quarta-feira, 22 de abril de 2015

'Trinta segundos duraram eternidade', diz homem que filmou tornado em SC

Santa Catarina - Passava das 15h da última segunda-feira (20) quando o gerente comercial Ronaldo de Oliveira, de 34 anos, se levantou da mesa de reunião para pegar um café. Foi quando olhou pela janela da empresa e viu um funil que repente escureceu o céu de Xanxerê, no Oeste catarinense. Era o tornado que se aproximava. "Foram 30 segundos que duraram uma eternidade", disse.

“Não tenho esse costume, mas comecei a filmar por curiosidade. Pensei que pudesse ser uma tempestade ou uma tromba d’água, aqui sempre tem ventos fortes”, conta o gerente comercial de uma fábrica de sacarias de ráfia. (Veja o vídeo acima na íntegra).

"Meu Deus, minha casa!", diz uma voz. "A fábrica foi toda", narra Oliveira no vídeo, que na hora pensou no filho. "Meu piá!". É possível perceber pessoas com a voz embargada diante de toda a destruição.

'Poste torceu como parafuso'

“Primeiro vieram os galhos, depois árvores inteiras. Dava pra sentir o vento batendo na parede. A força era tanta que derrubou o ar-condicionado, arrastou carros. Um poste torceu como um parafuso”, lembra Oliveira.

Ele conta que o grupo de funcionários se protegeu em um corredor. “Foram 30 segundos no meio do tornado, mas pra mim pareceram 30 minutos, ou uma eternidade”, diz Oliveira, que mal teve tempo de rever as imagens impressionantes que registrou.

A empresa, que fica no bairro Colatto, foi parcialmente destruída. “Ainda estamos avaliando os prejuízos com as máquinas”, contou ao G1 por telefone, enquanto dava instruções a funcionários.
Foi só na volta para a casa, a pé, que Oliveira se deu conta do tamanho do estrago. Naquele dia, por acaso, ele havia deixado o carro com a esposa – "se estivesse no estacionamento da empresa, certamente o veículo teria sido destruído", diz.

“Fui caminhando e vendo imóvel no meio da rua, carros virados, casas de dois andares caídas pela metade. Imaginei que a cidade inteira tivesse acabado”.

Bastante impactado pelo cenário de destruição, ele também registrou o momento em um segundo vídeo (veja abaixo). “Espero que isso nunca mais aconteça”, diz Oliveira. (G1/Vídeo Internet)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: