sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Justiça americana acusa jovem que matou pais e deu uma festa

Um júri da Flórida, nos Estados Unidos, acusou de assassinato em primeiro grau um adolescente que teria matado seus pais a marteladas em julho, ocultado os corpos em um quarto e feito uma festa na casa da família, confirmou uma fonte policial.

O assassinato aconteceu em Port St. Lucy. Tyler Hadley, 17, utilizou o Facebook para organizar a festa, que teve 60 convidados. Ele foi detido na madrugada do domingo 17 de julho, horas após a festa.

De acordo com declarações de um dos amigos próximos de Hadley, Mike Mandell, ao canal local Channel 5, o adolescente teria tomado três pastilhas de ecstasy antes de cometer o assassinato e teria dito: "Me sinto mal, não comi, não dormi, estou mal".

O amigo do assassino foi quem chamou a polícia depois que Hadley lhe mostrou os corpos durante a festa.

A polícia local explicou, em entrevista coletiva em julho, que, após convocar a festa, o jovem teria matado seus pais e ocultado os corpos com lençóis e toalhas no dormitório principal, antes de receber os amigos.

Outros amigos do adolescente declararam a veículos da imprensa local que Hadley teve um comportamento normal durante a festa, parecia se divertir e declarou que seus pais, Mary Jo Hadley, 47, e Blake Hadley, 54, estavam de férias.

Blake Hadley trabalhava para uma empresa de eletricidade, e sua mulher era professora.

Apesar do aumento da acusação de assassinato em segundo grau para primeiro grau, Hadley não pode ser condenado a pena de morte por ser menor de idade, podendo apenas receber a pena de prisão perpétua sem direito a liberdade condicional.

O juiz encarregado do caso, Dwight Geiger, ordenou que Hadley permanecesse preso sem direito à fiança. FONTE: FOLHA.COM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário ou sugestão: