acessórios.

Se você optar por um desktop, pode comprar um monitor maior, e de melhor qualidade. Alguns modelos a partir de 21 polegadas têm inclusive a capacidade de funcionar como uma TV. Eles tem entrada HDMI e RGB que permitem que você ligue – além do computador – conversores de TV à cabo. Os modelos giram em torno de R$ 700.

No caso dos compactos, verifique se você tem drive leitor/gravador de CD/DVD. Caso não exista você pode adquirir um modelo externo. Mas avalie! A oferta é grande e os preços variam muito. Além disso, os drives capazes de ler discos Blu-ray estão com preços em queda – chegando a custar menos de R$ 400.

Finalmente, como já dissemos antes, os drives de armazenamento estão cada vez mais baratos. Independente de comprar um desktop, laptop ou netbook pode ser uma boa ideia colocar um HD externo no pacote, tanto para backup dos seus arquivos como para armazenar filmes, músicas e fotos que poderão ser vistos em outro lugar posteriormente. Fonte: ABOUT.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: