terça-feira, 6 de setembro de 2011

Maguila revela a jornal que tem Mal de Alzheimer

O ex-boxeador Adílson Maguila revelou nesta terça-feira que foi diagnosticado com o Mal de Alzheimer, doença degenerativa que não tem cura. Em entrevista publicada pelo jornal Diário de São Paulo, Maguila conta que o diagnóstico aconteceu há cerca de dois anos, feito por um médico da família. No entanto, ele resiste ao tratamento até hoje.

"Fiz exames no Hospital das Clínicas e o médico disse que eu tenho Alzheimer e diabetes. Mas eu acho que é mentira porque isso causa esquecimento e eu não esqueço de nada", disse Maguila, atualmente com 53 anos.

Campeão mundial de boxe em 1995, Maguila lembrou, porém, que sua mãe também apresentou o mal, que causa perda gradativa da memória. "Ela morreu com Alzheimer, aos 89 anos. Reconhecia os filhos, mas, às vezes, demorava um pouco", afirmou o ex-boxeador.

"O médico me passou remédio, mas eu disse para rasgar tudo. Já estou com 53 anos e não sinto nada. Não desafio nada, mas, se sentir algo, vou me cuidar. Você vai tocando o barco até quando Deus quiser", resumiu Maguila, que já se arriscou em diversas áreas após a aposentadoria no esporte. Entre outras atividades, gravou um álbum dedicado ao samba e se candidatou a deputado federal em 2010.

Durante sua carreira no boxe, além do título mundial, seus principais feitos foram as lutas contra os norte-americanos Evander Holyfield, em 1989, e George Foreman, no ano seguinte. Em ambas o brasileiro saiu derrotado, mas ficou na história do boxe nacional.

À parte da revelação da doença, Maguila também deu sua opinião sobre o MMA. "Eu não gosto, não. Pra mim, é briga de rua. Você joga o sujeito no chão e fica batendo", disse. Mas o ex-boxeador elogiou o atual campeão dos médios do UFC, Anderson Silva, que brilhou recentemente no evento do Rio de Janeiro. "Na área dele, ele luta bem e está de parabéns pelo que faz.” Fonte: UOL ESPORTE

Nokia faz concurso atrás de nova versão de toque 'clássico' de celular

O já clássico toque de celular "Nokia Tune" vai ganhar uma nova versão nos próximos celulares da companhia finlandesa. A fabricante promove um concurso para escolher uma nova versão do toque, um trecho da composição "Gran Vals", criada pelo espanhol Francisco Tárrega em 1902.

Até 2 de outubro, a companhia receberá, pelo site audiodraft.nokia.com, adaptações do toque feitas por internautas. "O toque deve ser novo, expressivo, original, criativo e ainda assim ter a essência do Nokia Tune", diz o texto da empresa no site. A Nokia utiliza, com poucas alterações, o trecho de "Gran Vals" como toque desde 1994.

O vencedor, selecionado por votação popular e por um júri escolhido pela Nokia, receberá um prêmio de US$ 10 mil, e terá seu toque incorporado aos aparelhos vendidos pela fabricante finlandesa em 2012. Cinco concorrentes ganharão um prêmio de consolação de US$ 1 mil. Fonte: G1

Incêndio afeta aldeia indígena que teve ritual tombado pelo Iphan

A pesca com barragens é parte do ritual protegido como patrimônio imaterial dos enawenê nawê, em Mato Grosso. Indígenas acreditam que incêndio na aldeia pode provocar os maus espíritos.
Integrantes da Fundação Nacional do Índio (Funai) e membros da organização Operação Amazônia Nativa (Opan) correm contra o tempo para socorrer os índios enawenê nawê, instalados na Terra Indígena Enawenê Nawê, na zona de transição entre cerrado e a floresta amazônica, no Mato Grosso. A aldeia foi atingida por um incêndio acidental no último dia 28 e destruiu sete malocas, feriu quatro pessoas e desabrigou 280 moradores.

Fagulhas de uma fogueira instalada no interior de uma das cabanas (feitas com folhas secas de uma palmeira chamada buriti) causaram o fogo, que se espalhou rapidamente para as outras moradias devido ao período de estiagem na região Centro-Oeste.

Quatro pessoas tiveram queimaduras de segundo grau, uma delas em estado grave, e foram levadas para a cidade de Brasnorte (a 562 km de Cuiabá). Além disso, se perdeu um estoque de sementes de milho, um dos principais alimentos desta população.
 
Sagrado - Apesar da perda de malocas (sete das 16 casas sucumbiram ao fogo), o mais grave para os indígenas é que o incêndio destruiu artefatos como cocares e máscaras. Esses apetrechos são utilizados em rituais como o yaokwa, que tem duração de sete meses e consiste principalmente na pesca de barragem, feita com estruturas construídas de uma margem à outra do rio.

O rito foi considerado patrimônio cultural brasileiro em novembro de 2010, tornando esta ação em bem imaterial protegido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

“Para os enawenê nawê, a relação deles com os espíritos foi alterada com a queima dos artefatos. As máscaras, por exemplos, são utilizadas durante cantos e cerimônias em que se oferece comida para os ‘espíritos dos acidentes geográficos’ (morros, ilhas, corredeiras de rios), considerados perigosos e ameaçadores à aldeia. A queima desses itens pode provocar uma revolta dos espíritos contra eles”, disse Juliana Almeida, gestora do programa Mato Grosso da Opan.

Arrecadação - Foi montado na aldeia um acampamento para abrigar as famílias vítimas do incêndio. Segundo Renan Spessatto Leão, chefe da coordenação técnica da Funai em Juína, a 240 km da aldeia indígena, a preocupação principal de quem colabora com os enawenê nawê é com a questão cultural, que influencia diretamente o modo de vida dos índios.

“Pedimos ajuda ao governo do Mato Grosso para a arrecadação de recursos como alimentação e combustível para barcos. Precisamos de 13 mil litros de gasolina para percorrer o Rio Juruena e seus afluentes, e recolher folhas da palmeira buriti em localidades distantes da tribo. Só assim será possível remontar as malocas queimadas”, disse Leão.

“Com as casas refeitas, simboliza que eles (povo enawenê nawê) garantem aos espíritos que a aldeia será reconstruída, assim como os objetos utilizados nos rituais.”, disse Juliana, da Opan.
 
Histórico - Os enawenê nawê estabeleceram contato com a Funai há cerca de 25 anos, o que os indigenistas consideram recente. Para se chegar à aldeia, é necessário percorrer 60 km por via terrestre e mais 180 km de barco pelo rio Juruena, em uma viagem de aproximadamente oito horas.

Eles mantêm tradições, consideradas sagradas, que acontecem anualmente, como o ritual yaokwa. São realizados ainda o plantio do milho, a pesca com timbó (uma planta que é jogada no rio e baixa a oxigenação da água, fazendo com que os peixes flutuem e sejam recolhidos) e o ritual das mulheres (colheita de mel na mata). Fonte: GLOBO NATUREZA


Rowan Atkinson diz que irá aposentar o Mr. Bean

Rowan Atkinson, mais conhecido pelo papel de Mr. Bean, afirmou em Sydney, nesta segunda-feira (5), que não pretende mais continuar com o personagem que o tornou famoso. "Me sentiria surpreso se continuasse com o Mr. Bean", disse à imprensa local de acordo com jornal "Herald Sun", durante o lançamento de seu mais recente filme, "Johnny English Reborn".

"Interpretei o Mr. Bean pela última vez. Apesar de jamais dizer nunca, acredito que seja o film dele". Segundo Atkinson, ele estaria ficando muito "velho" para o papel. "Começa a perder um pouco da magia", explicou, sobre encarnar o mesmo personagem durante mais de 20 anos. "Sempre considerei o Mr.Bean um personagem meio que de desenho animado. Ele perdeu o apelo quando começou a parecer vulnerável ou algo assim".

A última aparição do personagem nas telas foi no filme "As férias de Mr. Bean", de 2007. Ele nasceu em 1987 no teatro e depois ganhou uma série de TV em 1990, que durou cinco anos. Fora isso, também rendeu uma animação.

O ator de 56 anos se envolveu recentemente em um grave acidente de trânsito na Inglaterra. No começo de agosto, ele dirigia um carro modelo McLaren F1, que saiu da pista e rodou várias vezes antes de bater contra uma árvore e um poste de luz. O carro era avaliado em £650,000 (cerca de R$ 1,6 milhões). Fonte: G1

Justiça confirma condenação de reú do caso Dorothy Stang

O Tribunal de Justiça do Pará negou nesta terça-feira (6) pedido do fazendeiro Regivaldo Pereira Galvão, o Taradão, que tentava anular decisão do júri que o condenou pela morte da missionária Dorothy Stang. 

Ele foi condenado no ano passado a 30 anos de prisão, acusado de ter sido um dos mandantes do crime, mas pediu um novo julgamento. 

Galvão é o único dos cinco réus em liberdade. Os desembargadores da 1ª Vara Criminal, no entanto, votaram na sessão desta terça que ele seja preso. 

Na apelação enviada à Justiça, a defesa negou envolvimento do fazendeiro no crime e disse que ele teve o direito de defesa cerceado porque ficou sentado longe do seu defensor durante o julgamento. Alegou ainda que a pergunta enviada aos jurados foi má redigida e os induziu a erro. 

Os quatro desembargadores rejeitaram todos os argumentos, inclusive a possibilidade da defesa de pedir novo julgamento. Para eles, o protesto por novo júri foi extinto após lei de 2008. 

Os desembargadores também negaram pedido para diminuir a pena. 

O advogado de Galvão, Jânio Siqueira, disse que vai recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) e ao STF (Supremo Tribunal Federal). Na sessão de hoje, ele declarou que o caso teve "pressões imediatistas" de ONGs internacionais.

O CRIME - A freira norte-americana naturalizada brasileira foi assassinada em 2005 numa estrada em Anapu (PA), onde ela liderava o PDS (Projeto de Desenvolvimento Sustentável) Esperança. 

Segundo as investigações da polícia, o crime foi encomendado por Galvão e por Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, porque ela denunciava a intenção da dupla de tentar possuir ilegalmente de um lote do assentamento. Fonte: FOLHA.COM

Sócrates segue internado na UTI e respira com ajuda de aparelhos

O ex-jogador de futebol Sócrates, 57, ídolo do Corinthians e da seleção brasileira, continua internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), respirando com o auxílio de aparelhos e em uso de drogas para manutenção da pressão arterial, segundo informou o boletim médico divulgado pelo hospital Albert Einstein nesta terça-feira. 

Sócrates está internado desde a madrugada da última segunda-feira após apresentar novo episódio de hemorragia digestiva alta devido à hipertensão portal. 


O hospital informa que foram adotados procedimentos medicamentosos, endoscópicos e por radiologia intervencionista para controle do sangramento. 

Sócrates foi internado novamente após receber alta no último dia 27. Ele recebeu alta após ficar oito dias internado em virtude de uma hemorragia digestiva alta.

O problema foi provocado por uma hipertensão portal, que é uma pressão excessiva na veia porta, que leva o sangue do intestino para o fígado.

Formado em medicina, atualmente Sócrates trabalha como comentarista na TV Cultura e é colunista do "Agora São Paulo", do Grupo Folha, e da "Carta Capital". 


Como jogador, ele foi um dos principais nomes da chamada 'Democracia Corintiana' no início dos anos 1980 no clube paulista. Jogou também pelo Flamengo e pelo Santos, além do Botafogo-SP, onde começou e terminou a carreira. Fonte: FOLHA.COM

Amy Winehouse deixou fortuna de apenas R$ 5 milhões

A cantora Amy Winehouse não deixou grande fortuna para seus herdeiros. De acordo com o tabloide "Daily Star", ela deixou apenas 2 milhões de libras (cerca de R$ 5 milhões) quando morreu.

Embora já tenha tido fortuna estimada em 10 milhões de libras, Winehouse perdeu muito dinheiro nos últimos anos.

Uma fonte próxima disse ao tabloide que ela também gastou milhares de libras em bebida e drogas.

