quarta-feira, 13 de junho de 2012

Casal é indiciado na Bósnia por escravizar alemã

Bettina Siegner é o local onde vivia como escrava
A justiça bósnia indiciou um casal local acusado de ter detido como escrava durante seis anos uma jovem alemã, Bettina Siegner, libertada em maio e mantida em uma "casa segura" na Bósnia, informaram nesta quarta-feira fontes judiciais.

"A promotoria indiciou Milenko e Slavojka Marinkovic por privação ilegal de liberdade realizada de forma cruel", declarou à AFP um porta-voz da promotoria, Admir Arnautovic.

"São acusados de ter sequestrado esta menina (...), de ter provocado ferimentos corporais, de tê-la tratado de forma desumana, de tê-la deixado sem comida e obrigado a realizar trabalhos agrícolas difíceis", acrescentou.

Enfrentam uma pena de dois a oito anos de prisão.

Bettina Siegner, de 19 anos, foi libertada em meados de maio pela polícia na localidade de Karavlasi (nordeste), onde estava detida desde "o fim de 2005", segundo a promotoria.

As autoridades foram alertadas por moradores de um povoado vizinho.

A mãe da jovem Bettina, Christine Siegner, havia confiado em 2005 a guarda de sua filha, quando ela tinha 12 anos, ao casal Marinkovic, que ela conheceu na Alemanha, para onde fugiram durante a guerra na Bósnia (1992-1995).

Segundo a promotoria, Siegner visitava a Bósnia de vez em quando. A promotoria também estuda acusar a mãe. FONTE: FRANCE PRESSE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: