sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Babá torturada por nora de Gaddafi chega a Malta para tratamento

A babá etíope que relatou à Folha ter sido torturada nas mãos de um familiar do ditador líbio, Muammar Gaddafi, chegou a Malta na quinta-feira para receber tratamento médico adicional às queimaduras que sofreu.

Shweyga Mullah, 30, foi desfigurada por água fervente jogada por uma das noras de Gaddafi. Ela foi encontrada por rebeldes depois de os patrões fugirem ao saber que Trípoli havia sido tomada.

A etíope, que se recuperava em um hospital de Trípoli, saiu da Líbia em um voo fretado pelo governo maltês e levada de ambulância até o hospital Mater Dei, em Malta, onde será avaliada por cirurgiões plásticos e especialistas em reconstrução de pele.

Segundo relatos da emissora de TV americana CNN, a mulher chorou quando o avião decolou do solo líbio para levá-la embora.

HISTÓRIA - Shweyga havia deixado a Etiópia há cerca de um ano para trabalhar como babá na casa de Hannibal Gaddafi e sua mulher, cuidando de dois filhos pequenos.

Ao se recusar a punir fisicamente uma das crianças, teve as mãos amarradas pela mulher de Hannibal, que despejou água fervente na cabeça e nas costas da babá. Trancada em um banheiro, a etíope foi resgatada por um guarda-costa da casa depois de dez dias e levada ao hospital.

Ela teve que retornar à casa dos Gaddafi, mesmo sofrendo com queimaduras graves infeccionadas. O casal fugiu quando os rebeldes começaram a entrar em Trípoli e, dois dias depois, um grupo de insurgentes a resgatou. FONTE: FOLHA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: