domingo, 4 de setembro de 2011

Todos os 21 ocupantes do voo no Chile morreram, diz ministro

As buscas ao avião militar chileno que caiu no mar na sexta-feira (2) no arquipélago Juan Fernández, no Pacífico, indicam que os 21 passageiros a bordo da aeronave morreram de forma imediata, confirmou neste sábado (3) o ministro da Defesa, Andrés Allamand.

“Após as buscas que participamos com o comandante-em-chefe da Força Aérea [Jorge Rojas], concluímos que o impacto foi de tal magnitude que deve ter causado a morte instantânea de todas as pessoas a bordo do avião”, disse Allamand, que esteve durante todo o dia na área do acidente.

Allamand, que lidera os trabalhos de resgate, explicou que a conclusão é resultado das "evidências" observadas durante a operação de resgate realizada pela Força Aérea e pela Marinha do Chile, envolvendo seis aviões e duas fragatas.
Até o momento, só foi possível resgatar quatro corpos, levados a Santiago, onde foram identificados como Erwin Núñez, cabo da Força Aérea, Galia Díaz, funcionária do Conselho Nacional de Cultura, Roberto Bruce, jornalista do canal TVN, e Silvia Slager, produtora da TVN.

Na aeronave, um modelo de transporte CASA C-212, viajavam o apresentador Felipe Camiroaga, um dos mais populares da televisão chilena, e o empresário Felipe Cubillos, que apoiava a organização Desafío Levantemos Chile, criada para impulsionar os trabalhos de reconstrução da região após o terremoto de fevereiro de 2010.

A expedição de resgate partiu rumo ao arquipélago de Juan Fernández às 4h deste sábado (3) para desenvolver um intenso trabalho de busca depois que o presidente chileno, Sebastián Piñera, anunciou que seriam realizadas "todas as gestões para esclarecer as circunstâncias". A operação também está reforçada por habitantes do arquipélago e alguns navios que se encontravam na região.

O ministro Allamand, que é cunhado de Felipe Cubillos, explicou que a Força Aérea perdeu contato por rádio com a aeronave às 17h48 de sexta-feira (2) e reconheceu que "o cenário é adverso".

Participam dos trabalhos de busca um avião Hércules C-130 da FACh, as fragatas Lynch – que transporta um helicóptero – e Condell, e outra aeronave CASA-295, dotada de dispositivos de prospecção.

Felipe Paredes, vereador de Juan Fernández e última pessoa que viu a aeronave, relatou à imprensa local que a aeronave efetuou duas manobras de aproximação à pista de aterrissagem, de pouco mais de 1 quilômetro de comprimento, e posteriormente desapareceu atrás de uma colina. Paredes acrescentou que, embora houvesse vento, dois aviões privados não tinham encontrado dificuldades para aterrissar pouco antes.

Já o governador marítimo de Valparaíso, Otto Mrugalski, confirmou que uma porta do avião foi encontrada intacta cerca de dois quilômetros ao leste da pista de aterrissagem da ilha Robinson Crusoé, em uma zona onde a profundidade do Oceano Pacífico alcança 54 metros.

Ao chegar às instalações da Força Aérea, onde está sendo coordenada a operação de resgate, o presidente Sebastián Piñera declarou na noite de sexta-feira (2) que o acidente representa "um duro golpe para o país". FONTE: G1, com informações de agências internacionais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: