quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Cumbica é o campeão nacional de voos atrasados

Entre os dez aeroportos mais movimentados do Brasil, o aeroporto internacional de Cumbica, em Guarulhos, é o que mais coleciona atrasos em voos. Lá, 25% das decolagens acontecem depois do horário previsto. Os dados foram divulgados pelo último Anuário do Transporte Aéreo da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
O relatório, concluído em julho, tem 2010 como ano-base. Por outro lado, também fica em São Paulo o aeroporto mais pontual: Viracopos, em Campinas, registra 88% de voos nos horários certos. Em 2010, o mesmo relatório da Anac mostrou que o Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, ocupava a primeira posição no ranking de atrasos. O atual campeão Cumbica ficava em sexto lugar. A Anac considera atrasados os voos que partem quinze minutos depois do previsto. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) tolera até meia hora. A Infraero não quis se manifestar sobre os números do anuário. Os dados divulgados nesta semana revelam que a eficiência da aviação comercial ─ que leva em conta a regularidade e a pontualidade ─ caiu de 80,6% em 2009 para 77,1% no ano passado. A habilidade das companhias aéreas em decolar na hora marcada caiu de 87% para 83%. A Anac informou que os passageiros que pretendem sair de Cumbica para Brasília, Porto Alegre, Rio de Janeiro ou Salvador devem estar preparados: é bastante provável que o voo atrase. Essas são as rotas mais movimentadas. Outros trajetos com índice de atraso próximo a 25% são os de Congonhas para Brasília, Curitiba, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. FONTE: AGÊNCIA ESTADO

Oi e Net devem acirrar briga na TV paga

A abertura do mercado de TV a cabo para as operadoras de telefonia e a redução das restrições ao capital estrangeiro, aprovadas na terça-feira no Senado, vão acirrar a disputa entre Oi e Net por esse mercado. Fontes do setor avaliam que o sinal verde para que as teles atuem nesse segmento provocará a investida da Oi nas áreas em que a Net atua, que são justamente as capitais e grandes cidades – regiões que concentram a população com maior poder aquisitivo do país. Hoje, a Net atua praticamente sozinha nesses mercados com oferta de TV a cabo.
Nas cidades em que a Oi já possui rede de fibra óptica, a entrada da companhia para oferecer o serviço ocorrerá de forma praticamente imediata; onde a infraestrutura não for compatível, a empresa terá de fazer investimentos. Na outra ponta, com menos restrições ao capital estrangeiro, o mexicano Carlos Slim poderá assumir o controle da Net – ele já é dono de 49% da empresa – e promover a integração com a Embratel e a Claro, o que permitirá fazer a oferta do chamado "quadriplay", ou seja, telefonia fixa, móvel, banda larga e TV a cabo, concorrendo diretamente com a Oi. Em outra frente, o grupo mexicano poderá também usar a rede de fibras ópticas da Embratel e ampliar a oferta dos serviços. Sem citar diretamente a concorrência com a Net, o diretor de regulação da Oi, Paulo Mattos, disse que a empresa espera já poder oferecer no ano que vem o chamado serviço de IPTV, que utiliza o protocolo de internet para a transmissão de conteúdo – e que depende muito do investimento em fibras ópticas. Segundo ele, a oferta depende de uma rápida regulamentação da lei pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) tão logo o projeto seja sancionado pela presidente Dilma Rousseff. "É importante destacar que o principal beneficiado pela nova legislação é o consumidor, que terá mais opções no momento de escolher sua TV por assinatura", afirmou Mattos. Segundo ele, a IPTV será mais um produto disponível no mercado, ao lado da TV via satélite e a cabo tradicional, com a vantagem de estar mais adequada aos recursos de interatividade. A Net não se pronunciou sobre o assunto. GVT e Telefônica – Outra mudança possível nesse mercado, segundo uma fonte, seria a entrada de um novo player de TV a cabo: a GVT. Isso porque, como tem redes de fibra óptica nas principais cidades do país, a empresa, que pertence à francesa Vivendi, poderia ingressar no segmento de TV a cabo assim que a nova legislação entrar em vigor, fazendo uma concorrência direta contra Net, Oi e Telefônica. Como a atuação da Telefônica está restrita ao Estado de São Paulo, onde ela já oferece o serviço de TV a cabo por meio da TVA, a mudança mais significativa num primeiro momento ocorrerá no âmbito de gestão, pois a companhia era impedida de exercer o controle da operadora de TV a cabo – fato que a Telefônica classificou como "assimetria regulatória", em nota divulgada após a aprovação do projeto. FONTE: AGÊNCIA ESTADO

Google leva tecnologia de exploração digital a comunidade ribeirinha do Amazonas

Em parceria com Fundação Amazonas Sustentável, o Google Maps lança nesta quarta-feira (17) na comunidade Tumbira, na Reserva de Desenvolvimento do Rio Negro, a uma hora de barco de Manaus, a tecnologia que permite ao usuário a exploração digital da área por meio de fotos em 360 graus.
A tecnologia é descrita pelo Google de “uma experiência imersiva nas comunidades do rio Negro, na floresta amazônica”. A iniciativa é uma parceria com a Fundação Amazônia Sustentável (FAS). A primeira fase tem início nesta quarta-feira, com duração prevista de três semanas. As imagens do rio Negro serão capturadas por barcos com o trike acoplado - um triciclo com câmeras. Este veículo, próprio para locais que não são acessíveis por carros, também será utilizado para mapear as comunidades da região. Uma equipe composta por funcionários do Google e da FAS em uma ação educativa capacitará moradores das comunidades para operar o trike. Depois da coleta, as imagens serão processadas e disponibilizadas aos usuários gratuitamente através do Street View. "Esta parceria inédita com a Fundação Amazonas Sustentável vai tornar possível nosso projeto de treinar e preparar os moradores das comunidades para captar imagens da Amazônia," afirma Karin Tuxen-Bettman, líder do time de Geolocalização do Google. "Assim que todas as imagens estiverem no ar, poderemos compartilhar a cultura e a beleza de locais da Amazônia com qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo. Sem a visão, criatividade e dedicação dos nossos parceiros, esta empreitada não seria possível”, disse. Virgílio Viana, superintendente geral da FAS, acredita que proporcionar ao mundo essa experiência de um tour interativo dentro da Floresta Amazônica, destacando as peculiaridades da vida e cultura da população local, é mais do que apenas entretenimento. “Isso assume um papel de extrema importância na conscientização sobre os desafios de conservação, desenvolvimento comunitário e sustentabilidade na Amazônia. Esperamos que esta iniciativa fomente outras parcerias que também possam unir a alta tecnologia com a sabedoria dos moradores da Floresta", afirma. FONTE: PORTAL A CRÍTICA