O álbum "Back To Black" se tornou recentemente o álbum mais vendido no Reino Unido no século 21. O disco de Winehouse, cujo lançamento data de 2006, vendeu mais de 175 mil unidades desde que ela foi encontrada morta em sua casa em julho passado.
Fonte: FOLHA.COM

Crocodilo gigante é capturado em vilarejo das Filipinas

Um crocodilo de 6,4 metros de comprimento e pesando mais de uma tonelada (1.075 kg) foi capturado no vilarejo de Bunawan, nas Filipinas.

Acredita-se que seja um dos maiores do mundo já capturados vivos. Cerca de cem pessoas uniram os esforços para transportar o réptil.

O animal matou um búfalo e quebrou quatro armadilhas antes de ser finalmente imobilizado com cabos de aço.

O crocodilo será levado para ser atração em um parque de ecoturismo local.
Fonte: AFP/UOL

Brasil envia navio com 4,5 mil toneladas de alimentos à Somália

Parte nesta quarta-feira do porto de São Francisco do Sul, em Santa Catarina, um navio com a primeira remessa de alimentos brasileiros doados ao chifre da África. São 204 contêineres, com 19 toneladas cada, em média, totalizando 4,5 mil toneladas. 

Os milhares de sacos de feijão serão carregados no navio MSC Marta, que atraca amanhã de tarde e parte no dia seguinte, por volta de 8h da manhã. As informações foram confirmadas à Folha por Maria de Lourdes, gerente de operações da Superintendência Regional da CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento). 

No final de julho, o governo brasileiro anunciou que enviaria 38 mil toneladas de doações de alimentos para a Somália, onde mais de 3,7 milhões de pessoas enfrentam uma crise de fome e a pior seca na região em 60 anos. 

"Cerca de 10 mil toneladas de alimentos brasileiros já estão sendo embarcadas para o chifre da África. O carregamento nos navios é um processo que pode demorar semanas, mas a expectativa é de que até o final de setembro todo esse montante tenha sido enviado", afirmou por telefone Daniel Balaban, diretor representante do PMA (Programa Mundial de Alimentos da ONU) no Brasil. 

O envio dos alimentos do Brasil à África levará cerca de 20 dias, para cruzar o oceano Atlântico. Com o apoio de navios mercantes, partindo de portos em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, o Brasil enviará à África até o fim de setembro carregamentos de arroz, feijão, milho, leite em pó e sementes. 

Os números são recordes brasileiros em matéria de ajuda humanitária internacional. É a primeira vez que o Brasil faz um envio de alimentos à Somália e é a maior doação do tipo já realizada. 

As entregas de alimentos colocam o Brasil como o décimo maior doador de fundos humanitários para a crise no chifre da África -região que compreende Somália, Quênia, Etiópia, Djibuti. Na última lista da ONU, o país soma US$ 22 milhões em contribuição, em 2011. À frente de potências como Alemanha, França e Suíça.
 
ACESSO RESTRITO - O navio brasileiro aporta em Mombaça, no litoral do Quênia. De lá, a carga será enviada a campos de refugiados na fronteira com a Somália. Mas não chegará ao sul da Somália, onde está a grande maioria dos famintos. 

"O PMA está proibido de entrar na Somália pelos rebeldes do Al Shabab [que controlam a área], por isso não temos presença no sul do país", admitiu Balaban. 

Ontem, o presidente internacional da ONG Médicos Sem fronteiras (MSF), Unni Karunakara, afirmou que é "quase impossível" ajudar os somalis que passam fome. O motivo principal seria o número escasso de agências humanitárias trabalhando dentro da Somália. 

Há 20 anos, reina a instabilidade política na Somália. Desde o fim do regime de Siad Barré, em 1991, grupos radicais e clãs disputam o poder. Entre eles, está o Al Shabab, ligado à rede Al Qaeda e considerado um grupo terrorista pelos EUA. 

Um governo central interino (GFT) foi estabelecido em 2004, com o apoio da ONU, mas não é reconhecido pelas forças locais, nem pela população somali.  Fonte: FOLHA.COM